NFL

Power Ranking, AFC: Brock Osweiler recebe muito para fazer quase nada

Tem semanas que é difícil dar um ângulo para o Power Ranking, sobretudo na Conferência Americana. As coisas não vem mudando muito, fora a ascensão dos Dolphins nestas últimas semanas. Os Patriots continuam vencendo mesmo com Brady machucado e Gronkowski agora fora. A AFC West continua um banho de sangue e as coisas devem piorar em dezembro. A AFC North vem sendo a pior divisão da liga em vitórias e derrotas de seus times – talvez a pior divisão, no todo e contextualizando, seja a AFC South.

Porque o líder da AFC North, os Ravens, ainda têm virtudes. Justin Tucker, el Caballo, é o melhor kicker da NFL. A unidade defensiva de Baltimore é a melhor da liga contra o jogo terrestre. O segundo lugar da divisão, Steelers, ainda têm um ataque a ser temido. Agora, no caso do sul da Conferência Americana, aí a coisa complica.

O fato do Houston Texans estar em 13º no nosso Power Ranking fala muito sobre a divisão e sobre a franquia em si neste ano. Falamos diversas vezes que dar aquela quantidade de dinheiro para Brock Osweiler era algo bizarro – ainda mais quando vazou na imprensa que ele foi contratado sem que houvesse nenhuma reunião entre o quarterback o técnico dos Texans, Bill O’Brien. Passadas 13 semanas, você pode ver o “6-5” na tabela ou ir além dele.


“RODAPE"

Optamos por ir além. Claro, Houston não conta com o melhor jogador defensivo da NFL – JJ Watt – e ainda tem como virtude o jogo terrestre. Mas no geral, o time não vai bem. A princípio, os Texans têm 42 pontos negativos de saldo. Isso lhes deixaria, em tese, com campanha negativa. Não estão porque os jogos que ganharam, o fizeram de forma sofrida – como a prorrogação contra os Colts. E boa parte das derrotas, sobretudo fora de casa, aconteceram por massacres. Essa estatística, por si, evidencia como o time pode ser presa fácil nos playoffs caso por milagre vá para o Divisional Round (jogando fora de casa contra Oakland ou New England, caso a temporada terminasse hoje – ambos os times venceram Houston em 2016).

Ademais, temos que ler esse 6-5 de maneira mais avançada. A princípio, metade das vitórias foi contra a AFC South (3-0). E ela é a pior divisão da liga. Claro, parabéns a eles, fizeram a lição de casa. Literalmente, porque os Texans têm campanha de 5-1 em casa e 1-4 fora. Você confiaria num time desses indo longe nos playoffs?

Por fim, temos a questão Osweiler. Na derrota da semana passada contra os Chargers, foram 0 touchdowns e 3 interceptações. Ah, Curti, mas e os outros jogos? Bom, um dado assusta nesse sentido: ele deve receber 12 milhões de dólares em 2016. E tem 12 touchdowns nesta temporada. Ou seja, Bob McNair, dono do time, está pagando um milhão de dólares para cada touchdown lançado. Só de sacanagem, pra contextualizar, Trevor Siemian custou 35 mil dólares por touchdown passado. É sério. Enfim, feita toda essa contextualização, vamos ao resto dos rankings.

Para quem não acompanhou a razão desta divisão entre conferências, a explicação está no primeiro texto da série. Faz muito mais sentido separarmos por Conferências, dado que a “chave” para os playoffs é separada e os times tem só 25% do calendário contra franquias da outra conferência. A AFC é dividida assim para nossos redatores: West, Eduardo Miceli; North, Gabriel Moralez; South, João Henrique Macedo; East, João Maurício. Ao final do texto também está a classificação por divisão que não reflete os standings da NFL, mas a ordem do PR. Também colocamos as chances de Playoffs (em porcentagem e entre parênteses) com os dados do Playoff Status.

16- Cleveland Browns (0-12) (Matematicamente Eliminado)

O Cleveland Browns está eliminado da temporada 2016. Com efeito, não temos mais parágrafos sobre para não chover no molhado. Aguarde que semana que vem este Power Ranking vai virar um filme de terror e vamos matar vários times.

15- Jacksonville Jaguars (2-9) (0.1%) –

Então… Pelo menos não faz muito frio em Jacksonville, né? – Nota do Editor: nossos redatores estão cada vez mais criativos para falar sobre times zumbis na Semana 13 – Mais uma derrota, desta vez para Buffalo. Nesta semana a equipe tem um encontro com o atual campeão-que-corre-o-risco-de-ficar-fora-da-pós-temporada-e-vem-sanguenoszoi, mas pode chamar de Denver Broncos.

