NFL

Aaron Rodgers é o melhor quarterback da rodada – os prêmios da Semana 16

“RODAPE"
Com uma cobertura cada vez maior e mais ampla aqui no site – como os palpites, guia da rodada, duelos individuais favoráveis – faltava um para fazer um apanhando geral elegendo os melhores e piores de cada semana. Aqui, vamos apontar vários jogadores que se destacaram positivamente e negativamente na quinta, no domingo e na segunda-feira de futebol americano! Prêmios são sempre um evento divertido – pelo menos eu adoro as noites de Oscar, Globo de Ouro e Emmys – e vamos tentar te entreter aqui também. Quem sabe cada categoria ganhe um apelido ao longo do tempo…

Antes de começarmos, tem alguma categoria que gostaria de ver na Semana 17, a última da temporada regular? Procure o Twitter do @ProFootballBR (ou o meu, @MiceliPFB), que quem sabe colocamos aqui nas edições vindouras. Sem mais delongas, aos prêmios!




O melhor quarterback – Aaron Rodgers, Green Bay Packers

Mais uma semana que o camisa 12 do Green Bay Packers leva o prêmio. Contra uma defesa com pedigree, Aaron Rodgers completou 73.7% dos seus passes, castigando os rivais pelas escolhas de marcação em zona que fez. Jordy Nelson se refastelou nessas brechas e o time de Wisconsin só depende de si para ir à pós-temporada. Rodgers se comportou também de forma magnífica sob pressão, terminando com um passer rating de 139.2 nessas situações.

Tom Brady merece ser mencionado aqui de forma honrosa. Se ele tivesse passado para sete touchdowns eu ainda hesitaria em colocá-lo, mas só por terem enfrentado o New York Jets, que mais lembra um grupo de cones de trânsito a um time profissional de futebol americano. De qualquer maneira, ficam os dois futuros hall of famers como os melhores da semana.

O pior quarterback – Trevor Siemian, Denver Broncos

Preciso confessar que é uma categoria bem mais difícil de escrever quando Brock Osweiler não joga. De qualquer forma, Trevor Siemian merece levar o troféu essa semana. Ele não precisa ser excelente para ser o titular do time; na verdade, ele precisa não comprometer. Mesmo com os problemas que o cercam (jogo terrestre ineficiente e linha ofensiva abaixo da média), ele precisa ser melhor do que foi no Sunday Night Football.

A chuva certamente ajudou, visto que ele terminou a noite com apenas uma interceptação, já que as outras três que poderiam ter sido escorregaram das mãos dos defensores. Ainda assim ele terminou a noite com um passer rating de 43.6. Falem o que quiser – eu mesmo acredito no potencial do camisa 13 -, mas as perguntas virão à tona, especulando se vale manter ele mais um ano e perder uma defesa na ponta dos cascos ou se tentam a sorte em alguém mais preparado (eu ouvi Tony Romo?).

Melhor jogador ofensivo (que não é quarterback) – Jay Ajayi, running back do Miami Dolphins

Esse segundanista foi a força motriz da recuperação do Miami Dolphins em 2016, e no sábado ele mostrou isso para todos. Das 206 jardas terrestres – conseguindo a marca de 200 nas duas partidas contra os Bills -, 143 vieram após o contato. Além disso, o camisa 23 teve uma corrida gigantesca que colocou a equipe em condições de vencer na prorrogação, uma vitória que selou a classificação para a pós-temporada.

Menção honrosa para Travis Kelce, que não só é um excelente alvo em Kansas City, mas também é fundamental nos bloqueios e no plano de jogo do time. Basta ver o touchdown corrido de Tyreek Hill no primeiro tempo do Sunday Night Football para ver o camisa 87 na sua melhor forma.

LEIA TAMBÉM  Patriots confirmam favoritismo, vencem os Texans e vão à Final da AFC pela 6ª vez seguida

Pior jogador ofensivo (que não é quarterback) – George Fant, tackle do Seattle Seahawks

Quando eles vão bem, ninguém fala. Quando vão mal, fica evidente. Eu tento dar sempre créditos ao (duro) trabalho dos offensive linemen, mas é necessário apontar quando eles comprometem a equipe. George Fant, já questionado por muitos analistas e fãs, deixou a vida de Calais Campbell mais fácil – e do front seven em geral. Ele permitiu dois sacks e sete hurries em 58 snaps de proteção ao passe, além de uma falta por segurar o pass rusher adversário. Com um histórico de jogador de basquete, muitos se perguntam se ele tem a finesse e a técnica para jogar de tackle no futebol americano profissional.

Melhor jogador defensivo – Dominique Rodgers-Cromartie, cornerback do New York Giants

Havia uma preocupação no ar pela ausência de Janoris Jenkins na partida de quinta-feira. Não importa: o veteraníssimo Dominique Rodgers-Cromartie mostrou o que faz da defesa dos Giants uma força tão grande em 2016. Em quatro passes lançados na sua direção, nenhuma recepção. Dessas quatro bolas, uma interceptação retornada para touchdown e dois passes defletidos – ou seja, ele encostrou em três dos quatro passes que cobriu.

Bons ventos sopram lá em Nova York, e os torcedores se enchem de esperança pelos ares de time vencedor que o New York Giants demonstra, mesmo com a derrota na Semana 16.

