NFL

Eficiente Aaron Rodgers foi o melhor quarterback da semana – confira os prêmios da Semana 14

“RODAPE"

Com uma cobertura cada vez maior e mais ampla aqui no site – como os palpites, guia da rodada, duelos individuais favoráveis – faltava um para fazer um apanhando geral elegendo os melhores e piores de cada semana. Aqui, vamos apontar vários jogadores que se destacaram positivamente e negativamente na quinta, no domingo e na segunda-feira de futebol americano! Prêmios são sempre um evento divertido – pelo menos eu adoro as noites de Oscar, Globo de Ouro e Emmys – e vamos tentar te entreter aqui também. Quem sabe cada categoria ganhe um apelido ao longo do tempo…

Antes de começarmos, tem alguma categoria que gostaria de ver na Semana 15? Procure o Twitter do @ProFootballBR (ou o meu, @MiceliPFB), que quem sabe colocamos aqui nas edições vindouras. Sem mais delongas, aos prêmios!

O melhor quarterback – Aaron Rodgers, Green Bay Packers

Que alegria que é poder escrever o nome de Aaron Rodgers neste prêmio. O camisa 12 teve uma baita partida contra a forte defesa do Seattle Seahawks, e conduziu o time a uma vitória mais tranquila do que se antecipava – as cinco participações de Russell Wilson contribuíram para isso -, mas a precisão e talento de outro planeta de Rodgers mais ainda. 18 passes completos de 23 tentados, 246 jardas aéreas e três touchdowns, terminando o domingo com um rating de 150.3. Eficiência no seu estado pleno, mostrando que quando a defesa ajuda, o time fica equilibrado e os Packers conseguem vencer até os mais temidos adversários.

O pior quarterback – Robert Griffin III, Cleveland Browns

Eu quero começar dizendo que a expectativa de uma melhora no ataque pesou na avaliação. Foi uma rodada com muitos candidatos fortíssimos – Dak Prescott, Brock Osweiler, Jared Goff, mas o Offensive Rookie of the Year de 2012 leva o “prêmio” para casa. Foram apenas 42.9% dos passes completos para 104 jardas, e um passer rating assombroso de 38.4. Mesmo com o touchdown terrestre que o jogador anotou, a atuação não foi salva – nas três corridas que ele teve, a média foi de 4.7 jardas por carregada. Irgh.

Melhor jogador ofensivo (que não é quarterback) – Le’Veon Bell, running back do Pittsburgh Steelers

Sou um ferrenho defensor de que estatísticas não dizem tudo, mas nesse caso eu preciso fazer uma exceção. 236 jardas terrestres, 62 aéreas e três touchdowns. Se colocarmos os números de Ben Roethlisberger ao lado, fica mais impressionante ainda em comparação: 17 de 31 passes completos para 220 jardas e três interceptações. Le’Veon Bell vestiu a 10 e pegou a faixa de capitão e carregou o Pittsburgh Steelers nas costas para a oitava vitória em 2016.

Pior jogador ofensivo (que não é quarterback) – Ulrick John, right tackle do Arizona Cardinals

Falem de Carson Palmer e suas interceptações, mas olhem bem a fundo quando forem analisar os problemas do Arizona Cardinals. A linha ofensiva não oferece nenhum alento para o seu signal caller e seus running backs, e Ulrick John foi o exemplo perfeito disso neste domingo. Tudo bem, enfrentar o Cameron Wake não é a tarefa mais fácil que um jogador da NFL pode ter, mas a forma que ele foi derrotado pelo pass rush forçou Palmer a fazer jogadas péssimas. John cedeu um sack, dois hits e um hurry em 43 snaps de proteção ao passe, isso sem mencionar o sack revertido por uma falta. Não são números catastróficos, mas como dito, a dificuldade em manter um pocket resultou num grande número de erros de Palmer, que, somados, resultaram na derrota e na mais que provável eliminação da corrida pela pós-temporada.

LEIA TAMBÉM  40 anos em 4: como tudo mudou para Seahawks e Falcons desde os Playoffs de 2012

Melhor jogador defensivo – Vic Beasley, pass rusher do Atlanta Falcons

Escolha de primeira rodada do Atlanta Falcons em 2015, Vic Beasley tem mostrado uma evolução grandiosa nesta temporada. Apenas para colocar em perspectiva, os edge rushers convertem pressões em sacks em apenas 15% das oportunidades. O camisa 44 dos Falcons, por sua vez, o faz em 28.6%. Contra a (porosa) linha ofensiva do Los Angeles Rams, Vic Beasley castigou Jared Goff e companhia, conseguindo seis pressões e três sacks – num desses, inclusive, forçou o fumble e o recuperou. O impacto que ele tem na defesa, que já está desfalcada do excelente Desmond Trufant, tem sido de encher os olhos e um alento para o torcedor do time da Georgia.