Só resta uma pergunta mesmo: será que os Jaguars estarão no Corrida para os Playoffs na semana que vem? Veremos…  Nota do Editor: MUHAHHA

14- Cincinnati Bengals (3-7-1) (2%) -1

Sem A.J. Green e Giovani Bernard e jogando contra uma das melhores defesas da liga, o ataque de Cincinnati teve outro desempenho anêmico – pela segunda semana seguida o time não atingiu a marca dos 15 pontos. O grande problema da franquia é que, com exceção de Tyler Eifert, atualmente não existem playmakers ofensivos no elenco. Tyler Boyd e Brandon LaFell não parecem ser capazes de compensar a ausência de Green, enquanto que Jeremy Hill é um running back competente, mas não espetacular. Além disso, a linha ofensiva, sobretudo o lado direito, de novo falhou em proteger Andy Dalton e ele não costuma se dar muito bem quando pressionado.

A derrota diante de Baltimore praticamente acabou com as chances de Playoffs dos Bengals (3-7-1), pois, faltando cinco partidas para o fim da temporada regular, agora a equipe está três vitórias atrás de Ravens e Steelers na AFC North (wild card não é uma opção viável).

13- New York Jets (3-8) (0,1%) +1

Como os Jets continuam escalando Ryan Fitzpatrick ao invés de testar os quarterbacks mais jovens do elenco, só existe uma conclusão possível: Todd Bowles está com tanto medo de perder seu emprego que está apostando todas as suas fichas em um jogador que não tem mais nenhuma condição de ser um titular sólido na NFL.

A única razão para otimismo a este respeito é que sabemos que só teremos que aguentar mais cinco jogos de “Fitzmagic” como quarterback dos Jets. Infelizmente, um destes jogos é o Monday Night desta semana. Ugh.

12- Houston Texans (6-5) (74%) -3

Se o vetor dos Titans aponta pra cima, o mesmo certamente não pode ser dito sobre o Houston Texans. Com mais uma péssima performance ofensiva, a equipe perdeu a invencibilidade em cada contra o San Diego Chargers. Os Texans ainda lideram a AFC South, mas parece que essa liderança não vai durar muito tempo.

Neste domingo, a equipe vai até a tundra congelada jogar com os Packers. Independente do resultado deste próximo jogo, o técnico Bill O’Brien deve pelo menos considerar a possibilidade de colocar Brock Osweiler no banco. Pra que os Texans revertam a tendência de queda, é fundamental uma melhora de produção na posição de quarterback. Novamente: Sim, vocês querem matar a gente ao colocar um time com 74% de chance de playoff na 12ª posição do Power Ranking. Mas é exatamente para isto que ele serve, porque comentarista de tabela qualquer um pode ser.

11- San Diego Chargers (5-6) (4%) +1

Equilíbrio pode ser o termo correto para definir a perfomance na vitória sobre o Houston Texans. Felipe Rios Philip Rivers conseguiu conectar em passes curtos e longos com bastante eficiência, acionando Dontrelle Inman e Tyrell Williams, que vem se mostrando armas importantes para esse elenco na ausência de Keenan Allen e das batalhas contra lesões de Travis Benjamin. 

Do lado defensivo, Joey Bosa jantou Brock Osweiler à milanesa. O calouro mostrou, mais uma vez, que é um playmaker e merece estar na liderança da discussão de calouro defensivo do ano. Foram cinco hurries, um hit e um sack, além de quatro freios que colocou em jogadas terrestres. 

Com cinco vitórias e seis derrotas, os Chargers estariam com chances de pós-temporada em uma divisão de nível menor. É possível, sim, pois há confrontos diretos contra os rivais à sua frente na divisão no aguardado December Bloodbath presented by AFC West, mas é uma chance remota – 3,4%, de acordo com o Football Outsiders. No final da contas, o desempenho do San Diego Chargers neste ano serve como base, como a fundamentação da temporada de 2017, que é muito mais promissora.

10- Tennessee Titans (6-6) (13%) +1

Os Titans seguem com 6 vitórias e 6 derrotas, na briga pelo titulo da AFC South. Com mais uma ótima atuação de Marcus Mariota, a equipe conquistou uma difícil vitória contra os Bears, em Chicago.

Ainda que estejam atrás no momento (dos Colts, em nosso ranking e dos Texans, na vida real), os Titans parecem, no momento, a equipe da divisão cujo vetor aponta mais para cima. Só agora, na semana 13, Tennessee terá sua folga, importante para a recuperação física buscando a vitória nas últimas partidas da temporada.

