Entre em contato

NFL

Power Ranking, AFC: Aí vem os Dolphins

Power Ranking, AFC: Aí vem os Dolphins

Talvez a última vez que o torcedor dos Dolphins tenha ficado empolgada assim fora em 2008, quando a formação Wild Cat ateou fogo na NFL tal qual a pistol com read option faria em 2012. A cena de Bill Belichick, com aqueles agasalhos que ele nasceu usando, suando, sofrendo e travado na side line cristalizou na memória do torcedor. Desde então, já foram alguns treinadores, alguns técnicos e nada dos Dolphins voltarem ao auge daquele ano ou dos anos de Marino.

A segunda metade da temporada de 2016 não se compara aos exemplos acima, claro. Mas talvez este ano seja a primeira vez em muito tempo que o torcedor do Miami Dolphins não tem motivos para reclamar da vida. O início foi ruim – muito por conta da ausência de jogo terrestre forte e calendário complicado. O momento atual é maravilhoso. Miami é, discutivelmente, uma das mais interessantes histórias da Conferência Americana no momento. E está subindo como foguete no nosso ranking da AFC.

Para quem não acompanhou a razão desta divisão entre conferências, a explicação está no primeiro texto da série. Faz muito mais sentido separarmos por Conferências, dado que a “chave” para os playoffs é separada e os times tem só 25% do calendário contra franquias da outra conferência. Sem mais delongas, acompanhe o ranking para as equipes da NFC. Mais tarde teremos a Conferência Americana. Ao final do texto também está a classificação por divisão que não reflete os standings da NFL, mas a ordem do PR. Também colocamos as chances de Playoffs (em porcentagem e entre parênteses) com os dados do Playoff Status.


“RODAPE"

16- Cleveland Browns (0-10) (0%) –

O Cleveland Browns está eliminado da temporada 2016. Com efeito, não temos mais parágrafos sobre para não chover no molhado.

15- Jacksonville Jaguars (2-6) (0,1%) –

Os Jaguars fizeram um jogo muito disputado contra os Lions, mais até do que era esperado. Mas… o resultado foi o esperado mesmo. Vendo Blake Bortles jogando, uma pergunta vem à mente… quando é o draft mesmo?

14- New York Jets (3-7) (0,1%) –

Mesmo em sua bye week os Jets viram sua situação piorar, já que todos os seus rivais de divisão venceram.

13- Cincinnati Bengals (3-6-1) (11%) –

O domingo de Cincinnati foi uma verdadeira tragédia. Além da derrota para os Bills por 16 a 12, o time perdeu duas de suas principais armas ofensivas. Giovani Bernard rompeu o ligamento cruzado anterior e está fora da temporada, enquanto que A.J. Green deixou a partida logo cedo com um problema no músculo posterior da coxa. A boa notícia é que o wide receiver poderá voltar ainda em 2016, só não sabemos quando – o temor inicial era que sua temporada também tivesse chegado ao fim. Diante de tudo isso, os dois extra points desperdiçados por Mike Nugent nem parecem algo tão ruim.

Sem vencer desde a semana 7, afundados com o record 3-6-1 e agora sem Green por um tempo, não sabemos exatamente da onde os Bengals poderão tirar forças para uma eventual reação. Talvez já tenha chegado a hora de começar a pensar mais sério em 2017…

12- San Diego Chargers (4-6) (2%) -1

Bye Week.

11- Tennessee Titans (5-6) (5%) -1

Apesar da furiosa reação no segundo tempo, os Titans acabaram perdendo para os Colts no confronto divisional desta última semana. A reação da equipe na temporada, que vinha crescendo principalmente com a evolução do quarterback Marcus Mariota, foi abruptamente freada. 

Apesar disso, os Titans ainda podem brigar na divisão. A equipe, inclusive, tem uma boa oportunidade de recuperação neste próximo domingo, quando enfrenta o Chicago Bears, desfalcado de Jay Cutler. Acho que ainda ouviremos o que Tennessee tem a dizer nessas últimas semanas da temporada.

