Entre em contato

NFL

Kickoff: Semana 11 tem Elliott vs a defesa dos Ravens: confira o guia para este domingo

Kickoff: Semana 11 tem Elliott vs a defesa dos Ravens: confira o guia para este domingo

A melhor defesa contra o jogo terrestre da NFL, o Baltimore Ravens (5-4) viaja a Dallas para enfrentar os Cowboys (8-1) e o melhor jogo terrestre da NFL. Indiscutivelmente este é o principal duelo desta partida: conseguirão os Ravens formular um jeito de parar Ezekiel Elliott e não serem atropelados pela linha ofensiva dos Cowboys?

Baltimore cede uma média de 71,3 jardas por jogo pelos oponentes quando eles optam pela corrida. Dallas ganha uma média de 161 jardas terrestres por partida pelo chão. Na última vez que isso aconteceu – Dallas contra a melhor defesa terrestre da liga – o calouro ofensivo do ano (já estou dando o prêmio para ele, acho que nesta altura do campeonato eu posso), Ezekiel Elliott, comeu a defesa de Green Bay à milanesa. Será que também será assim nesta semana contra Baltimore?

Falando na equipe de Maryland, as lesões continuam sendo o problema por lá. C.J Mosley, um dos mais sólidos inside linebackers da liga, tem problema na coxa e está listado como questionável para a partida. Terrell Suggs deve jogar, mas vale ressaltar que ele não treinou nesta semana e o injury report dos Ravens lista como “-” seu status para a partida – com efeito, só saberemos se a defesa dos Ravens estará completa ou não antes da partida.

Neste sentido, uma estatística bem interessante: considerando a segunda metade da temporada, desde 1970 os times com uma das três melhores unidades ofensivas da liga têm 80 vitórias contra 51 vitórias dos times com uma das três melhores unidades defensivas da liga. É aquele negócio: por mais que “defesas ganhem campeonatos”, ainda estamos na temporada regular e agora, bem, agora ataques ganham jogos.

Como história suplementar a este jogo, impossível esquecer da decisão feita nesta semana em Arlington: Dallas escolheu seu quarterback titular e pela primeira vez desde 2006 ele não se chama Tony Romo. Considerando que a partida é uma das raras ocasiões nas quais a CBS pode transmitir os Cowboys nos Estados Unidos, Romo será mostrado em todo e qualquer – ou tipo isso – erro ou acerto de Dak Prescott.

  • O jogo com um festival de pontos deve ser: Patriots @ 49ers. Para os Patriots, no caso. A menos, claro, que Bill Belichick evoque a “carta situacional” e, sabendo que a defesa terrestre de San Francisco é uma mãe, corra com a bola como se não houvesse amanhã. Caso este seja o caso, New England viaja com velocidade de cruzeiro rumo à vitória.
  • O jogo que não vai passar na TV brasileira mas deve ser legal: Dolphins @ Rams. Ou Jared Goff estreia bem ou será amassado pelo front seven dos Dolphins. A possibilidade número dois é maior.
  • Fique de olho: Em como o Green Bay Packers vai se portar hoje, fora de casa, em audiência nacional do Sunday Night Football. Washington deve vir sedenta para se vingar da eliminação nos playoffs do ano passado, também no FedEX Field.
  • Parece que vai ser chato, mas o equilíbrio pode ajudar a ser uma partida legal: Titans @ Colts. Quem vencer aqui se torna o “contender” da AFC South contra os Texans, que devem perder amanhã contra Oakland.
  • Fuja: Chicago Bears @ New York Giants. Ugh. Nem preciso dizer que dá pra colocar a narração do 7 a 1 em cima desse jogo se ele passasse na TV brasileira neste domingo. Os Giants vem embalados e o elenco dos Bears tem mais buracos que um queijo suíço.

As lesões mais importantes antes da Semana 11

Todos os jogadores aqui listados estão marcados como “questionáveis para jogo” de acordo com o injury report oficial da NFL. Ou seja, questionáveis = 50% de chance e a decisão de jogar ou não deve ser feita logo antes das partidas.

