NFL

Power Ranking, AFC: O Trono de Ferro da AFC West tem novo dono

O banho de sangue da AFC West ainda não começou e a Guerra dos Tronos foi apenas preliminar. Mas no Sunday Night Football da Semana 9, o mundo pode testemunhar o que já estamos falando desde março: o Oakland Raiders iria dar um salto de produtividade neste ano. Sim, a defesa ainda tem problemas; Mas o ataque é forte, talvez um dos mais fortes da NFL neste ano. Ao contrário do que pensamos que aconteceria, quem comandou a vitória de Oakland foi sua linha ofensiva, jogando de maneira física contra uma defesa (desfalcada) que se orgulha justamente de possuir fisicalidade como poucos times na liga.

Os Raiders agora são o time “dos mortais” a ser batido. Mesmo de bye week, é difícil tirar o New England Patriots da ponta. No restante da Conferência, os Ravens – que tiveram a volta de vários jogadores lesionados, como Marshal Yanda, Terrell Suggs, Ronnie Stanley e C.J. Mosley – tiveram a maior subida de nosso ranking nesta semana. O ataque ainda deixa a desejar, mas Big Ben saudável ou não, a defesa de Baltimore tem méritos.

No miolo do ranking não houve muitas mudanças. Afinal de contas, já há algumas semanas temos os Patriots, a AFC West, um bolo de candidatos a Wild Card e os lanternas da conferência.

Dividimos o Power Ranking da Conferência Americana para 4 redatores. A AFC West fica comigo, a East com João Maurício Souza, a North com Gabriel Moralez e a South com João Henrique Macedo. Este que vos escreve, além da AFC West, fica com a edição e a “cabeça” dos textos. Bem como escolher uma manchete para o texto – a qual, na AFC, está sendo um calvário já que quase nada muda.

Para quem não acompanhou a razão desta divisão entre conferências, a explicação está no primeiro texto da série. Faz muito mais sentido separarmos por Conferências, dado que a “chave” para os playoffs é separada e os times tem só 25% do calendário contra franquias da outra conferência. Sem mais delongas, acompanhe o ranking para as equipes da NFC. Mais tarde teremos a Conferência Americana. Ao final do texto também está a classificação por divisão que não reflete os standings da NFL, mas a ordem do PR. Também colocamos as chances de Playoffs (em porcentagem e entre parênteses) com os dados do Playoff Status.

  • Maior Subida: Ravens (+6)
  • Maior Queda: Bills e Bengals (-4)
  • Subiram: Raiders, Chiefs, Dolphins, Ravens, Colts
  • Caíram: Steelers, Bills, Bengals, Titans, Broncos
  • Mantiveram-se na mesma posição: Patriots, Chargers, Texans, Jets, Jaguars
  • Já Eliminados Matematicamente: Browns
  • Já Classificados Matematicamente: Nenhum
  • Folgaram na Semana 9: Bengals, Texans, Patriots

16- Cleveland Browns (0-9) (0%) –

O Cleveland Browns está eliminado da temporada 2016. Com efeito, não temos mais parágrafos sobre para não chover no molhado.

15- Jacksonville Jaguars (2-6) (2%) –

É, Jaguars. Agora que Cleveland foi eliminado da corrida para os playoffs, a equipe de Jacksonville assume a “lanterna” do nosso ranking. Mais uma derrota, desta vez para os Chiefs (que estavam sem seu quarterback titular, Alex Smith), na qual o ataque dos Jaguars pareceu travado, sem ritmo (convenhamos que essa frase não é nenhuma novidade).

Neste momento, é bem difícil imaginar qualquer possibilidade de recuperação para a equipe na temporada, que deve terminar com uma limpeza geral em Jacksonville, com saída de técnico, General Manager e, quiçá, também do quarterback.

14- New York Jets (3-6) (3%) –

Após duas vitórias consecutivas, os Jets voltaram à realidade com a derrota para os rivais de Miami. Com isto, a equipe de New York se encontra isolada na última colocação da AFC East e não existem mais motivos para continuar com a farsa chamada Ryan Fitzpatrick.

É hora de Todd Bowles ver o que tem em Bryce Petty e começar a olhar para o futuro da franquia. É melhor deixar o jovem quarterback fazer sua estréia em um jogo disputado contra os ineptos Rams de Jeff Fisher do que jogá-lo de cara em um massacre contra os Patriots após a bye week.

13- Tennessee Titans (4-5) (12%) -3

O Tennessee Titans é uma equipe difícil de ser compreendida. No momento em que o ataque começa a mostrar evolução, tanto esquemática (com mais liberdade para o quarterback Marcus Mariota) quanto de performance, a defesa começa a fraquejar. É certo que o San Diego Chargers tem um ataque produtivo, mas 43 pontos, como os Titans levaram no jogo do último domingo, é um pouco demais. Na semana 10, os Titans têm um jogo difícil, em casa contra Green Bay. Certamente após este jogo poderemos compreender melhor para que lado a equipe vai.

