Entre em contato

NFL

O que os líderes da NFL têm a agradecer em 2016

O que os líderes da NFL têm a agradecer em 2016

O Thanksgiving – ou Dia de Ação de Graças – é um feriado amplamente celebrado nos Estados Unidos, originalmente instituído para celebrar a fartura das colheitas. Uma das tradições deste feriado é o momento em que, antes de um suntuoso jantar, cada um dos presentes à mesa revela algum fato pelo qual se sente agradecido no ano em questão.

Aproveitando a semana do Thanksgiving, nós resolvemos imaginar o grande motivo pelo qual cada um dos líderes divisionais (antes do começo da semana 12) deveria agradecer em 2016.

Atlanta Falcons: Gratos pela temporada espetacular de Matt Ryan

Em seus nove anos na NFL, Matt Ryan sempre foi considerado – no mínimo – um ótimo quarterback. Mas em 2016, ele elevou seu jogo a um novo nível, e vem fazendo a melhor temporada de sua carreira. Confiante e à vontade no esquema de Kyle Shanahan, Ryan  lidera a liga em jardas por tentativa de passe, é o terceiro quarterback com mais passes para touchdown e o segundo em jardas lançadas por partida.  Se mantiver seu ritmo atual, Ryan irá se juntar a Dan Marino, Drew Brees, Matthew Stafford e Peyton Manning na lista de jogadores com mais de 5000 jardas de passe em uma única temporada.

Um ataque explosivo é algo fundamental na disputa pela NFC South, e Matt Ryan é a locomotiva que propulsiona o melhor e mais constante time da divisão.

Detroit Lions: Gratos pelas partidas não terem apenas três quartos.

Os Lions conseguiram todas as suas sete vitórias da temporada com viradas no último quarto. Antony Curti explicou aqui em detalhes como isto aconteceu.

Seattle Seahawks: Gratos pelo time estar se acertando na hora certa. De novo.

Peru no Thanksgiving e o Seattle Seahawks entrando nos eixos na fase final da temporada. O que estas coisas têm em comum? Ambas são tradições que se repetem anualmente nos Estados Unidos, aparentemente. Após o tropeço contra o New Orleans Saints, na semana 8, os Seahawks venceram três partidas consecutivas, de forma convincente. Com isto, eles se encontram na segunda colocação da NFC, e parece que novamente os veremos indo longe nos playoffs.

O ataque, comandado por Russell Wilson, finalmente está fazendo jus à qualidade de sua constantemente excelente defesa, e Jimmy Graham está finalmente jogando em altíssimo nível e justificando o alto custo pago para adquirí-lo – outro motivo para agradecer.

Sabe quem não deve estar se sentindo muito agredecido com isso? Todo o resto da NFC.

Dallas Cowboys: gratos pelo Draft

O Dallas Cowboys foi o grande vencedor do Draft 2016, isto é indiscutível. Sua escolha de primeira rodada, o running back Ezekiel Elliott, lidera a NFL em jardas corridas, com 1199, e  seus 11 touchdowns terrestres só são superados por LeGarrette Blount. Sem dúvida, um feito impressionante para um calouro, mas não exatamente algo inesperado. A escolha de quarto rodada, no entanto, tem sido mais que surpreendente. Dak Prescott tem feito uma temporada de estréia sem precedentes entre quarterbacks selecionados tão tarde no Draft.  Na verdade, ela é impressionante qualquer que seja o critério de análise.

