Os melhores e piores: Os Prêmios da Semana 9 – Pro Football: NFL | Brasil | College | Futebol Americano
NFL

Os melhores e piores: Os Prêmios da Semana 9

Com uma cobertura cada vez maior e mais ampla aqui no site – como os palpites, guia da rodada, duelos individuais favoráveis – faltava um para fazer um apanhando geral elegendo os melhores e piores de cada semana. Aqui, vamos apontar vários jogadores que se destacaram positivamente e negativamente na quinta, no domingo e na segunda-feira de futebol americano! Prêmios são sempre um evento divertido – pelo menos eu adoro as noites de Oscar, Globo de Ouro e Emmys – e vamos tentar te entreter aqui também. Quem sabe cada categoria ganhe um apelido ao longo do tempo…

Antes de começarmos, tem alguma categoria que gostaria de ver na Semana 10? Procure o Twitter do @ProFootballBR (ou o meu, @MiceliPFB), que quem sabe colocamos aqui nas edições vindouras. Sem mais delongas, aos prêmios!

O melhor quarterback – Matthew Stafford, Detroit Lions

O signal caller do Detroit Lions mostrou a sua capacidade de decisão na vitória sobre os rivais do Minnesota Vikings. Perdendo por 16-13, com 23 segundos no relógio, Stafford comandou uma campanha de duas jogadas e um spike que deixou Matt Prater em condições de chutar um colossal field goal de 58 jardas e empatar a partida, levando para a prorrogação. No overtime, o camisa 9 sequer deixou os adversários tocarem na bola: em 12 jogadas, partindo da linha de 13 jardas do próprio campo, encontrou Golden Tate na end zone para selar a vitória.

Houve atuações que mereceriam o prêmio nesta semana – Eli Manning e Drew Brees para mencionar dois -, mas pela dificuldade de bater o Minnesota Vikings fora de casa, e numa situação de extrema pressão, Matthew Stafford leva o prêmio.

O pior quarterback – Case Keenum, Los Angeles Rams

O fato de Case Keenum ainda envergar a posição de titular na posição diz muito quanto ao (des)preparo de Jared Goff para a NFL.  Contra o Carolina Panthers, o signal caller não conseguiu fazer nada sob pressão, completando 41.2% dos passes nessas situações. A linha ofensiva não ajuda – 21 dos 50 dropbacks de Keenum tiveram pressão -, mas o camisa 17 não consegue produzir o suficiente para bater os adversários. Triste ver Aaron Donald se desdobrando do outro lado da bola apenas para o ataque ser medíocre semana após semana.

Menção honrosa aqui para Carson Wentz, cujas interceptações típicas de calouro comprometeram as chances de vitória do Philadelphia Eagles contra o New York Giants. Dou um desconto pela inexperiência, mas o camisa 11 caiu de produtividade desde que os coordenadores defensivos da liga conseguiram fita de jogo do quarterback.

Melhor jogador ofensivo (que não é quarterback) – Melvin Gordon, running back do San Diego Chargers

Se Melvin Gordon não anotou touchdowns em 2015, é porque ele estava guardando todos para esta temporada. Já são nove terrestres e dois aéreos, somando 11 na temporada – líder da NFL. Na vitória sobre o Tennessee Titans, o segundanista deixou sua marca com 196 jardas terrestres e 65 aéreas. Dessa 196, 103 vieram depois do contato, mostrando a força do running back. Foram seis tackles que erraram no camisa 28 – quatro como corredor e dois como recebedor – a melhor marca da NFL na Semana 9, então fica aqui este prêmio para o produto de Wisconsin.

Pior jogador ofensivo (que não é quarterback) – Donald Stephenson, tackle do Denver Broncos

Você viu o Khalil Mack no Sunday Night Football? Nem Stephenson, que depois de penar contra Joey Bosa na Semana 8, perdeu para o pass rusher em 13 das 42 situações de proteção de passe. O duelo do tackle com Mack era um dos duelos individuais que fariam a diferença nesse SNF, e assim foi. O jogador de linha ofensiva conseguiu ser pior ainda que os guards do Carolina Panthers, Trai Turner e Andrew Norwell, que foram massacrados por Aaron Donald.

Melhor jogador defensivo – Aaron Donald, defensive tackle do Los Angeles Rams

Um dos melhores jogadores defensivos não só da semana, mas de toda a NFL, Aaron Donald é o jogador que mais gera pressão em cima do quarterback – são quatro na frente de qualquer outro pass rusher. Sim, “qualquer outro pass rusher” inclui os edge rushers como Von Miller e Khalil Mack.

Na derrota para o Carolina Panthers, Donald gerou 11 pressões em cima de Cam Newton, colocando a linha ofensiva do time da NFC South em cheque e tornando a progressão ofensiva uma tarefa árdua. Menção honrosa para Khalil Mack, que teve a incrível marca de uma pressão em Trevor Siemian a cada 3.7 rushes, conseguindo dois sacks e oito hurries. Mais uma semana produtiva para o camisa 52 dos líderes da AFC West.