Menção honrosa para o cornerback Janoris Jenkins, do New York Giants. O jogador está tendo uma grande temporada e foi um dos principais responsáveis pela sonora vitória no Sunday Night Football. Foram oito bolas lançadas na direção do defensive back, que permitiu apenas duas recepções para 17 jardas – isso sem falar da interceptação e fumble forçado. Dez Bryant penou na mão ex-Ram, que tem sido um dos pilares dessa secundária ao lado do segundanista Landon Collins.

Pior jogador defensivo – Telvin Smith, linebacker do Jacksonville Jaguars

Numa partida que destoou do resto da unidade defensiva, o linebacker Telvin Smith errou três tackles e permitiu que cinco dos seis passes lançados na sua direção fossem completos na derrota para o Minnesota Vikings. Sem capacidade de se adaptar às jogadas ofensivas e sem conseguir criar ângulos, Telvin Smith teve um domingo para ser esquecido.

Melhor jogo da rodada –Arizona Cardinals @ Miami Dolphins

Uma partida decisiva para o destino das duas franquias e seus sonhos de pós-temporadas. Com muitos turnovers, uma tentativa de comeback pelos visitantes e um field goal vencedor no último segundo, o duelo entre Arizona Cardinals e Miami Dolphins foi emocionante do início ao fim. Levou a melhor o time da AFC – que, lamentavalmente, perdeu seu signal caller Ryan Tannehill nesta temporada, com rompimento do cruzado anterior e cruzado medial.

Pior jogo da rodada – Cincinnati Bengals @ Cleveland Browns

É um sofrimento assistir o Cleveland Browns. Com todo respeito ao Cincinnati Bengals, é um jogo cuja projeção era de poucas emoções, e assim o foi. A perfomance de Rober Griffin III não mudou a maré de sorte do time de Cleveland nesta temporada. Agora 0-13, o 0-16 é logo ali.

#CollegeKickers (invertido!) –Andrew Franks, Miami Dolphins

Não, não vamos maldizer os kickers nessa semana. Vamos apreciá-los, e nessa semana o kicker Andrew Franks esteve pela primeira vez na situação de chutar um field goal para uma vitória. Dito e feito, anotando os três pontos que  deram a vitória ao Miami Dolphins.

LEIA TAMBÉM  Cowboys vencem Packers: veja os palpites para o Divisional Round

Melhor calouro da rodada – Cody Whitehair, guard do Chicago Bears

Vamos dar um pouco de amor à linha ofensiva? Ao meu ver, o melhor guard do Draft de 2016 teve sua melhor partida na NFL contra o Detroit Lions no último domingo – isso dentro de um ótimo ano de estreia para o produto de Kansas State. Nos 37 snaps de passe, Cody Whitehair não permitiu uma pressão sequer. No jogo terrestre, o impacto do offensive linemen foi gigantesco: quando ele bloqueava para a corrida, a média de jardas por tentativa era 6.4, em comparação às 5.4 jardas gerais que não incluem bloqueios do ex-Wildcat.

Maior surpresa positiva – Mais uma vez, vamos falar do Tampa Bay Buccaneers 

O calcanhar de Aquiles do Tampa Bay Buccaneers era uma defesa porosa que não conseguia para um time de high school há algumas semanas atrás. Desde a Semana 10 a unidade defensiva subiu radicalmente de produção, com os pass rushers Noah Spence e Robert Ayers em grande fase, e mais importante que isso, com a secundária fechando os espaços. Contra o New Orleansa Saints, foram apenas 11 pontos cedidos, com uma baita perfomance dos defensive backs Keith Tandy, Brent Grimes e Bradly McDougald. Olho nesse time que, se mantiver esse rendimento defensivo, já tem um excelente signal caller do outro lado e pode surpreender se alcançar a pós-temporada.

Maior decepção – Mais três interceptações e nenhum touchdown de Drew Brees

Depois que Drew Brees não conseguiu anotar um touchdown sequer contra o Detroit Lions dentro dos seus próprios domínios, a expectativa era de recuperação contra o Tampa Bay Buccaneers, numa partida crucial para salvar as chances de pós-temporada dos campeões do Super Bowl XLIV.

Pois bem, o camisa 9 tomou decisões ruins – algo que não é característico do jogador, constantemente fazendo leituras erradas e lançando passes que não chegavam aos seus recebedores. Assim, Drew Brees terminou o dia com três interceptações e nenhum touchdown pela segunda semana consecutiva, e as chances de pós-temporada do New Orleans Saints voaram pela janela, em direção à 2017, onde o torcedor espera um ano melhor.

Monstro do Fantasy –Le’Veon Bell, running back do Pittsburgh Steelers

Eu não gosto de dar dois prêmios para o mesmo jogador, mas tem como não dar Monstro do Fantasy para alguém que anotou três touchdowns e 298 jardas gerais?

Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

Eficiente Aaron Rodgers foi o melhor quarterback da semana – confira os prêmios da Semana 14
Topo