Uma senha sera enviada para seu e-mail

O New York Giants está em uma posição rara no Draft de 2018 e terá uma chance única de draftar um quarterback na segunda na escolha geral. Eli Manning tem 37 anos e ainda demonstra capacidade de jogar em um bom nível, sendo um titular no mínimo razoável na NFL, algo que muitas franquias gostariam de ter. Ano passado, Manning sofreu com as lesões dos seus companheiros e, junto a sua fraca linha ofensiva, colocou o time em posição de vencer apenas três jogos – perdendo treze.

Por isso, é discutível que Manning não é o maior problema de New York e, ao gastar uma escolha de primeira rodada em uma posição que pode não ter um impacto imediato no primeiro ano poderia ser considerado um erro.

Para começar, vamos falar das outras opções que estarão disponíveis quando New York estiver no relógio.

Opção 1: Saquon Barkley

Você já sabe que Saquon Barkley é um jogador de outro mundo e para muitos é o melhor prospecto dessa classe. Ao pensarmos no jogo corrido do New York Giants, que não possui uma grande ameaça, a escolha de Saquon Barkley se encaixaria perfeitamente. O lado negativo é a fraca linha ofensiva que Barkley teria à disposição.

Opção 2: Bradley Chubb

Após a troca de Jason Pierre-Paul com o Tampa Bay Buccaneers, a escolha de Chubb passa a fazer mais sentido – ainda mais quando analisamos o perfil do atual general manager dos Giants, Dave Gettleman. Em seus tempos de general manager do Carolina Panthers, Gettleman sempre valorizou jogadores de trincheiras, então selecionar Chubb dá até a impressão que o terreno foi preparado para isso após a troca de Pierre-Paul.

Opção 3: Quenton Nelson

Dar a Eli Manning uma despedida digna nos seus últimos anos faz com que seja necessário oferecer uma linha ofensiva melhor – e nada melhor do que escolher um jogador que tem potencial para ser Pro Bowler no seu primeiro ano de liga.

A opção correta

Todas essas opções são boas, mas nenhuma é tão boa quanto draftar Josh Rosen.

Ele é o melhor quarterback desta classe e os Giants não podem jogar fora essa oportunidade. Sejamos sinceros, os Giants não estão em posição de desperdiçar uma chance dessas por acreditar que podem ganhar o Super Bowl com o elenco que têm. Eles acabaram de trocar de general manager, head coach e coordenador ofensivo. Além disso, a defesa ficou ranqueada em penúltimo quanto a jardas cedidas na temporada passada. Nenhum dos outros três prospectos será capaz de resolver isso e dar uma chance para Eli ganhar seu terceiro anel.

Rosen, por outro lado, pode ser o futuro aproveitando uma escolha alta no Draft sem ter que ceder nenhuma escolha futura. Nos últimos anos, Texans, Chiefs, Eagles, Rams e, recentemente, os Jets tiveram que subir para conseguir o seu quarterback pagando caro por isso. Os Giants não podem se dar ao luxo de ignorar isso para daqui dois ou três anos ter que fazer algo parecido para encontrar o seu novo franchise.

O que fazer com Eli Manning nesse caso?

Rosen está pronto para jogar na semana 1 caso necessário, então não é uma situação parecida com Alex Smith e Pat Mahomes em Kansas City – na qual era preciso que Mahomes aprendesse por um ano antes de ser jogado aos lobos. Porém, dá para tirar de exemplo o que os Chiefs fizeram e após um ano ou até mesmo após o Draft. Se for o caso, até tentar trocar Eli Manning. Philadelphia conseguiu uma escolha de 1ª rodada por Sam Bradford, será que nenhum time da liga estaria disposto a trocar por termos parecidos? Numa liga desesperada por signal callers, eu duvido muito que não.

Independente disso, Josh Rosen é um jogador que vale a pena ser escolhido na posição #2 geral?

Rosen é um jogador pronto para a NFL pois jogava em um ataque parecido, taticamente falando, com o que vemos na NFL. Além disso, ele possui mecânicas de lançamento excelentes, processamento mental acima da média, boa presença de pocket e consegue fazer todos os lançamentos necessários na NFL. É um quarterback tão pronto que, se você fizer um ranking de quarterbacks saindo do college nesta década, dificilmente ele não ficará dentro do top-5.

Os problemas acerca de Rosen incluem uma piscina dentro de seu quarto na universidade e rumores dos quais ele indaga muito os treinadores quando acha que algo não está de acordo – ele questionará o motivo de fazer X e não Y. Sinceramente, com uma comissão técnica bem preparada isso não é problema e, sim, solução. Antes ter um quarterback questionador sobre tudo do que o oposto. O caminho que Rosen prefere é o caminho oposto de um bust que não assiste tape. Sua inteligência fica evidenciada ao assistirmos aos jogos.

Leia também: Sobre millennials, arrogância e Josh Rosen

Cleveland provavelmente irá escolher Sam Darnold com a primeira escolha do Draft de 2018 e, ao entrar no relógio, New York possui a opção de Manning encerrar a carreira nos Giants – ou pensar no futuro com um novo General Manager, novo Head Coach e uma nova cara da franquia. Josh Rosen já pode ser o presente e certamente tem talento para ser o futuro.

Leia mais:   Draft Notebook - Conheça Zach Allen, mais um pass rusher de qualidade para o draft de 2019

Felipe Vieira é um dos fundadores do On The Clock, site voltado para a cobertura do Draft da NFL. Em março e abril, ele será colunista do ProFootball. Você pode conferir mais de seu trabalho em seu twitter.

Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @profootballbr e curta-nos no Facebook.