Pior jogador defensivo – Bradley Roby, cornerback do Denver Broncos

Depois de vencer o prêmio de melhor jogador defensivo da AFC na Semana 8, Roby fez o torcedor sentir saudade de Aqib Talib na derrota do Sunday Night Football. Foram 8 passes completos permitidos para 99 jardas, 54 deles para Amari Cooper. A cereja do bolo foram os três tackles errados e duas faltas cometidas.

Também não foi uma noite boa para outro Bronco, defensive end Jared Crick. Em 80 snaps jogados – maior marca da sua temporada, – Crick foi engolido pela linha ofensiva do Oakland Raiders, sem gerar uma pressão sequer.

Melhor jogo da rodada – Philadelphia Eagles contra New York Giants

Uma partida com muitos pontos, rivalidade numa divisão embolada (descontando o Dallas Cowboys) e uma história de quase-recuperação do lado dos Eagles. Vimos Eli Manning com uma partida segura distribuir o jogo para Odell Beckham Jr. e Sterling Shepard, Darren Sproles em grande forme e Carson Wentz quase mudando a cabeça do torcedor depois de um começo com dois turnovers.

Pior jogo da rodada – Dallas Cowboys atropelando o Cleveland Browns

Foi meio que um atropelamento, né? Sem muita resistência, o Dallas Cowboys rebocou o Cleveland Browns em ritmo de treino, com Dak Prescott mais uma vez desfilando precisão e eficiência para um número cada vez maior de armas ofensivas. E o Cleveland Browns garantiu uma campanha negativa pela nona temporada consecutiva.

#CollegeKickers – Blair Walsh, Minnesota Vikings

O extra point errado de Blair Walsh permitiu que o Detroit Lions chutasse o field goal de 58 jardas que empatou o jogo e levou para a prorrogação – resultando na derrota do Minnesota Vikings. O camisa 3 não tem sido o mesmo de anos atrás nesta temporada. Parece que o chute contra o Seattle Seahawks, na última pós-temporada, abalou a confiança do kicker para 2016.

Melhor calouro da rodada – Michael Thomas, wide receiver do New Orleans Saints

O envolvimento crescente de Michael Thomas no plano de jogo do New Orleans Saints culminou numa atuação firme do calouro. Presente em 83% dos snaps ofensivos – mais que Brandin Cooks ou Willie Snead -, Thomas teve 8 targets e cinco recepções para 73 jardas e dois touchdowns. É a quarta partida consecutiva com pelo menos cinco recepções e 63 jardas, mostrando que não é mais um jogador situacional, mas um alvo de confiança para Drew Brees.

Maior surpresa positiva – o envolvimento de Jason Witten, do Dallas Cowboys

Falem que é contra o Cleveland Browns, mas é muito bem-vinda a participação de Jason Witten na vitória por 35 a 10. No meio do frisson causado pelo duo de calouros Ezekiel Elliot e Dak Prescott, as atuações impecáveis da linha ofensiva, o veterano tight end mostrou mais uma camada de profundidade neste ataque.

Com 134 em oito recepções, além de um touchdown, vemos Prescott distribuindo melhor o jogo – semana passada foram as conexões com Dez Bryant, nesta com Jason Witten. Com Cole Beasley em boa forma e Elliott passando a régua nas defesas da NFL, o Dallas Cowboys pode terminar dezembro com a melhor campanha da NFC e o seed número 1 para a pós-temporada.

Maior decepção – o ataque do Green Bay Packers

Lambeau Field, Minnesota Vikings derrotado, uma defesa frágil como a do Indianapolis Colts e Aaron Rodgers. Hora de encostar em número de vitórias no líder da NFC North, correto? Bom, não foi o que aconteceu. O ataque do Green Bay Packers encontrou o seu ritmo no decorrer na partida, mas ainda assim faltou consistência ofensiva no geral.

Aaron Rodgers não teve a precisão que estamos acostumados. Em 52 dropbacks, foram 26 passes completos de 44 tentados para 267 jardas, com dois drops dos recebedores e quatro bolas jogadas fora. Em situações de pressão (12 dos 52 dropbacks), conseguiu dois passes completos de cinco tentados, tendo sofrido três sacks e jogado duas bolas fora. Em passes de mais de 20 jardas, foi apenas um completo de oito tentados. O camisa 12 ainda encontrou seu ritmo e fez jogadas cruciais para se aproximar no placar, mas a falta de ritmo pesou e o Green Bay Packers foi derrotado em seus domínios pelo Indianapolis Colts pela primeira vez desde 1988.

Monstro do Fantasy – Latavius Murray, running back do Oakland Raiders

Latavius Murray simplesmente rebocou a defesa do Denver Broncos, atropelando os adversários para entrar na end zone três vezes no triunfo no Sunday Night Football – além das 114 jardas conquistadas contra os rivais do Denver Broncos. Se você tinha o camisa 28 no seu time de Fantasy, só uma tragédia tira sua vitória nesta Semana 9.

Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

Os melhores e piores: Os Prêmios da Semana 9
Publicidade
Topo