12- Cincinnati Bengals (3-4-1) (28%) -4

Bye week. Mas, explicando a queda: a Semana 9 representou cenários terríveis para Cincinnati. Os Ravens – contra os quais provavelmente os Bengals poderiam disputar uma vaga pelo Wild Card – venceram os Steelers (para quem os Bengals já têm uma derrota). Além disso, os Dolphins continuam em ascensão e tirando Denver, a AFC West inteira venceu jogos. Isso complica demais a vida de Cincinnati pelo restante da temporada.

11- Buffalo Bills (4-5) (13%) -4

Após um excelente começo de temporada, os Bills perderam três partidas consecutivas. A última delas foi a derrota por 31 a 25 em Seattle, um resultado normal, mas cujos efeitos são maximizados pela péssima campanha recente. Pelo menos Buffalo está de folga nesta semana e pode focar em lamber suas feridas – leia-se deixar LeSean McCoy mais saudável – e tentar deixar o passado para trás.

Os Bills ainda têm time para brigar por uma vaga de Wild Card, mas não podem mais se dar ao luxo de perder partidas, como fizeram contra os rivais Jets e Dolphins.

10- Indianapolis Colts (4-5) (17%) +2

Os Colts conquistaram uma grande vitória na semana 9, vencendo os Packers no Lambeau Field. Chamou a atenção a intensidade da equipe, particularmente no time de especialistas.

Além disso, a tão criticada linha ofensiva fez um bom trabalho ao proteger Andrew Luck. Indianapolis ainda tem muitos problemas, dentro e fora de campo, mas, sem sombra de dúvida, entra na semana de folga em ascensão, prometendo brigar com os Texans até o final da temporada pelo título da divisão. Lembrando que ainda falta um jogo contra os Texans lá no Lucas Oil Stadium.

9- Houston Texans (5-3) (80%) –

LEIA TAMBÉM  Os Ricos podem ficar ainda mais Ricos: Jimmy Garoppolo vai para onde?

Bye Week; Mas algumas considerações, dada a vitória dos Colts: Após a folga na semana 9, os Texans mantêm a liderança da Divisão Sul da Conferência Americana. A equipe deve manter sua posição nesta semana, pois enfrentam os cada vez mais confusos Jaguars. As perspectivas a médio prazo, entretanto, seguem ruins para Houston.

Com muita irregularidade, particularmente no ataque, a equipe dos Texans deve manter sua dificuldade em enfrentar equipes fortes – principalmente fora de casa. Além disso, os Colts parecem estar evoluindo durante a temporada, podendo trazer ainda mais problemas para a equipe texana.

8- Miami Dolphins (4-4) (21%) +3

As coisas estão indo muito bem para os Dolphins. Não só a equipe de Miami vem de três vitórias consecutivas, como enfrenta o San Diego Chargers, o Los Angeles Rams e o San Francisco 49ers nas próximas três semanas – jogos que o time tem ótimas chances de vencer.

A boa sequência de resultados colocou Miami na corrida por uma vaga de wild card, algo inimaginável até algumas semanas atrás. O motivo? Sua linha ofensiva, repleta de jogadores selecionados na primeira rodada do Draft, finalmente se entrosou, e tem usado sua vantagem de tamanho – quatro dos cinco titulares eram originalmente tackles – para atropelar as linhas defensivas adversárias, se tornando a melhor unidade no jogo corrido em toda a liga.

7- Baltimore Ravens (4-4) (35%) +6

Mais um domingo, mais uma apresentação não muito empolgante do ataque de Baltimore. O único touchdown ofensivo da equipe aconteceu quando Mike Wallace transformou um passe curto em um avanço de 95 jardas. Flacco foi de novo inconsistente e o jogo terrestre quase inexistiu (29 carregadas para 50 jardas). Por outro lado, a defesa e os special teams garantiram o triunfo sobre Pittsburgh. Os especialistas bloquearam um punt no último quarto e levaram a bola para a end zone, Justin Tucker acertou os dois field goals que tentou (junto com Adam Vinatieri, ele é o único kicker com 100% de aproveitamento em 2016) e a defesa anulou o ataque dos Steelers. 

Do outro lado da bola, as boas notícias. Sim, Roethlisberger estava machucado, mas méritos defensivos de Baltimore também – até pela volta de alguns titulares importantes, tal qual C.J. Mosley e Terrell Suggs. A vitória colocou Baltimore no topo da AFC North, superando os Steelers nos critérios de desempate (ambos os times estão 4-4). Mesmo com todos os seus problemas ofensivos e com quatro derrotas seguidas até o domingo passado, os Ravens continuam vivos na briga pela divisão.

6- San Diego Chargers (4-5) (14%) –

O San Diego Chargers me lembra o Chuck Norris ou qualquer outro ator de filme no qual o cara não morre nunca. A equipe tem duzentas milhões de lesões e mesmo com campanha negativa há algum tempo, não morre. Sim, as chances matemáticas são baixas, mas os Chargers ainda podem se classificar. A AFC West em dezembro vai ser um banho de sangue e alguém pode ficar de fora – e esse alguém pode não ser San Diego.

