Necessidades no Draft: Ataque vai bem, mas Dolphins precisam de ajuda na defesa terrestre – Pro Football: NFL | Brasil | College | Futebol Americano
Draft

Necessidades no Draft: Ataque vai bem, mas Dolphins precisam de ajuda na defesa terrestre

Passados os primeiros dias do início do período da free agency, em que as equipes podem assinar contratos com os jogadores cujos compromissos anteriores com outros times se encerraram, o Pro Football traz as necessidades de cada uma das 32 franquias da NFL. Com muito espaço sobrando dentro do teto salarial, era de se esperar uma grande competição pelos principais jogadores disponíveis. Assim, várias equipes se reforçaram (algumas gastando muito por isso).

As equipes não estão prontas para a temporada, é claro. Além de ainda ter muita água pra rolar na free agency, daqui a pouco chegamos ao draft, sempre uma fonte de esperança para todas as equipes (e seus torcedores). Ao longo do mês de abril, teremos uma série de 32 textos: um para cada franquia da liga. Assim, você poderá saber quais os buracos do seu time e como ele pode se reforçar pelo recrutamento universitário. Claro: o Draft também serve para se reforçar visando o futuro. Quem diria que o New York Giants escolheria Odell Beckham Jr em 2014 mesmo já tendo Victor Cruz? Recebedor não era uma necessidade tão grande na época, mas os Giants optaram por escolher o melhor jogador disponível. 

Os times variam entre essas duas opções: ou tentar preencher uma lacuna de necessidade de seu time ou escolher o melhor jogador disponível – em inglês, BPA, best player available. No final de abril teremos tabelões com os melhores jogadores. Agora é a hora de falarmos sobre as necessidades e sobre o Miami Dolphins. 

Leia mais sobre os Dolphins:
Dolphins e Jaguars teriam acertado duas trocas envolvendo Julius Thomas e Branden Albert
Mario Williams e mais dois: Dolphins faz pacotão de cortes antes do início da free agency
O que está por trás das 6 vitórias seguidas dos Dolphins?

Quem Ficou na Free Agency: DE Andre Branch, LS John Denney, WR Kenny Stills, OT/G Jermon Bushrod

Quem Chegou na Free Agency: S Nate Allen (Raiders), TE Anthony Fasano (Titans), DE William Hayes (troca com os Rams), G/C Ted Larsen (Bears), TE Julius Thomas (trade Jaguars), LB Lawrence Timmons (Steelers), QB David Fales, S T.J. McDonald,

Quem Saiu na Free Agency: S Isa Abdul-Quddus (cortado), T Branden Albert (troca para os Jaguars), TE Cameron Jordan (aposentou), CB Ifo Ekpre-Olomu (cortado), DT Earl Mitchell (cortado/49ers), TE Dion Sims (Bears), DE Mario Williams (cortado).

NECESSIDADES DOS DOLPHINS NO DRAFT 2017: DT, OLB, DB

Defensive Tackle

Lembra como a defesa do San Francisco 49ers era uma peneira contra o jogo terrestre no ano passado? Era feio de assistir, né? Quem assistiu com atenção a doutrinação que o Pittsburgh Steelers e Le’Veon Bell fizeram ante a defesa terrestre de Miami não se assustaria com a informação que a defesa terrestre dos Dolphins só não foi pior no ano passado do que a dos 49ers.

Os Dolphins cederam média de 4,84 jardas por carregada ano ano passado – a pior marca do time desde 1968, quando o time cedeu 4,88. Por mais que Lawrence Timmons tenha chegado, não é como se a defesa virasse da água pro vinho só com isso. Um bom defensive tackle para infiltrar no backfield é mais do que necessário.

Outside Linebacker

Com o final do experimento Mario Williams e com Cameron Wake tendo 35 anos, é mais do que necessário tentar achar peças para o setor externo dos linebackers de Miami. Se as corridas como um todo foram constantes ante essa defesa, para fora dos tackles também foi algo grave: 7,0 jardas por carregada para as laterais, de longe a pior marca da liga. O segundo colocado (Raiders) teve 6,3.

Como você viu acima, a defesa terrestre como um todo é problema nos Dolphins (e já há algum tempo). Mas não é só.

Publicidade




Profundidade de Talento na secundária

Não foi por acaso que os times empilharam jardas contra os Dolphins pelo chão. Houve diversas lesões na secundária, principalmente na posição de safety. Reshad Jones, um dos melhores da NFL na posição, machucou gravemente na Semana 6 e perdeu o resto do ano.

Como você percebeu pelo “quem chegou e quem saiu”, houve aquisições para o setor. Mas considerando como esta classe é talentosa, seria de bom grado que os Dolphins usassem escolhas a partir da terceira rodada em cornerbacks ou safeties.

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @CurtiAntony, ou nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

Necessidades no Draft: Ataque vai bem, mas Dolphins precisam de ajuda na defesa terrestre
Topo