9- Indianapolis Colts (5-6) (15%) -1

Os Colts estão na terceira posição da AFC South até o momento, com 5 vitórias e 6 derrotas. Apesar disso, a equipe segue na “liderança virtual” da divisão no Corrida para os Playoffs.

A derrota por 28 a 7 para os Steelers foi feia, mas pode, ao menos em parte, ser colocada na conta da ausência de Andrew Luck, que não jogou devido a uma concussão. Na próxima partida dos Colts, no Monday Night Football contra o New York Jets, Luck deve estar de volta, aumentando consideravelmente a chance de uma vitória para Indianapolis. 

8- Buffalo Bills (6-5) (16%) +2

Os Bills continuam vencendo sem convencer. Afinal de contas, o time vem de duas vitórias consecutivas, mas contra times que, SOMADOS, têm apenas duas vitórias desde a semana 5.

Ainda assim, Buffalo corre atrás de Denver e Miami na disputa pela segunda vaga de wild card nos playoffs. O problema é que, após duas vitórias contra os sacos-de-pancada Bengals e Jaguars, os Bills enfrentam agora o embaladíssimo Oakland Raiders. É provável que, ao fim da semana 13, o sonho dos playoffs tenha ficado um pouco mais distante para os Bills.


“RODAPE"

7- Pittsburgh Steelers (6-5) (63%) –

Pittsburgh não encontrou muita resistência para vencer Indianapolis por 28 a 7 na última noite de Thanksgiving. Prova disso é que Big Ben precisou acertar apenas 14 passes para atingir a marca de 221 jardas e três touchdowns – todos recebidos por Antonio Brown. O ataque diminuiu o ritmo ao longo do jogo e, de uma maneira geral, parecia ser capaz de pontuar quando bem quisesse. Já a defesa cedeu algumas campanhas longas, porém forçou turnovers de Scott Tolzien e impediu as pontuações na hora que os adversários chegaram perto da end zone – por exemplo, dois drives dos Colts acabaram na linha de uma jarda do campo de ataque.

Esta foi a segunda vitória consecutiva dos Steelers fora de casa e agora eles voltam ao Heinz Field para um duelo diante dos Giants. A franquia da Pensilvânia está empatada com Baltimore na liderança da divisão, mas perde nos critérios de desempate.

6- Baltimore Ravens (6-5) (41%) –

A partida de domingo contra Cincinnati ficará marcada por duas coisas. A primeira delas foi a tarde espetacular vivida por Justin Tucker: o kicker acertou os quatro chutes que tentou, sendo três deles para mais de 50 jardas – ele continua com 100% de aproveitamento em 2016. Tal performance serviu para nos lembrar que um kicker as vezes pode sim ser o MVP de um time. O segundo fato notável originou-se pela inteligência do treinador John Harbaugh. Ganhando por 19 a 12 e com 11 segundos no relógio, Baltimore cedeu um safety de propósito para gastar o tempo restante no cronômetro e assegurar a vitória. O lance com certeza deixou muito satisfeito quem gosta de estratégias de jogo criativas, principalmente das pouco ortodoxas.

Meio aos trancos e barrancos, confiando na defesa acima da média e nos pés de Tucker, os Ravens venceram novamente e seguem na disputa cabeça à cabeça com Pittsburgh pelo título da AFC North.

5- Denver Broncos (7-4) (44%) -2

A derrota no Sunday Night Football, dentro dos seus domínios, para o rival Kansas City Chiefs foi um baque em duas frentes: deixou a conquista da AFC West mais distante e reprodução de problemas já conhecidos da equipe. 

As virtudes e defeitos dos campeões do Super Bowl 50 ficaram, mais uma vez bastante claros: a linha ofensiva não consegue proteger Trevor Siemian o suficiente e Von Miller é um pilar essencial desta equipe (pobre Mitchell Schwartz). Justin Houston castigou o pobre tackle Ty Sambrailo (ele e Donald Stephenson são intercambiáveis, e não de uma maneira positiva), e Siemian, que teve uma partida boa e regular, conseguindo grandes ganhos de jardas, conduziu campanhas sólidas. Infelizmente, a defesa não fez o seu papel pelos 60 minutos e permitiu que os Chiefs chegassem à prorrogação. 