Pior jogador defensivo – Ryan Shazier, linebacker do Pittsburgh Steelers

Shazier tem o talento e a técnica, lhe falta apenas a regularidade. No quente jogo contra o Baltimore Ravens, o linebacker  cedeu 128 jardas na cobertura, além de um touchdown em apenas 11 targets. Mesmo com a interceptação que conseguiu em cima de Joe Flacco, ele não redimiu o passer rating que o quarterback rival conseguiu em cima dele, de 107.6, conectando com seis recebedores diferentes para batê-lo em diversas oportunidades.

Melhor jogo da rodada – Baltimore Ravens @ Pittsburgh Steelers

Receita para uma jogaço, né? Discutivelmente a maior rivalidade divisional da NFL atual, os times se enfrentaram num duelo de vida ou morte: era praticamente um “quem ganhar tá dentro, quem perder tá fora”. Com direito a um drive derradeiro maravilhoso do Pittsburgh Steelers, atuações excepcionais de Le’Veon Bell e Steve Smith Sr., o último duelo entre os times foi pra lá de emocionante. Já fico ansioso para setembro de 2017 e a disputa acirrada entre ambos.

Pior jogo da rodada – New York Jets @ New England Patriots

O New England Patriots não tem nada a ver com isso, e não tomou conhecimento dos mortos-vivos que entraram em campo em Boston no último final de semana. No meio de um festival de erros, lesões e mediocridade do ataque (e defesa) do New York Jets, Tom Brady e companhia apenas amassaram os rivais, numa das partidas mais vexaminosas da década para o time de Nova York. Triste ver talentos como Brandon Marshall, Mo Wilkerson, Leonard Williams e Darrelle Revis se desgastarem por uma equipe sem projeto, norte ou liderança.

LEIA TAMBÉM  Há alguma forma dos Texans cometerem o improvável crime/milagre e eliminarem os Patriots?

Os rumores de que Todd Bowles teria perdido o vestiário parecem bem reais, tendo em vista as atuações do time.

#CollegeKickers – Randy Bullock, Cincinnati Bengals

Depois de anos vendo o (fraco) Randy Bullock chutar field goals errados no seu time, o torcedor do Houston Texans ficou satisfeito em vê-lo beneficiar a franquia, para variar. Hoje no Cincinnati Bengals, Bullock errou o chute que daria a vitória ao time de Ohio no “Saturday Night Football”, perdendo a partida para o ex-time e selando a classificação dos Texans para a pós-temporada.




Melhor calouro da rodada – Jalen Ramsey, cornerback do Jacksonville Jaguars

Tennessee Titans queria ir pra pós-temporada? Não importa pra Jalen Ramsey. Mais uma vez vencendo o prêmio da semana, o camisa 20 permitiu que apenas dois dos oito passes lançados na sua direção fossem recebidos – e para meras 16 jardas. Uma brilhante atuação que justifica o hype na época do Draft, sendo a cereja do bolo um pick six que enterrou os rivais numa (rara) vitória do Jacksonville Jaguars em 2016.

Menção honrosa para Tyreek Hill, que parece querer desafiar o Usain Bolt com tanto dinamismo e explosão, jogando de wide receiverrunning back e retornador lá no Kansas City Chiefs.

Maior surpresa positiva – Cleveland Browns venceu!!!!!!

Não tinha como ser outra. Já acostumado com a possibilidade do 0-16, o torcedor do Cleveland Browns viu seu time bater o San Diego Chargers com uma atuação ótima de seu running back Isaiah Crowell. A derrota do San Diego Chargers foi do jeito mais Chargers possível, com dois field goals que empatariam o jogo errados, em sequência. Celebra a equipe de Ohio, que deixa essa marca negativa histórica apenas para o Detroit Lions de 2008.

Será que aquele time se reúne toda vez que o último time a vencer enfim vence?

Maior decepção – O Tampa Bay Buccaneers está praticamente fora

Eu entendo: perder para o New Orleans Saints lá na Louisiana não é uma derrota “imprevisível”. Agora, quando você enfrenta uma defesa tão porosa e com a motivação de talvez tentar a pós-temporada, você precisa bater esses adversários. E, para o lamento dos torcedores da Flórida não foi o que aconteceu.

Decepcionantes ainda nesta semana o Tennessee Titans, que infelizmente perdeu Mariota mas não conseguiu bater um time já maltratado pelas derrotas, e o Denver Broncos, que empacou nem na primeira marcha e está sem potencial ofensivo há três semanas. Os atuais campeões do Super Bowl tem um bom tempo para ajustar as coisas – até setembro de 2017.

Monstro do Fantasy – Adam Thielen, wide receiver do Minnesota VIkings

Uau, hein? Ao lado das atuações monstruosas de Jordy Nelson, Le’Veon Bell, Kirk Cousins, David Johnson, foi o camisa 19 do Minnesota Vikings que roubou a cena. Com 202 jardas recebidas e dois touchdowns, se você o escalou, eu tiro meu chapéu. Eu o fiz apenas em uma liga que não valia mais nada e tomei um susto assistindo ao duelo entre Vikings e Packers. Espero que tenham tido uma ótima temporada de Fantasy e vencido seus campeonatos. Se não, comecem a se preparar para 2017 – pensar nisso começa desde já.

Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @profootballbr e curta-nos no Facebook.




Aaron Rodgers é o melhor quarterback da rodada – os prêmios da Semana 16
Topo