Uma senha sera enviada para seu e-mail

Terminada a temporada do college football com emocionante vitória de Alabama na prorrogação, o foco sobre os protagonistas do ano passado sai de campo e vai para o Draft.

Com uma das classes de quarterback mais interessantes nos próximos anos, o Draft 2018 tem uma história no extracampo se desenrolando: Baker Mayfield. quarterback de Oklahoma polariza opiniões por conta dos sistema em que jogou e por não ser um pocket passer tradicional. Mais: não é “alto” o suficiente para a posição na NFL – a essa altura do campeonato, com Drew Brees e Russell Wilson imaginávamos que isso já seria coisa do passado – e tem um extracampo no mínimo polêmico.


“canecas"

Vencedor do Heisman no ano passado, Mayfield foi preso em fevereiro de 2017 em Arkansas – sendo indiciado por intoxicação em público (crime em alguns locais dos EUA), conduta desordeira e resistência à prisão após um incidente no qual ele descreve como “tentava separar uma briga”. Policiais na cena do ocorrido relataram que Mayfield estava “gritando profanidades e causando”.

Em junho, antes da temporada do college começar, Mayfield chegou a um acordo com o Ministério Público local no qual a denúncia por resistência à prisão foi arquivada em troca de declarar-se culpado nas outras. O quarterback não passou nenhum tempo preso, mas foi multado pelo Estado.

Quer ainda mais sobre o Draft? Confira nosso Curso no dia 14 de abril com Antony Curti, Eduardo Miceli e Felipe Vieira

Ante essa situação, imaginava-se que Baker não poderia frequentar o Combine em fevereiro de 2018. A NFL instaurou a regra em 2016: jogadores com problemas extracampo ou condenados por crimes não seriam convidados para o evento. A regra já foi aplicada no ano passado: Joe Mixon não pode mostrar suas habilidades para os olheiros por ter se envolvido em um lamentável episódio de violência doméstica enquanto jogador – também pelo Oklahoma Sooners.

Leia também: O que é esse Combine do Draft que tanto falam?

De toda forma, ao que tudo indica a regra não será aplicada a Mayfield – provavelmente por conta do incidente ter sido bem menos grave do que o de Mixon, que literalmente nocauteou uma mulher, quebrando seu maxilar. Peter Dawson, repórter do Fort Worth Star-Telegram, relatou nesta semana que “não haveria incidente que impediria a participação de Mayfield no Combine”.

Com o quarterback indo ao Combine em fevereiro, as coisas ficam mais do que interessantes. Mayfield tem potencial para ser um híbrido entre Drew Brees e Russell Wilson. A torcida, claro, é que ele não penda mais para Johnny Manziel na balança. O problema no ano passado, a meu ver, foi de imaturidade – não de falta de caráter ou nada do gênero (o caso de Mixon é anos luz mais grave).

Textos Exclusivos dos Assinantes ProClub nesta semana, Assine!:
História, 2007: Em pleno Heinz Field, Jaguars derrubam Pittsburgh no Wild Card
ProClub: Palpites/Picks, Divisional Round 2017/18
Envelhecidos, sem Palmer e Arians: Arizona e o seu inevitável reboot ofensivo em 2018
Qual será o futuro de Tyrod Taylor?
Podcast, ProClub: Experiência conta nos playoffs? Quanto?