10- Buffalo Bills (5-5) (17%) +2

Os Bills voltaram de sua bye week e interromperam a sequência de três derrotas consecutivas com uma vitória sobre o decadente Cincinnati Bengals. E a vitória veio seguida de boas notícias. O wide receiver Sammy Watkins voltou aos treinamentos hoje, após ter sido colocado na injury reserve após a semana 2 e o running back LeSean McCoy, estrela do ataque, deverá estar em campo no domingo, mesmo tendo se submetido a uma cirurgia para reparar o polegar que deslocou na vitória sobre os Bengals. Quem sabe com os dois juntos em campo este time não consiga o sopro de vida que parece lhe faltar mesmo nas vitórias?

9- Houston Texans (6-4) (85%) -1

A derrota para os Raiders no Monday Night Football derruba os Texans da primeira posição da divisão no Corrida para os Playoffs, ainda que, na vida real, a equipe se mantenha na ponta da AFC South. 

Contra os Raiders, a equipe de Houston se apresentou melhor do que nos confrontos prévios contra equipes fortes, todos terminados em derrotas. Ainda assim, o déficit de potencial ofensivo dos Texans se fez presente, facilitando a vitória de Oakland. 

Neste próximo domingo, os Texans enfrentam os Chargers, no que deve ser um jogo bem disputado. Ainda assim, Houston tem o favoritismo, podendo voltar a abrir vantagem sobre os Colts na divisão e, ainda mais importante, retomar a frente na Corrida para os Playoffs.

8- Indianapolis Colts (5-5) (17%) +1

Com a vitória no confronto divisional com o Tennessee Titans, além da derrota dos Texans, o Indianapolis Colts assume a “liderança virtual” da AFC South, ao menos na Corrida para os Playoffs. 

O jogo contra os Titans mostrou o melhor e o pior dos Colts. No início do jogo, vimos todo o potencial ofensivo da equipe quando Andrew Luck e seus recebedores se entendem. No restante da partida, Indianapolis voltou à sua irregularidade, chegando perto de permitir a virada aos Titans.

A equipe ainda se encontra um jogo atrás de Houston na divisão, mas a perspectiva do empate na liderança parece difícil essa semana, com o confronto no Sunday Night Football contra o Pittsburgh Steelers. Ainda assim, o potencial dos Colts até o final da temporada parece maior que o dos Texans, por isso Indianapolis segue na frente por aqui.

7- Pittsburgh Steelers (5-5) (52%) –

Perdão se estivermos sendo repetitivos, afinal já dissemos isso algumas vezes em outros Power Rankings, mas ganhar dos Browns hoje não é parâmetro para muita coisa. Os Steelers foram até Cleveland e venceram os donos da casa sem nenhuma dificuldade por 24 a 9. O resultado veio de maneira tão natural que Ben Roethlisberger nem precisou brilhar – o quarterback, aliás, agora possui um absurdo record de 20-2 contra o rival de divisão. Apenas a atuação inspirada de Le’Veon Bell já foi suficiente (146 jardas terrestres, 55 recebidas e um touchdown).

Pittsburgh fez a lição de casa, atropelou um time consideravelmente mais fraco e encerrou a incômoda sequência de quatro derrotas seguidas. Com cinco vitórias e cinco derrotas na temporada, a franquia divide a liderança da AFC North com os Ravens, perdendo nos critérios de desempate. Vejamos se a equipe conseguirá manter o embalo diante dos Colts, fora de casa, na noite de Thanksgiving. 

6- Baltimore Ravens (5-5) (40%) -1

Na semana passada falamos que a partida contra Dallas daria uma ideia mais clara sobre a evolução e a força real dos Ravens. Terminado o duelo, a impressão é que, apesar da derrota por 27 a 17, existem alguns pontos positivos interessantes a serem destacados. A defesa foi ótima como quase sempre acontece e segurou os Cowboys tanto quanto foi possível. Joe Flacco teve talvez sua performance mais consistente do ano, acertando 65% dos passes, lançando um touchdown e não cometendo nenhum turnover. E o ataque terrestre enfim produziu alguma coisa (16 carregadas para 101 jardas), sobretudo na campanha que resultou no touchdown de Terrance West.