  • Dallas: Dez Bryant (WR, costas), DeMarcus Lawrence (DE, costas), Tyron Smith (LT, costas, quadril). Bryant deve jogar.
  • New England: Rob Gronkowski (TE, pulmão perfurado – sério – não joga). Martellus Bennett (TE, tornozelo), Julian Edelman (WR, pé).
  • Washington: DeSean Jackson (WR, ombro)
  • Kansas City: Justin Houston (OLB, joelho), Marcus Peters (CB, quadril)
  • Arizona: Tyrann Mathieu (S, ombro), Deone Bucannon (S, tornozelo)
  • Baltimore (olha quantos): Tymmy Jernigan (DT, ombro), Kamalai Correa (LB, coxa), C.J Mosley (ILB, coxa), Marshal Yanda (G, ombro), Elvis Dumervil (LB, pé, duvidoso*), Jimmy Smith (CB, costas, duvidoso*).
  • Buffalo: Marcell Dareus (DT, virilha)
  • Chicago: Pernell McPhee (OLB, joelho)
  • Detroit: Ezekiel Ansah (DE, tornozelo)
  • Miami: Jarvis Landry (WR, ombro)
  • Los Angeles: Todd Gurley (RB, coxa), Robert Quinn (DE, desidratação)
  • San Francisco: Torrey Smith (WR, ombro)
  • Philadelphia: Zach Ertz (TE, parte posterior da coxa), Jordan Matthews (WR, costas)
  • Green Bay: Clay Matthews (LB, parte posterior da coxa)


“RODAPE"

Os favoritos em Las Vegas: 

Abaixo quais times são favoritos nas bolsas de apostas. As linhas estão de acordo com o que foi postado no domingo, 20 de novembro, às 10h, lá na SportingBet. A linha funciona assim: onde está o “-x” significa por quantos pontos dado time, de acordo com a bolsa de apostas, é favorito. Se é (-7), significa que Vegas considera esse time favorito por 7 pontos.

  • Tennessee at Indianapolis (-2)
  • Buffalo at Cincinnati (-2,5)
  • Arizona at Minnesota (-2)
  • Chicago at New York (-7)
  • Jacksonville at Detroit (-6)
  • Baltimore at Dallas (-7)
  • Tampa Bay at Kansas City (-7)
  • Pittsburgh (-8) at Cleveland
  • Miami (-1,5) at Los Angeles
  • Philadelphia at Seattle (-6,5)
  • New England (-12) at San Francisco
  • Green Bay at (-3) Washington
  • Houston vs Oakland (-6)

Duelos importantes da Semana 11 | por Eduardo Miceli

1 – Fútbol Americano en español: Khalil Mack tentará levar pressão até Brock Osweiler – no México

O Monday Night Football é especial nesta Semana 11. O Houston Texans viaja – assim como o Oakland Raiders, que vão para o México disputar a 10ª partida das equipes em 2016. Queria começar a falar deste duelo entre a pressão de Khalil Mack e o quarterback Brock Osweiler com o seguinte dado: nas últimas três semanas, Lamar Miller tem tido mais jardas terrestres por tentativa (4.65) do que Brock Osweiler por passe tentado (4.29).

Se isso não é representativo do ano terrível que o camisa 17 dos Texans está tendo, eu não sei como colocar. E essa semana ele enfrenta um dos melhores pass rushers da liga, Khalil Mack. O seu right tackle, Chris Clark, não tem sido o mais sólido em 2016, então podemos esperar que Osweiler encare aquele 52 em preto e prata com frequência na próxima segunda-feira.

Mack teve duas brilhantes partidas antes de sua bye na Semana 10. Contra o Denver Broncos, o pass rusher conseguiu pressionar Trevor Siemian em um a cada 3.7 rushes, terminando aquele Sunday Night Football com dois sacks e oito hurries. Deve ajudar Khalil Mack, ainda, a melhora dos seus companheiros na pressão: Bruce Irvin e o calouro Darius Latham subiram de produção desde a Semana 8.

