Uma senha sera enviada para seu e-mail

Ao chegarmos no final do, sempre temos as surpresas e decepções do evento e 2018 não foi diferente. Saquon Barkley (RB), Shaquem Griffin (LB), Derwin James (S) foram excelentes.

Mas nem só de boas notícias oício de março é feito: também tivemos o terrível de Orlando Brown (OT) para ser destacado negativamente. Mas, muitas vezes, o número parece ser apenas um número sem indicar muito – a não ser quando fica escancarado para o bem ou para mal, como foram os exemplos citados acima.

Um número no tiro de 40 jardas que significa uma coisa para um jogador pode significar outra coisa completamente diferente para prospectos da mesma posição, visto que um pode ter uma altura de 1,98m e outro de 1,83m. É por isso que temos alguns sistemas analíticos para esses dados crus.

Antes disso, vamos passar pelo mais simples, o MockDraftable.com. Este site compara todos os Combines anteriores com o jogador que você busca. Vamos usar o exemplo do Saquon Barkley.

Parece um polígono como vemos nos jogos de videogame. Mas o que significa cada número? Pegando o exemplo do supino (bench press), notamos que a nota é de 97. Isso significa que Saquon Barkley fez mais repetições no supino do que 97% de running backs que passaram pelo. Eu sei, o cara é um monstro. O mais impressionante disso é a combinação do peso e do 40 jardas, Barkley pesou mais do que 92% dos Rbs do e correu melhor do que 93%. Isso não é normal.

O Mock Draftable é muito legal de se ver por conta do visual, mas existem outros sistemas analíticos mais importantes do que ele, um deles é o SPARQ.

O SPARQ é uma fórmula desenvolvida pela Nike que mede o atleticismo do jogador e sua sigla significa Velocidade, Força, Agilidade, Reação e Rapidez (Speed, Power, Agility, Reaction and Quickness). Porém como o SPARQ não é uma fórmula de conhecimento público e nem temos uma calculadora para testar qual seria a nota de cada jogador no, inventaram o rSPARQ, exatamente para calcularmos o atleticismo através do.

Leia também:
O que é esse do Draft que tanto falam?
O que esperar do NFL em 2018?

Esse novo sistema analítico leva em consideração peso, tiro de 40 jardas, 10 jardas, 20 jardas shuttle, 3 cone drill, supino, pulo vertical e broad jump, deixando a altura de lado. Para exemplo de comparação, Saquon Barkley alcançou a impressionante marca de 98.5%, o que significa que ele é atleticamente falando, melhor que 98.5% do que os Rbs que estão na NFL, segundo o SPARQ.

O último sistema analítico que vou trazer aqui é o RAS(Relative Athletic Scores), que também tem a sua fórmula particular referente para cada posição. A nota do RAS vai de 0.0 até 10 e traduzindo o atleticismo de Barkley para o RAS, a sua nota foi de 9.95, muito próximo do perfeito.

Mas como os times levam isso em consideração?

Cada dia mais os times estão levando tudo isso como fator ao fazer as suas escolhas no Draft, pois ter um jogador que é mais atlético sempre será mais fácil de desenvolver do que ao contrário. Lógico que não adianta apenas ter atleticismo e não ser um bom jogador de futebol americano, mas quanto mais informações tiver, mais fácil para fazer a decisão na hora do Draft.

Por exemplo, o WR Calvin Ridley alcançou uma nota de RAS de 5.01 depois do. Certamente uma nota decepcionante que todos os times levarão em conta. Apesar de ter corrido bem as 40 jardas, Ridley foi mal nos outros exercícios. Se antes nos drafts simulados, Ridley saindo para o Chicago Bears na 8ª escolha geral era praticamente um consenso – mas espere mudanças a partir de agora. Ridley ficou no limite, pouquíssimo acima da média que seria o 5.0. Nos últimos 5 anos, apenas três wide receivers foram draftados na primeira rodada com um RAS abaixo do 5.0; Kelvin Benjamin, Laquon Treadwell e Nelson Agholor. Os dois primeiros têm encontrado dificuldade na NFL e o terceiro teve que passar por uma mudança de posicionamento em Philadelphia esse ano para dar certo. Isso não é coincidência.

“O que nós estamos descobrindo agora que estamos evoluindo nos dados analíticos é que alguns testes são mais importantes que outros para cada posição,” disse Rick Spielman, general manager do Minnesota Vikings. “Então, o 3-cone drill é mais importante para certas posições do que para outras, eu acho que os dados analíticos nos ajudaram a clarear o atleticismo dos prospectos.”

Thomas Dimitroff, general manager do Atlanta Falcons, tem usado as suas escolhas no Draft quase que exclusivamente em jogadores acima da média no 3-cone drill ou no broad jump. Nas últimas 14 escolhas, 12 participaram do e todos os 12 alcançaram pelo menos 65% no broad jump ou no 3-cone drill.

Também temos treinadores que não são muito fãs da modernidade, como é o caso de Jon Gruden, técnico do Oakland Raiders. “Eu estou tentando fazer com que o jogo volte para 1998. Eu não vou depender da tecnologia. Eu certamente tenho pessoas que são profissionais que podem me ajudar nisso. Mas eu ainda acho que fazer as coisas do jeito antigo é um bom jeito,” disse Gruden.

O estudo do tape do jogador sempre virá em primeiro lugar

Mas, ao mesmo tempo, os dados analíticos serão levados muito em consideração, a não ser que o seu time tenha um técnico como Jon Gruden. A NFL ainda não chegou em um nível como a MLB, como pode ser vista no filme Moneyball, mas a diferença diminuiu e vai continuar diminuindo, ano após ano.


E como essa classe do Draft se saiu nos analytics? Bem, o OT Orlando Brown certamente não é um exemplo a se seguir, visto que ele conseguiu a impressionante marca de 0.0% no SPARQ e 0.64 no RAS. Para algum time o selecionar nas duas primeiras rodadas, ele terá que ser um time que não leva em conta os dados analíticos, e sinceramente, duvido que algum time vai ignorar dados tão preocupantes.

Se teve uma posição que se destacou nesse quesito foram os DBs, tanto cornerback quanto safeties tiveram notas acima da média em uma classe. O safety Derwin James deve ter se consolidado em uma escolha top-10 junto com o CB Denzel Ward.

Caso você queira ver como o prospecto ranqueou segundo os analíticos: SPARQ, RAS, Mock Draftable.

Felipe Vieira é um dos fundadores do On The Clock, site voltado para a cobertura do Draft da NFL. Em março e abril, ele será colunista do ProFootball. Você pode conferir mais de seu trabalho em seu twitter – e, em abril, ele será um dos palestrantes em nosso 1º Workshop sobre o Draft da NFL clique aqui para mais infos sobre o curso.

Assine Agora, Planos a partir de R$ 9,90/mês

Textos Exclusivos do ProClub:
Uma movimentação que cada franquia da AFC deveria fazer na Free Agency
Uma movimentação que cada franquia da NFC deveria fazer na Free Agency
Mike Glennon e a duração do contrato na NFL: como ler corretamente
Lista: Necessidades, por posição, para os 32 times da NFL (Draft e Free Agency)
Free Agency 2018: Top 100 melhores jogadores no mercado