Uma senha sera enviada para seu e-mail

A coluna 10 opiniões é a forma de você rapidamente se inteirar sobre os principais assuntos da semana na NFL. Postada toda quarta-feira com Henrique Bulio, inclusive durante a temporada regular da NFL e uma forma de você rapidamente ficar informado! Confira aqui o índice completo da coluna.

1. Você deve se lembrar de como acabou a temporada dos Steelers. Jogando em casa, num jogo com total clima de revanche e vindo de folga na primeira rodada, Pittsburgh conseguiu a proeza de ceder 45 pontos para Blake Bortles e Cia. e foi eliminado no Divisional Round. Foi a quarta temporada consecutiva em que a equipe chegou aos playoffs mas não venceu a conferência.

Quando pensamos em Pittsburgh, instantaneamente vem à cabeça o poderoso ataque encabeçado por Ben, Bell e Brown. E ainda que tenham liderado a NFL em sacks na última temporada regular, ficou claro como a falta de foco e a inconsistência da defesa eram o principal limitante do teto da equipe – e isso ficou ainda pior quando Ryan Shazier foi perdido para o resto do ano: ele não joga em 2018.



.

Eu não acho que os Steelers sejam uma das equipes favoritas em 2018, muito por conta de não esperar que a defesa suba de nível na temporada que se avizinha. Se os adversários perceberem o quão efetivo é correr com a bola contra Pittsburgh, o time vai ter problemas. O ataque deve ser a fortaleza de sempre, mas isso não vai ser suficiente mesmo numa AFC enfraquecida.

2. Virando a chave, eu acho que incluiria os Titans na lista de equipes favoritas. É uma questão de tempo até o ataque começar a voar sob o comando de Matt LaFleur, especialmente se considerarmos que a fundação ofensiva de Tennessee devem ser as tão famosas RPOs, que encaixariam perfeitamente com o molde de spread offense de Mariota. Mas a principal razão pela qual eu espero ver os Titans como força na AFC é, ao contrário de Pittsburgh, a evolução da defesa. O Deivis fez um texto maravilhoso falando sobre a chance disso acontecer, e é algo no qual eu apostaria.

3. A primeira vista, o grupo de recebedores dos Patriots parece desfalcado nesse momento. Com a troca de Brandin Cooks para os Rams e a suspensão de Julian Edelman por quatro jogos, New England vai precisar de algum alvo menos comentado aparecendo bem na primeira parte da temporada – Kenny Britt e Philip Dorsett parecem os melhores candidatos para a titularidade junto de Chris Hogan; se você assina o PROClub, você já viu nossa análise tática sobre como o time pode suprir a ausência de Edelman. Ainda assim, existe um nome dentro desse grupo que é um jogador legítimo de elite e pouco se fala dele.

Ok, de elite, mas não exatamente recebendo a bola. Porém, os Patriots tem o melhor retornador da NFL sob contrato e ninguém dá a devida atenção pra isso. Dado da semana que você provavelmente não sabe (ou não liga): Cordarrelle Patterson tem 4721 jardas de retorno desde 2013, seu ano inicial na liga; o segundo colocado nesse ranking tem 2962. É uma diferença muito grande.

É importante ressaltar isso pois, com a nova regra de kickoff, o potencial para jogadas explosivas é bem maior. New England dá atenção a todo e qualquer detalhe que possa representar uma vantagem competitiva, mesmo que mínima. Patterson vem ganhando certa mídia nos training camps como recebedor, contudo, é como retornador que ele vai brilhar em 2018. Você leu aqui primeiro.

4. Eu acho que eu finalmente consigo apontar um time que vai conquistar uma vaga nos da NFC e esse time é o Green Bay Packers. Se você me segue no Twitter, sabe que tenho repetido há bastante tempo que acho o Minnesota Vikings o time mais forte da NFL em 2018; naturalmente, também representam minha aposta para vencer a NFC North.