Promessa de noite longa para o quarterback de 73 milhões de dólares, Brock Osweiler. Ele vai ter que se livrar rápido da bola…

2 – Jared Goff, finalmente, mas contra o front seven do Miami Dolphins

A carreira de Jared Goff já começa com um grande desafio contra uma defesa do Miami Dolphins em ascensão. A lógica para frear o Los Angeles Rams tem sido a seguinte, conforme colocou o hall of famer Eric Dickerson: “você para o número 30, colocando mais homens no box. E aí você desafia o camisa 17 a passar. Nós não acreditamos no 17. Ele pode passar para um, quem sabe até dois touchdowns, com sorte.”

Resumidamente: sem Gurley, o ataque do Los Angeles Rams jamais prosperaria com Case Keenum under center. A esperança é que com o camisa 16 de titular, o talento que justificou a primeira escolha geral de 2016 se sobressaia à dificuldade da linha ofensiva dos Rams. A unidade não tem conseguindo nem proteger seu quarterbacknem garantir um espaço limpo para Todd Gurley iniciar suas corridas – ele geralmente sofre hits atrás da linha de scrimmage.

A precisão de Goff em lançar bolas profundas pode ser explorada por seus recebedores Kenny Britt e Brian Quick, mas para tanto ele precisa ter conforto e tempo no pocket – e ele não pareceu muito confortável na pré-temporada. Nos jogos pré-temporada regular, Jared Goff só lançou dois passes longos nos seus 56 dropbacks. Desses passes, nenhum foi completo. Sob pressão em 20 desses recuos, foram apenas 4 passes completos, 41 jardas e uma interceptação.

Para piorar, a estreia é contra uma defesa que tem sido agressiva nas últimas semanas. Com quatro vitórias consecutivas, o defensive tackle Earl Mitchell teve três hurries em cima de Philip Rivers na última partida. Os edge rushers Mario Williams e Cameron Wake tiveram juntos 10 hurries e três sacks na partida. Isso sem nem falar da pressão que Ndamukong Suh coloca na linha ofensiva adversária…

Não acredito que Goff será tão fraco quanto na pré-temporada. Dez semanas na NFL são bastante tempo para estudar, aprimorar o essencial para não ser catastrófico. Não posso esperar, também, que já jogue no nível de seus companheiros de classe Dak Prescott e Carson Wentz. A verdade é que será um prazer poder ver a primeira escolha geral do Draft de 2016 em campo pela primeira vez na temporada regular, e com um desafio já colossal.


“RODAPE"

3 – Matthew Stafford precisa bater a secundária do Jacksonville Jaguars para manter a liderança da NFC North

Sim, a liderança da NFC North. É mais por esse aspecto que escrevo do que pelo duelo individual em si – por mais que a secundária do Jacksonville Jaguars tenha, sim, sido eficiente. O nickelback Aaron Colvin vem de uma boa semana na derrota para o Houston Texans e o seu companheiro de posição, Prince Amukamara, tem sido um sólido nome da unidade defensiva. O resultado tem sido a 4ª melhor marca da liga em jardas aéreas cedidas, com apenas 1.833 em nove partidas.

Cabe a Matthew Stafford e suas perfomances magníficas em situações adversas bater essa firme cobertura aérea. Há algumas semanas, detalhei a evolução do camisa 9 em 2016, e ele teve outra virada maravilhosa em cima do Minnesota Vikings antes da sua bye, na Semana 9.  A expectativa é que Blake Bortles não consiga castigar a defesa do Detroit Lions, visto que o camisa 5 não tem conseguido explorar os bons matchupscomo se esperaria de um titular na NFL.

Posto isso, a vitória garante a liderança da NFC North por mais uma semana. Com o Minnesota Vikings em queda-livre, o Green Bay Packers mostrando que tem alguma engrenagem sem óleo lá em Wisconsin e o Chicago Bears tendo que lidar com Jay Cutler under center (até quando?), a divisão está para quem quiser pegar. E Matthew Stafford pode surpreender todos os analistas – e até muitos torcedores – e levar a NFC North na temporada de 2016.

