Aaron Rodgers e os Packers derrubam a sina (e os Giants) – Pro Football: NFL | Brasil | College | Futebol Americano
NFL

Aaron Rodgers e os Packers derrubam a sina (e os Giants)

Em 2007 e 2011, rumo a seus dois títulos mais recentes da NFL, o New York Giants foi até o Lambeau Field e eliminou o Green Bay Packers da pós-temporada. Nestas duas partidas, Eli Manning venceu os duelos contra os quarterbacks dos Packers (Brett Favre em 2007 e Aaron Rodgers em 2011). Mas hoje… Hoje não, hoje não, hoje… não mesmo! Aaron Rodgers lançou 4 passes para touchdowns e liderou os Packers à vitória sobre os Giants e sua forte defesa.

No início da partida parecia que a história iria se repetir, com a defesa dos Giants não dando chance ao ataque dos Packers. Do outro lado, Eli Manning conseguia mover a bola com facilidade diante da secundária de Green Bay. Entretanto, muito às custas de drops dos recebedores (particularmente Odell Beckham Jr), os Giants não conseguiram chegar à endzone. Com o jogo em 6 a 0 para New York, a história começaria a mudar. Aaron Rodgers entrou no jogo, dando a liderança aos Packers no segundo quarto.

Com a partida em 7 a 6, viria um dos momentos definidores do jogo: Rodgers acertou um passe hail mary para Randall Cobb, levando a equipe para os vestiários com a vantagem (14 a 6). A equipe que havia dominado os 25 primeiros minutos da partida, em 5 viu a situação de inverter. Durante o segundo tempo, houve situações que sugeriram que os Giants poderiam virar o jogo, principalmente a frustrada (e um tanto estranha) tentativa de conversão de quarta descida dos Packers, em seu campo de defesa. Mas o ataque dos Packers seguia muito forte, já não tomando conhecimento da forte secundária da equipe adversária. Secundária essa que não contou, durante a maior parte do jogo, com o veterano Dominique Rodgers-Cromartie, que sofreu uma contusão muscular ainda no primeiro quarto.

No fim das contas, o placar final foi 38 a 13 para Green Bay. Dos quatro jogos de wild card deste final de semana, aquele que foi o mais disputado acabou tendo o placar mais elástico. Aaron Rodgers terminou a partida com 362 jardas , além dos 4 touchdowns. Destaque também para Randall Cobb. O recebedor,  que havia perdido as últimas partidas por contusão, teve, além do hail mary,  2 outros touchdowns. A presença de Cobb foi ainda mais importante após a contusão, aparentemente séria, de Jordy Nelson, principal wide receiver dos Packers.

Cabe ressaltar ainda a boa atuação da defesa dos Packers. O cornerback LaDarius Gunter venceu o duelo contra Odell Beckham (ajudado pelas falhas do recebedor) e o linebacker Jake Ryan parecia estar em vários lugares ao mesmo tempo, atuando muito bem tanto na cobertura quanto contra o jogo terrestre. A unidade tão criticada foi capaz de conter muito bem o ataque dos Giants.

A equipe nova-iorquina agora entra na offseason com algumas dúvidas: Eli Manning, irregular durante toda a temporada, ainda pode liderar a equipe a vôos mais altos? E Odell Beckham? Vai conseguir colocar a cabeça no lugar e jogar de acordo com seu potencial? Muito vai se falar sobre a tal viagem a Miami depois da temporada regular, em que vários recebedores dos Giants foram fotografados em um passeio de barco, e em um possível impacto desta suposta “distração” no desempenho da equipe. Mas a questão sobre a posição de quarterback me parece bem mais relevante.

Já os Packers vão a Dallas enfrentar os Cowboys. Durante a temporada regular os Cowboys venceram fácil os Packers em Green Bay, mas o momento é bem diferente. Os Cowboys entrarão como favoritos, mas deve ser um grande jogo.

Aaron Rodgers e os Packers derrubam a sina (e os Giants)
Publicidade
Topo