Imagino que a diretoria de Dallas também esteja muito agradecida agora também por não ter conseguido realizar a tão tentada troca durante o Draft para poder selecionar Paxton Lynch…

Baltimore Ravens: gratos pelos problemas enfrentados pelos rivais

A vitória do Pittsburgh Steelers sobre o Inidanapolis Colts no Thanksgiving me deixou numa situação delicada. Caso os Ravens não consigam vencer os Bengals amanhã, eles perderão a liderança da divisão e, consequentemente, não terão muito o que agradecer. Mas, no momento, os Ravens devem ser gratos por conseguirem liderar a divisão com um time inconstante, que deixa muito a desejar. O motivo disto, é que seus rivais de divisão têm sido ainda mais inconsistentes. A versão 2016 da AFC North é a pior que vemos em um bom tempo. Esqueça os Browns e sua campanha de 11 derrotas em 11 partidas – isto, apesar de péssimo, já era esperado. As grandes susrpresas são as campanhas dos Steelers – que não foram capazes de se firmar como uma das potências da AFC, como esperado – e dos Bengals, que deixaram de ser aquele time equilibrado das temporadas anteriores e viram seus sonhos cairem por terra com a derrota para os Bills na semana passada, e a lesão de seu melhor jogador, A.J. Green.

Devido ao baixo nível da divisão, Baltimore tem grandes chances de chegar aos playoffs. E uma vez lá, a excelência de sua defesa pode conseguir mascarar as deficiências do ataque.

Oakland Raiders: gratos pela temporada 2016

Derek Carr tem sido um dos destaques da NFL este ano e faz parte de qualquer discussão sobre o MVP da temporada, mas é injusto destacá-lo como o motivo de gratidão para os Raiders. O que está acontecendo em Oakland é uma mudança na atitude e na auto-estima de toda uma franquia, que vai desde o dono Mark Davis, passando pelo extraordinario general manager Reggie McKenzie e pelo técnico Jack Del Rio, até jogadores como Carr, Amari Cooper, Khalil Mack, Perry Riley, Sean Smith, Marquette King e vários outros.

O Oakland Raiders, no momento, lidera não apenas a AFC West, mas toda a AFC e, se a temporada terminasse hoje, teria a vantagem de jogar em casa durante os playoffs. A próxima vitória obtida, fará com que os Raiders tenham a primeira temporada com mais vitórias do que derrotas desde 2002 – mesmo que percam todos os outros jogos. Também desde 2002 – quando foram derrotados no Super Bowl – os Raiders não fazem uma aparição nos playoffs, e tudo indica que a seca terminará nesta temporada.

Oakland finalmente voltou a ter um time competitivo, cheio de jovens jogadores que devem fazer com que esta história de sucesso se repita por muitos anos. O torcedor dos Raiders voltou a ter orgulho e esperança. E se isto não é motivo de gratidão, eu não sei o que é.

New England Patriots: gratos por Tom Brady ser Peter Pan

Após amargar quatro jogos de suspensão no começo da temporada, Tom Brady voltou revitalizado. O quarterback, aos 39 anos, vem fazendo a melhor temporada de sua ilustre carreira.

Em 2016, seu quarterback rating e seu adjusted net yards per pass atempt – índices estatísticos usados para determinar a qualidade das atuações de um quarterback – são os melhores da história da NFL em uma única temporada. Seus números nas seis partidas que disputou, se extrapolados para uma temporada inteira, seriam: 5106 jardas, 42 touchdowns e 2 interceptações.

Brady vem jogando como um verdadeiro MVP, e carregando um time que, mesmo que tenha vencido três das quatro partidas em que ele esteve suspenso, só é a principal força da AFC por sua causa.

Houston Texans: gratos por jogar na AFC South

Ninguém considera o Houston Texans um dos oito melhores times da liga, mas o fato de disputarem a fraca AFC South praticamente lhes garante uma vaga nos playoffs como campeão de divisão. Apesar de contarem com uma boa quantidade de jovens talentos, seus rivais de divisão possuem deficiências difíceis de serem camufladas. Houston, por outro lado, tem conseguido superar as péssimas atuações de Brock Osweiller com uma sólida defesa – pelo menos o suficiente para vencer Colts, Jaguars e Titans, se mantendo invictos dentro da divisão. Desta forma, é provável que, quando janeiro chegar, os Texans estejam nos playoffs da NFL – assim como é provável que eles sejam o pior time  lá.

 

Mais em NFL