LEIA TAMBÉM  Draft? Free Agency? Combine? Entenda os principais termos da intertemporada (offseason) da NFL

Alguns pontos sobre esta semana; Primeiro, o efeito colateral do Condado de San Diego nas Eleições 2016: os eleitores da região votaram em maioria no NÃO para a construção de um novo estádio em San Diego com dinheiro público. E o segundo, mais positivo, é que Dean Spanos, o dono do time, disse que não vai mencionar nada sobre o assunto “mudança de cidade” até a temporada acabar. Ainda bem, porque mudança de cidade dinamita de vez a campanha de um time – vide Browns em 1995.

5- Pittsburgh Steelers (4-4) (49%) -2

Pittsburgh se arriscou ao apressar a volta de Ben Roethlisberger para ele entrar em campo contra os Ravens e, no final das contas, a aposta não deu certo. E, sim, existe uma estatística para jogos nos quais Ben Roethlisberger volta de lesão. Ele está com duas vitórias e seis derrotas nesses jogos, com 10 touchdowns e 11 interceptações. O quarterback mostrou que ainda não estava com condições físicas ideias e o ataque inteiro do time rendeu abaixo do esperado – por exemplo, foram apenas 66 jardas totais na primeira etapa, pior marca com Big Ben under center desde 2009. Os Steelers só foram anotar seus primeiros pontos no último quarto, quando o confronto já se encontrava 21 a 0 e virtualmente perdido.

A derrota diante de Baltimore é bastante significativa pois, além de ser um duelo de muita rivalidade, significou a perda da liderança na AFC North para os próprios Ravens. Agora somando três derrotas consecutivas e o record 4-4, chegou o momento de Pittsburgh acender a luz de emergência. E o próximo compromisso não promete ser nada fácil: Dallas Cowboys, em casa.

4- Kansas City Chiefs (6-2) (81%) +1

Tá, foi com o reserva e contra os fracos Jaguars, mas eles deram conta do recado. Justin Houston ainda pode voltar para a reta final da temporada e para o momento no qual os pass rushers são ainda mais importantes, os playoffs. Alex Smith volta também, já no domingo.

Os Chiefs são um time voando sob o radar de todo mundo e eu não duvido absolutamente nada que eles podem ir longe sendo que ninguém espera e torce o nariz para o futebol americano pragmático que apresentam semana sim, semana também. Olho neles.

3- Denver Broncos (6-3) (57%) -1

Houve (e há) lesões na defesa? Sim. A saída de C.J Anderson limitou o ataque (que já não era aquelas coisas)? Também. Mas a impressão que passa, no final das contas, é que o trono de Westeros da AFC West agora é de Oakland. O problema pára Denver é que o retrovisor tem dois times querendo brigar por Wild Card agora que o líder da divisão chama-se Raiders: Kansas City, um time bastante subestimado e San Diego, um time motivado e que não quer morrer nunca na briga pela pós-temporada.

Para complicar ainda mais, os Broncos viajam para New Orleans e terão o difícil trabalho de limitar Drew Brees a menos de 300 jardas – talvez a única forma de parar os Saints. Fora de casa e com lesões na defesa, a tarefa é ingrata. Vejamos o que o futuro nos reserva.

2- Oakland Raiders (7-2) (90%) +2

Que vitória espetacular para o torcedor dos Raiders. Não, eles ainda não ganharam o Super Bowl com essa vitória, mas vencer Denver no primeiro jogo do ano com transmissão nacional nos EUA é um feito importante para a moral da equipe.

O mais curioso é que a vitória não veio pelas mãos de Derek Carr, como a gente imaginava antes do jogo rolar. Sim, ele vem sendo o líder da nova geração de quarterbacks da NFL, mas o plano de jogo de Jack del Rio – outrora técnico assistente em Denver, vale lembrar – foi acima da média. Foi situacional e belichiquesco. Dane-se que o melhor jogador dos Raiders era Carr: os Raiders iriam encontrar a forma mais fácil de vencer Denver. E dadas as lesões dos Broncos na defesa, essa forma é pelo chão e com uma linha ofensiva bastante subestimada (que facilmente está entre as cinco melhores da NFL).

Oakland se torna o time a ser batido dentre os mortais. Isso, claro, exclui o….

1- New England Patriots (7-1) (99%) –

Bye week (mas se tivessem jogado contra alguém, eles teriam vencido).


Por Divisão:

AFC East:

  1. New England Patriots
  2. Miami Dolphins
  3. Buffalo Bills
  4. New York Jets

AFC North:

  1. Pittsburgh Steelers
  2. Baltimore Ravens
  3. Cincinnati Bengals
  4. Cleveland Browns (eliminado)

AFC South:

  1. Houston Texans
  2. Indianapolis Colts
  3. Tennessee Titans
  4. Jacksonville Jaguars

AFC West:

  1. Oakland Raiders
  2. Denver Broncos
  3. Kansas City Chiefs
  4. San Diego Chargers

Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

Power Ranking, AFC: O Trono de Ferro da AFC West tem novo dono
Publicidade
Topo