4 – Russell Wilson mantém a forma contra o pass rush do Philadelphia Eagles? 

Tantos duelos interessantes nesta partida, elejo então um jogador que queimou o New England Patriots na casa dos tetracampeões do Super Bowl. Russell Wilson teve 348 jardas e três touchdowns na vitória que mostrou que o Seattle Seahawks é uma força a ser temida na NFL.

Duas observações sobre a perfomance do camisa 3 são relevantes para a próxima partida: a primeira é que Wilson ainda não está com a mesma mobilidade que estamos acostumado, e com um pass rush mais agressivo, isso pode causar mais problemas. Ainda assim, os sinais de melhora são visíveis, e a escolha de terceira rodada de 2012 mostrou mais facilidade em escapar do pocket e, com a tradicional paciência, encontrar seus recebedores. O que nos leva ao segundo ponto: sua linha ofensiva.

A linha ofensiva do Seattle Seahawks não é um primor, digamos assim. A sorte é que Wilson é absolutamente brilhante lidando com a pressão: ele completou 71.4% dos seus passes under pressure, anotando 143 das 348 jardas nesses passes, além de dois dos três touchdowns. Claro, ele sofreu sacks (3), mas conseguiu ser produtivo.

Contra um pass rush que vem de uma ótima semana contra a linha ofensiva do Atlanta Falcons – um dos pilares da boa campanha da equipe da NFC South -, a linha do Seattle Seahawks tem um grande desafio diante do front seven do Philadelphia Eagles. Destaque para Mychal Kendricks, linebacker que foi eficiente em todos os fundamentos contra um ataque poderoso. Fletcher Cox, alicerce dessa linha defensiva, pressionou Matt Ryan seis vezes em 31 oportunidades – basicamente em 20% das jogadas. A mobilidade de Russell Wilson será colocada à prova no próximo domingo, numa das partidas mais promissoras para os entusiastas do aspecto defensivo do futebol americano.

5 – Qual versão da defesa do Minnesota Vikings vai aparecer para frear David Johnson? 

Até muito pouco tempo alçada como uma das melhores unidades defensivas da liga, quiçá a melhor, o Minnesota Vikings começou a ceder espaços e perder partidas. São quatro consecutivas depois de um começo arrasados com 100% de aproveitamento. A equipe teve alguns baques que respondem parcialmente à performance ruim contra Washington: a saída de Eric Kendricks, linebacker, afetou negativamente a defesa contra o jogo terrestre, deixando o nose tackle Linval Joseph isolado.

safety Harrison Smith também tem errado tackles nas últimas semanas: em três, foram sete, a mesma marca de 2015 inteiro (!). Contra um jogo terrestre que tem sido máquina – David Johnson tem uma inteligência dentro de campo que é acima da média, no mínimo -, o Minnesota Vikings precisa da imponência e força defensiva que mostrou nas cinco primeiras semanas da temporada.

6 – Vestibular em Wisconsin: Mike McCarthy precisa dar ritmo ao ataque do Packers contra Washington

Sim, o duelo individual vai para o head coach do Green Bay Packers. Não vou nem entrar no mérito do atropelamento que sua secundária sofreu nas mãos de Marcus Mariota no último domingo, mas falar das dificuldades ofensivas. A equipe continua deixando aquele gostinho de “tem algo que não está batendo aí”. Há quem culpe inteiramente Aaron Rodgers, mas mesmo quando o jogador tem tempo para passar a bola, os recebedores ficam isolados na marcação. São poucas rotas que combinam entre si, com cortes rápidos para o meio, buscando fazer o defensor escolher quem marcar e deixando o outro livre.

A defesa de Washington conta com bons valores, mas ainda não é um grupo de elite. O Green Bay Packers tem as armas para bater a equipe e reencontrar as vitórias, mas isso envolve um plano de jogo inteligente, e não apenas uma confiança cega no camisa 12 do Green Bay Packers.

Jogo rápido para o Fantasy Football, por Eduardo Miceli

1 – O que fazer com a suspensão de Alshon Jeffery?

