Uma senha sera enviada para seu e-mail

A coluna 10 opiniões é a forma de você rapidamente se inteirar sobre os principais assuntos da semana na NFL.

Postada toda quarta-feira com Henrique Bulio, inclusive durante a temporada regular da NFL e uma forma de você rapidamente ficar informado! Confira aqui o índice completo da coluna.

Ainda estamos em ritmo de pré-temporada e a segunda semana acabou de começar. Com os training camps se encerrando, os assuntos diminuindo e os jogos ao vivo acontecendo, já podemos começar a tirar conclusões do que vimos não só nos treinos, mas também em campo.

Antes disso, um lembrete: não deixe de assinar o PROClub. Nessa semana, começamos a publicar nossas prévias de temporadas e, modéstia a parte, estão sensacionais. A primeira delas foi aberta para todos os leitores, mas a grande maioria delas será fechada para os assinantes do site.




1- Se o jogo de ontem foi algum indicativo, (mais) um grande ano de Tom Brady está por vir. Era só pré-temporada, porém, Belichick manteve seu principal quarterback em campo por um tempo inteiro, e a conclusão óbvia é que mesmo com seus 41 anos, Brady claramente está em plena forma. Foram 19 passes completos de 26 tentados, 172 jardas e 2 touchdowns – estatísticas boas, desempenho também.

2. Por outro lado, Bill Belichick teve decisões bastante questionáveis na última noite e isso não pode ser ignorado. Não existe outro jeito de olhar para a decisão de passar a bola 26 vezes com Tom Brady além de pensar que foi um movimento bastante questionável. Ao fim da última temporada regular, foi evidente que o braço de Brady parecia um pouco cansado – a folga na primeira semana dos playoffs foi suficiente para resolver o problema. Não havia necessidade alguma de forçar tamanha carga já em agosto.

3. O torcedor dos Packers já pode se acostumar a conexão Rodgers-Graham na red. No duelo contra o Pittsburgh Steelers, Aaron Rodgers participou de apenas uma campanha (cof cof Bill Belichick cof cof); contudo, o torcedor dos Packers pode ficar bastante animado com o que viu.

Jimmy Graham será em 2018 o tight end que a equipe esperava que Martellus Bennett fosse, sendo uma ameaça principalmente na red. Na campanha em que Rodgers esteve em campo, os dois conectaram para um dessa forma.

4. Essa é uma opinião que eu mantenho há algum tempo e a pré-temporada vem reforçando: Nate Sudfeld é um quarterback melhor do que Nick Foles. Sudfeld possui um braço muito melhor, é mais atlético e tem um processamento mental muito mais desenvolvido.

Sim, Foles é e sempre será uma lenda na Philadelphia por conta da atuação mágica na última pós-temporada. A realidade, no entanto, é que os Eagles poderiam trocar seu reserva com a segurança de que Sudfeld seria um excelente backup – os treinadores, inclusive, sabem disso; porém, é difícil trocar o recente MVP do Super Bowl se o valor não for tão alto.

5. Não tenho certeza de como Sidney Jones vai encaixar no time dos Eagles num primeiro momento. A expectativa geral era de que Jones assumisse uma posição no outside junto de Ronald Darby e Jalen Mills transitasse para a função de nickel; entretanto, Mills parece ter assegurado (ou mantido, como preferir) a vaga oposta a Darby. Além disso, nos últimos treinos dos Eagles, Avonte Maddox foi quem trabalhou na função de nickel com o time titular, enquanto Jones trabalhava com a segunda unidade. Existe bastante potencial no jogador, claro, mas ele está longe de parecer um titular absoluto a esse ponto da temporada.

6. Darnold tem sido excelente nas primeiras semanas de pré-temporada, mas eu ainda não o colocaria como titular. O plano dos treinadores dos Jets tem sido bastante conservador com seu novo calouro, baseando-se apenas em passes curtos e rápidos.




Mesmo que Darnold tenha feito isso com maestria, essa aproximação conservadora está longe de provar que ele está pronto para ser titular – a coaching staff provavelmente seria mais agressiva se ele estivesse seguro nos passes longos, um de seus problemas desde USC. Todo o processo com Darnold tem sido bem feito, e é importante não apressá-lo.

7. Com isso em mente, os Jets deveriam colocar Teddy Bridgewater de titular na semana 1. Dentre as três opções possíveis (Darnold, Bridgewater e Josh McCown), o segundo é quem dá as melhores chances dos Jets obterem sucesso em 2018. Bridgewater aparenta estar completamente recuperado da gravíssima lesão no joelho, se movimentando muito bem no pocket e demonstrando precisão cirúrgica.

Leia mais: Jets devem/deveriam trocar Bridgewater – veja 8 times possíveis nessa troca

Existe a possibilidade dele ser trocado, claro – e não existem na liga 32 quarterbacks melhores do que Bridgewater. Seria um total desperdício se ele não fosse titular na primeira semana, seja em New York, seja em qualquer outro lugar.

8. A atuação de James Washington é de nos faz questionar como diabos os Steelers acham esses recebedores todos os anos. Washington terminou o jogo contra os Packers com 5 recepções, 114 jardas e 2 touchdowns – um deles de 54 jardas. Ao longo de todo o processo pré-Draft, o jogador foi bastante criticado e apontado como alguém que só tinha a velocidade como qualidade. Pittsburgh o selecionou no fim da segunda rodada, juntando-o com o melhor recebedor da liga em Antonio Brown e outra ameaça vertical jovem em JuJu Smith-Schuster.

Leia mais:   10 Opiniões: Seahawks no wild card e o efeito dominó da lesão de Fournette

É incrível pensar que, depois de uma chuva de críticas antes de sua seleção, os Steelers conseguiram mais um recebedor incrível para seu grupo.

Prévias de temporada – exclusivo de nossos assinantes: 
🔒 PRÉVIAS 2018: Luck de volta, mas como a defesa dos Colts pode lhe ajudar?
🔒 PRÉVIAS 2018: A janela de Eli Manning está fechando, será que os Giants ainda buscam?
PRÉVIAS 2018: Novo reboot, mas chegou a hora do Cleveland Browns finalmente render?

9. O outro jogador saindo de Oklahoma State, Mason Rudolph, teve uma noite… Não tão incrível assim. Rudolph começou o jogo contra os Packers como titular por conta das ausências de Ben Roethlisbeger e Landry Jones, e seu primeiro passe foi diretamente uma pick-six. Operando numa spread offense quando em Oklahoma State, Rudolph ainda precisa desenvolver muito seu processamento mental e sua leitura das defesas, algo que muito preocupava os analistas antes do Draft por conta do sistema ofensivo de sua universidade.

Por ora, Rudolph, que terminou com 5 passes completos em 12 tentativas, 47 jardas, 1 e 1 interceptação, se mostra longe de estar pronto para o nível profissional.




10. Washington tem de rezar para Samaje Perine estar 100% saudável na semana 1. O time já perdeu aquele que seria seu principal corredor para a temporada (Derrius Guice, na última semana) e, com a torção no tornozelo sofrida por Perine, Washington tem ainda mais problemas com seus running backs.

Chris Thompson é mais do que um third down back, Byron Marshall e Martez Carter são os famosos camp bodies e Robert Kelley não é bom o suficiente. A equipe não pode ficar sem mais um jogador importante na posição.

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @Henrique_Bulio – e ainda, nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.