No caso específico dos Packers, o time passou por uma reformulação no front office que tornou-o mais ativo na free agency e menos conservador como organização num âmbito geral. Com efeito, os problemas da defesa foram endereçados e a unidade parece direcionada a subir de nível – falamos sobre isso aqui. Outros fatores importantes é que, tendo terminado em terceiro dentro da divisão em 2017, a tabela de Green Bay é facilitada em relação a Minnesota e Detroit; por fim, os times da NFC North enfrentam os da AFC East em 2018, e os adversários inter conferência estão muito abaixo, com exceção feita a New England. Os Packers são os principais favoritos a assegurarem uma das vagas de wild card em janeiro.

5. Se Dez Bryant for o parâmetro a partir de agora, então eu sou a favor dos jogadores da NFL serem ativos nas redes sociais. O antigo recebedor dos Cowboys não superou muito bem sua dispensa da equipe em abril. Por muito tempo, Bryant foi a cara da franquia – e isso nem sempre foi algo positivo, mas relevemos.

O ponto é que Bryant nunca teve problema de expressar seus sentimentos com relação ao ex-time nas redes sociais. Críticas a ex-companheiros, ao front office, a tudo. Na última sexta-feira, por exemplo, Dez acusou Sean Lee e Travis Frederick de serem responsáveis por sua dispensa. Se isso é verdade ou não (tanto Lee quanto Frederick negaram a história), não muda um fato importante: isso é divertido. Queremos ver mais disso pela pura e simples diversão de ver o circo pegar fogo.

Leia mais:   🔒 Patriots vencem em Chicago e provam que Trubisky não é a solução para os Bears

6. Os Raiders estão arriscando perder seu melhor jogador, o que é obviamente uma decisão estúpida. Os representantes de Mack não conversam diretamente com a organização desde fevereiro, e não existe atualmente uma proposta da mesma para estender o contrato do melhor jogador defensivo da temporada de 2016. Enquanto essa situação se alonga, Mack não participou dos minicamps e também está ausente dos training camps. Desde que Gruden assumiu o controle dos Raiders, cada decisão parece mais e mais questionável; no entanto, correr o risco de perder sua principal estrela consegue superar todos os níveis do absurdo.

7. Seja lá o que Buffalo quiser fazer no ataque em 2018, eu não acho que vá dar certo. O Felipe fez uma análise sobre a possível perda de LeSean McCoy para uma suspensão, e dado o desempenho dos quarterbacks na primeira semana de treinamentos, não há nenhuma razão para crer que os Bills terão um bom ataque na temporada que se avizinha. McCarron não é um grande quarterback, tampouco Nathan Peterman; a esperança seria Josh Allen, recém-draftado na sétima escolha geral, porém, Allen tem sido noício de sua carreira na liga o que muitos analistas apontavam: impreciso, inconsistente e desapontante.

8. Taylor Lewan é agora o tackle mais bem pago da NFL. Foi um bom contrato pra ambas as partes. Para Lewan, 80 milhões divididos em cinco anos é um valor bem justo: ele é ainda um jogador jovem e que vinha em ascensão nos últimos anos numa posição importantíssima; para os Titans, é importante garantir de antemão o principal protetor de Mariota, já que 2019 é o ano em que quarterback e organização negociarão uma extensão contratual – que não vai ser nada barata.

9. A coisa mais legal da primeira semana dos training camps foi ver Andrew Luck saudável novamente. Goste ou não dos Colts, ter um quarterback como Luck em campo é sempre agradável de se ver. Depois de todo o drama e o péssimo gerenciamento da lesão no o ombro do jogador por parte da organização, as notícias que surgem de Indiana aonde Andrew vem treinando muito bem são agradáveis de se ler, torcendo ou não por Indianapolis.

10. É pedir muito que você se interesse pela pré-temporada; vale a pena quando Lamar Jackson está em campo. Os titulares não costumam jogar por muito tempo na pré-temporada com exceção da terceira semana, então Jackson atuará por bastante tempo no Hall of Fame Game na quinta-feira. Lamar é o jogador perfeito para atrair interesse num jogo que de nada vale e dado seu desempenho recente nos treinamentos, vê-lo jogar será bastante divertido. Vale a atenção na quinta-feira.

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @Henrique_Bulio – e ainda, nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.