Devido à questões de saúde, Gary Kubiak anuncia que deixará o comando dos Broncos – Pro Football: NFL | Brasil | College | Futebol Americano
Notícias da NFL

Devido à questões de saúde, Gary Kubiak anuncia que deixará o comando dos Broncos

Pouco menos de um ano depois de vencerem o Super Bowl 50, Denver estará no mercado à procura de um novo head coach. Logo após a vitória por 24 a 6 sobre os Raiders no domingo, Gary Kubiak anunciou publicamente que deixará o comando técnico da equipe.

Segundo indicou um comunicado divulgado pelo treinador nesta segunda-feira, a surpreendente notícia está ligada à questões médicas. “Como eu disse para o time na noite passada, a decisão de renunciar ao cargo de head coach é extremamente difícil. Eu amo o trabalho e amo o futebol americano, mas ultimamente as demandas do emprego não estão servindo mais para mim. Eu dei tudo o que tinha para esse time nas duas últimas temporadas, porém este ano, em particular, foi difícil para mim. Por mais duro que seja deixar meu cargo, eu sei que é a melhor coisa para mim mesmo, minha família e o Denver Broncos.”

Recentemente, Kubiak sofreu com dois sérios problemas de saúde. Em 2013, quando treinava os Texans, teve um “mini-AVC”. Na atual temporada, foi hospitalizado após a derrota para os Falcons na semana 5 e não pôde comandar Denver no jogo seguinte, diante dos Chargers, devido ao que foi chamado pelos médicos de “complexa crise de enxaqueca”.

A saída interromperá a longa trajetória de Kubiak trabalhando na NFL. Entre 1983 e 1991, Gary foi o quarterback reserva de John Elway nos Broncos. Em 1994, retornou à liga para ser treinador de quarterbacks nos 49ers. No ano seguinte, “voltou para casa” e assumiu o posto de coordenador ofensivo em Denver, permanecendo na função até 2005. Depois ainda foi técnico principal dos Texans por oito temporadas e coordenador ofensivo dos Ravens antes de se tornar head coach dos Broncos em 2015.

Sob a sua tutela, a equipe sagrou-se campeã do Super Bowl 50, vencendo o terceiro título da sua história – curiosamente, Kubiak fez parte da comissão técnica em todas as conquistas de anel da franquia (1997, 1998 e 2015). Embora o maior destaque daquele time sem dúvida tenha sido a defesa, Gary teve muitos méritos em fazer o ataque ser o mais competitivo possível, mesmo precisando lidar com a difícil situação envolvendo o fim da carreira de Peyton Manning. Em 2016, entretanto, não conseguiu repetir o sucesso e Denver ficou fora dos playoffs pela primeira vez em quatro anos.

Ao todo, Kubiak possui um record de 86-75 em 10 anos como treinador principal, sendo 21 vitórias e 11 derrotas com os Broncos.

A renúncia abre uma melhores das vagas de emprego da NFL

Já pensando na sucessão, podemos dizer que o cargo de head coach em Denver certamente será um dos mais desejados da liga, pois não é sempre que o atual campeão do Super Bowl está à procura de um novo técnico. Claro, os Broncos tiveram seus problemas em 2016 e merecidamente ficaram fora da pós-temporada, mas ninguém discute que eles ainda assim possuem um excelente time, capaz de brigar por coisas grandes. Com uma defesa acima da média e alguns jogadores ofensivos talentosos, a principal preocupação será definir a situação under center, decidindo se vale a pena continuar com Trevor Siemian ou se chegou a hora de apostar em Paxton Lynch.

Em resumo, o próximo treinador da franquia, teoricamente, terá uma vida muito mais tranquila do que quem assumir equipes em construção, como por exemplo os 49ers ou os Rams. A “arrumação da casa” será bem menor. Deste modo, Denver pode sair na frente na hora de buscar os melhores nomes do mercado.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

Devido à questões de saúde, Gary Kubiak anuncia que deixará o comando dos Broncos
Topo