Claro, Baltimore esteve longe de ser perfeito, porém perder para os Cowboys fora de casa não é um resultado anormal e a equipe merece elogios por ter oferecido resistência. A derrota permitiu a aproximação e o empate de Pittsburgh na liderança da AFC North. Olho nesta que promete ser uma das melhores disputas divisionais na reta final da temporada.


“RODAPE"

5- Kansas City Chiefs (7-3) (66%) -1

Quando a divisão é nivelada tão por cima, perder em casa para o Tampa Bay Buccaneers não é uma pedra no caminho, é um pedregulho. Numa interceptação digna de calouro, Alex Smith colocou o jogo nas mãos do time da Flórida e foi derrotado pela terceira vez em 2016. Era o duelo mais fácil do restante da temporada, e uma daquelas consideradas “já no bolso” para o time de Missouri. Agora, a equipe precisa se desdobrar para queimar a vantagem do Oakland Raiders, que enfrenta na Semana 14, além de precisar bater o Denver Broncos neste domingo – e de novo na Semana 17 para não ficar para trás nessa disputa.

O lado positivo fica por conta das linhas, tanto defensiva quanto ofensiva, que tiveram atuações sólidas. Faltou justamente nas skill positions, que deixaram escapar um triunfo que, na matemática do torcedor, já era para anotar pro time de Andy Reid.

4- Miami Dolphins (6-4) (45%) +2

Após começarem a temporada com apenas uma vitória em cinco jogos, os Dolphins conquistaram na semana 11 sua quinta vitória consecutiva, e vêm subindo como um foguete em nossos power rankings. É importante ressaltar que destes cinco adversários derrotados, nenhum possui mais vitórias do que derrota na temporada.

Mas isto não será um problema para Miami, já que de todos os oponentes que ainda restam – 49ers, Ravens, Cardinals, Jets, Bills e Patriots – apenas New England não se encaixa nessa categoria. A vaga nos playoffs é uma possibilidade bem real.

3- Denver Broncos (7-3) (69%) –

Bye Week.

2- Oakland Raiders (8-2) (95%) –

Num Monday Night Football marcado por polêmicas sobre a arbitragem e o laser nos olhos de Brock Osweiler, o Oakland Raiders teve um crucial triunfo nas suas pretensões de conquista da AFC West. Apesar de ter demorado a encontrar o ritmo ofensivo – apenas no derradeiro quarto vimos Derek Carr se achar em campo, o time fez algo que é essencial numa equipe vitoriosa que está tendo um dia ruim: deu um jeito de vencer.

Com a ameaça aérea dos running backs, que combinaram para 199 jardas (!), a equipe venceu a oitava partida da temporada e é o melhor colocado na AFC. Embora ainda sinta falta de um pass rush mais firme, o time deu um passo importante rumo a conquista da divisão, em especial com a derrota do Kansas City Chiefs.

1 New England Patriots (8-2) (96%) –

O ponto positivo? O ataque mostrou que pode se sair muito bem mesmo sem Rob Gronkowski em campo. Tom Brady manteve seu altíssimo nível de atuações, sobretudo no segundo tempo, lançando ao geral quatro touchdowns na partida contra os 49ers. Além disso, Brady e os Patriots contaram (finalmente) com a volta de Dion Lewis para turbinar ainda mais seu arsenal de opções. O ponto negativo, mais uma vez, foi a defesa. A unidade sofreu para conter o ataque liderado por Colin Kaepernick (!) e tem apenas nove turnovers conquistados em toda a temporada – quinta pior marca da liga.

Por Divisão:

AFC East:

  1. New England Patriots
  2. Miami Dolphins
  3. Buffalo Bills
  4. New York Jets

AFC North:

  1. Baltimore Ravens
  2. Pittsburgh Steelers
  3. Cincinnati Bengals
  4. Cleveland Browns (Já eliminado)

AFC South

  1. Indianapolis Colts
  2. Houston Texans
  3. Tennessee Titans
  4. Jacksonville Jaguars

AFC West:

  1. Oakland Raiders
  2. Denver Broncos
  3. Kansas City Chiefs
  4. San Diego Chargers

Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @profootballbr e curta-nos no Facebook.


“RODAPE"

Mais em NFL