Agora 7-4, a equipe perdeu o confronto dentro de casa contra o Kansas City Chiefs. Com o Miami Dolphins colando no retrospecto para morder a outra vaga do Wild Card, a partida contra o Jacksonville Jaguars precisa ter um desfecho positivo. Uma derrota aqui complica bastante a vida do time do Colorado, 

4- Miami Dolphins (7-4) (47%) –

Os Dolphins conquistaram sua sexta vitória consecutiva, desta vez batendo o San Francisco 49ers. Ainda que, mais uma vez, o adversário não tenha sido nenhuma potência, Miami está fazendo sua parte, e parece um novo time, com a cara do head coach Adam Gase.

Miami depende apenas de si para garantir uma vaga nos playoffs, mas enfrentam o Baltimore Ravens – que lidera a AFC Norte – no que deve ser o jogo mais complicado da temporada até agora para o time do sul da Flórida. Como dica de leitura, vale lembrar que este jogo tem um matchup importantíssimo – Jay Ajayi contra a defesa terrestre dos Ravens

3- Kansas City Chiefs (8-3) (86%) +2

Perde para o Tampa Bay Buccaneers em casa, vence o Denver Broncos em Mile High. As expectativas de resultado para cada um desses duelos foi invertida, e acabou sendo melhor para os Chiefs – uma vitória a mais dentro da AFC West.

Justin Houston parece ter tirado a poeira na Semana 11 para ter uma grande atuação na Semana 12. A volta de um pass rush pra lá de presente ajuda e muito a secundária que, se já era eficiente por si só, poderá aproveitar mais as decisões apressadas que os quarterbacks adversários terão que tomar quando perseguidos por Houston. Alex Smith mostrou que é um game manager e um norte para esta equipe em situações adversas, conseguindo duas campanhas (a que levou para a prorrogação e a que colocou Cairo Santos em condições de chutar o field goal da vitória), e Tyreek Hill tem sido o motor de versatilidade deste plano de jogo. 

Uma vitória maiúscula e fundamental para as pretensões de pós-temporada do Kansas City Chiefs, que a essa altura parece inescapável, seja pela conquista da AFC West, seja pelo Wild Card. 


2- Oakland Raiders (9-2) (97%) –

O drama mais uma vez visitou o Oakland Raiders na partida contra o Carolina Panthers. A lesão no mindinho do Derek Carr deu um susto no torcedor, mas o camisa 4 voltou para o campo e ativou a frutífera conexão com Michael Crabtree para virar a partida. A defesa, por sua vez, teve Khalil Mack em mais um dia para lá de inspirado, conquistando turnovers cruciais para o resultado final – uma interceptação retornada para touchdown e um fumble forçado e recuperado na tentativa de virada de Cam Newton e companhia. Eficiência dos dois lados da bola, apesar de oscilações de desempenho no decorrer do jogo. 

Talvez em outra divisão o Oakland Raiders ficaria mais confortável, com a campanha de 9 vitórias e 2 derrotas. Só que na AFC West não há esse espaço. Isso, no final das contas, impulsiona a equipe a jogar em alto nível, e, se permanecer nesse ritmo, chegará na pós-temporada com perfomances de alto nível. 

1- New England Patriots (9-2) (98%) –

Com a noticia de que o tight end Rob Gronkowski – segundo melhor jogador do time – foi submetido a uma cirurgia nas costas e não joga mais durante a temporada regular, e pode até mesmo ficar de fora de uma eventual disputa do Super Bowl, os Patriots mantém por muito pouco sua primeira colocação neste Power Ranking.

Some-se a isto a vitória nada convincente sobre os já quase eliminados Jets e o que vemos é um time que já não parece mais tão difícil de ser derrotado como eram os Patriots do meio da temporada. O confronto deste domingo contra o Los Angeles Rams parece aquele típico jogo no qual Jeff Fisher apronta e garante seu emprego para a temporada seguinte.  A linha defensiva dos Rams é acima da média e Brady não conta com a válvula de escape (Gronkowski). Olho neste jogo.

Por Divisão:

AFC East: 

  1. New England Patriots
  2. Miami Dolphins
  3. Buffalo Bills
  4. New York Jets

AFC North:

  1. Baltimore Ravens
  2. Pittsburgh Steelers
  3. Cincinnati Bengals
  4. Cleveland Browns (matematicamente eliminado)

AFC South:

  1. Indianapolis Colts
  2. Tennessee Titans
  3. Houston Texans
  4. Jacksonville Jaguars

AFC West:

  1. Oakland Raiders
  2. Kansas City Chiefs
  3. Denver Broncos
  4. San Diego Chargers

Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @profootballbr e curta-nos no Facebook.


“RODAPE"

Power Ranking, AFC: Brock Osweiler recebe muito para fazer quase nada

Mais lidas da Semana

To Top