Em algumas ligas busquei adquirir o camisa 17 do Chicago Bears pelo bom matchup e a química com Jay Cutler. Com o quarterback se mostrando mais uma vez inconsistente, eu acho arriscado apostar as fichas em Cameron Meredith ou Eddie Royal. Meredith tem o porte de outside receiver, o que pode dar a impressão de que ele tomará o volume que Jeffery teria. Por outro lado, Eddie Royal tem uma conexão forte com Cutler desde a época de Denver Broncos. Honestamente, eu evitaria confiar nesse corpo de recebedores

2 – Mais uma semana excelente para o líder em touchdowns da NFL

LeGarrette Blount, running back do New England Patriots, lidera a liga em touchdowns terrestres. São 12 na temporada, três a mais que o calouro-sensação Ezekiel Elliott. Em  jardas, Blount fica em 9º. Essa semana o time de Tom Brady e companhia enfrenta a defesa do San Francisco 49ers, a pior da NFL contra o jogo terrestre. Escalem seus Blounts!

3 – Defesa da rodada: Pittsburgh Steelers

Sim, pois enfrentar um Cleveland Browns com restrospecto 0-10 é bem promissor para qualquer equipe. Aliás, se vocês procuram defesas, escalar os times que enfrentam o Minnesota Vikings e Houston Texans são boas opções enquanto esses dois times continuarem a ter dificuldades ofensivas. Nessa Semana 11, são as defesas do Arizona Cardinals e Oakland Raiders, respectivamente.

4 – James Starks

Houve dúvidas quanto às condições de jogo de James Starks para a partida contra o Tennessee Titans na última semana. Entretanto, o running back entrou saudável, teve participação no jogo aéreo e terrestre. A defesa de Washington tem cedido touchdowns terrestres, então vale a torcida por um repeteco da atuação do camisa 44 contra eles lá em 2013: 132 jardas e um touchdown, na Semana 2 daquela temporada.

5 – O talento de Steve Smith Sr.

A volta de Steve Smith Sr. à titularidade lá em Baltimore ajudou e muito o time dos Ravens. Joe Flacco precisava de um jogador veterano que briga por cada bola, cada espaço disputado. Posto isso, acredito que o valor do wide receiver ainda é subestimado – no Fantasy, claro. Ele, em semanas ruins, deve ser um wide receiverdois pelo volume que recebe de Flacco. 14 targets em duas partidas desde que voltou. Em semanas boas, pode ultrapassar o teto do seu recebedor de elite.

Palpites da rodada | Por Murilo Romulo

Leia os motivos em cada neste texto; Em vermelho, nossos palpites para cada partida

  • Steelers @ Browns
  • Ravens @ Cowboys
  • Jaguars @ Lions
  • Titans @ Colts
  • Bills @ Bengals
  • Buccaneers @ Chiefs
  • Bears @ Giants
  • Cardinals @ Vikings
  • Dolphins @ Rams
  • Patriots @ 49ers
  • Eagles @ Seahawks
  • Packers @ Washington
  • Texans @ Raiders

Transmissões da NFL na Semana 11

Domingo, 20 de novembro

16h HV/15h N/NE –  Baltimore Ravens @ Dallas Cowboys – ESPN
16h HV/15h N/NE – Arizona Cardinals @ Minnesota Vikings – Esporte Interativo
19:25h HV/18:25h N/NE – Philadelphia Eagles @ Seattle Seahawks – ESPN +
19:25h HV/18:25h N/NE – New England Patriots @ San Francisco 49ers – ESPN
23h25 HV/22:25 N/NE – Green Bay Packers @ Washington – ESPN e Esporte Interativo (SNF)

Segunda-feira, 21 de novembro:

23h25 HV/22:25 N/NE – Houston Texans vs Oakland Raiders – ESPN (MNF, direto do México)

Folgam na Semana 10: Atlanta, Denver, NY Jets, San Diego (veja aqui as semanas de folga)

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @CurtiAntony, ou nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.


“RODAPE"

Mais em NFL