Uma senha sera enviada para seu e-mail

Depois de tirarmos do caminho wide receiversrunning backs, temos que falar de tight ends. Como já nos acostumamos, não haverá listas, entretanto. De forma alguma utilizaremos numerais ordinais,  como fizemos tantas vezes no passado. Iremos utilizar uma forma diferente, mas que facilita não só a categorização dos talentos disponíveis como ajuda você a tomar decisões na hora de selecionar jogadores.

Lembrando aos fanáticos que darei uma aula sobre Fantasy Football no Curso de Futebol Americano do ProFootball – aqui mais detalhes.

Rankings de Fantasy em 2017:
Guia Fantasy 2017: As 7 prateleiras de Wide Receivers para seu Draft
Guia Fantasy 2017: As 6 prateleiras de running backs para seu Draft
Guia Fantasy 2017: As 6 prateleiras de quarterbacks para seu Draft

Elencaremos os jogadores por tiers – que, em tradução livre, pode ser patamar, prateleiras, níveis. Em vez de rankearmos um por um, agruparemos os jogadores em níveis diferentes. Assim, os jogadores no tier 1 são os de elite naquela função; o tier 2 será o segundo escalão, e assim por diante.

Por que isso é importante? Pois bem: ao invés de você focar em um jogador, você tem um leque de opções relativamente próximos em termos de talento para o seu time de Fantasy. Se um running back do seu Tier 2 for selecionado, você ainda tem outra opções. Além disso, é uma forma fácil de identificar valor nas escolhas. Por exemplo,  você precisa de um running back. Os disponíveis são todos do seu Tier 5. Enquanto isso, tem um wide receiver Tier 3 disponível no board – você consegue capitalizar em cima de uma escolha que poderia ter sido gasta num running back menos valioso.

Posto isso, vamos aos melhores tight ends para a temporada que se aproxima! Para todos os efeitos, a pontuação tratada aqui é standard. 

Antes de irmos aos nomes, preciso fazer a recomendação: evite ou não selecione tight end antes da sexta rodada. O impacto de um tight end na sua equipe não é tão grande, não há escassez na posição e você consegue facilmente nomes produtivos na décima, décima-primeira rodada. Honestamente, o único tight end que eu selecionaria antes da quinta rodada seria Rob Gronkowski, e só lá na terceira rodada – mas ele nunca está disponível a essa altura do campeonato. Capitalize na pressa dos seus amigos em garantir um Greg Olsen da vida e construa um elenco mais rico em running backswide receivers.

Tier 1

Rob Gronkowski, New England Patriots – Escalar Rob Grokowski como seu tight end é como ter um wide receiver a mais. E é justamente por esse impacto que ele é o único tight end que vale um pick antes da sexta rodada. Em todas as temporadas na quais Gronkowski jogou pelo menos 10 jogos, ele bateu a marca de 120 recepções e 10 touchdowns 1. O problema é que isso só aconteceu em três das sete temporadas do camisa 87 na NFL.

Justamente por isso, o valor dele deve cair para final da segunda rodada – o average draft position do camisa 87 é na oitava escolha da segunda rodada em ligas de doze times. Ainda é um pouco cedo para mim, mas caindo um pouco além no meu draft eu fico tentado a selecioná-lo – mas não o condenaria por puxar o gatilho na 2.08. A média de 15 jardas por recepção da carreira de Rob Gronkowski é de uma discrepância para os outros da mesma posição – incomparável no Fantasy Football.

Tier 2

Jordan Reed, Washington Redskins – Se há medo de lesão em Rob Gronkowski, há tanto quanto em Jordan Reed. Quando saudável, o camisa 86 é uma ameaça constante na red zone para Kirk Cousins, e foi basicamente a melhor opção de passe . Em apenas oito jogos como titular em 2016, foram 12 targets e oito recepções na red zone para 59 jardas e cinco touchdowns. Todos os touchdowns foram dentro da faixa de 10 jardas do campo do adversário 2, mostrando que Reed é sem dúvidas o homem que Kirk Cousins procura para anotar pontos – tudo que um jogador de Fantasy Football pode querer.

Claro, a saúde de Reed é uma questão. Se saudável, o camisa 86 é uma senhora arma para o Washington Redskins, e ficar saudável é sempre difícil para o tight end. Seria relapso se não mencionasse que a chegada de Terrelle Pryor pode roubar um pouco da produção de Reed na red zone. De toda forma, com a saída de DeSean Jackson e Pierre Garçon (ambos com mais de 1000 jardas recebidas no ano passado), Reed pode ganhar mais volume – boa pedida em ligas PPR.

Greg Olsen, Carolina Panthers – O ex-Chicago Bear é um dos pontos principais do jogo aéreo do Carolina Panthers. Três temporadas consecutivas com mais de 1.000 jardas e pelo menos 77 recepções fazem da escolha de Olsen algo relativamente seguro para Fantasy Football. Foram apenas três touchdowns em 2016, mas é a velha história da regressão à média: esse número baixo deve voltar à normalidade em 2017.

Importante apontar que o ataque do Carolina Panthers fez adições importantes para 2017. O calouro Christian McCaffrey, o wide receiver Curtis Samuel e a promessa de um Kelvin Benjamin em forma tem o potencial de reduzir um pouco do volume de Olsen. Como todas as escolhas de tight end, não o selecionaria antes da sexta rodada, mas caso o faço, fique atento para as tendências do Carolina Panthers a tempo de conseguir trocá-lo com o valor ainda alto.

Jimmy Graham, Seattle Seahawks – Sob a suspeita de não ser produtivo em um ataque muito menos voltado para o passe do que o New Orleans Saints, Graham mostrou que pode ser um ponto focal para Russell Wilson em 2016. O camisa 88 teve o segundo maior número de targets (95) da equipe, atrás apenas de Doug Baldwin (125) 3 mudanças drásticas na situação ofensiva do Seattle Seahawks, Jimmy Graham promete em 2017, tendo em vista que sua habilidade de ganhar jardas após a recepção e agarrar bolas contestadas segue firme. O ataque dos Seahawks não é aquele sonho de volume para recebedores, mas você pode ter tight ends piores que Graham no elenco.

Travis Kelce, Kansas City Chiefs – Não há nada melhor do que ter um tight end que é o recebedor número um de qualquer ataque. A falta de utilização dos wide receivers do Kansas City Chiefs sob a batuta de Andy Reid tem feito de Travis Kelce um dos mais produtivos jogadores para Fantasy Football. Foram 1.125 jardas, 85 recepções e quatro touchdowns no ano passado.

Claro, há um porém. Justamente por essa temporada de destaque, Travis Kelce dificilmente cairá para além da quinta rodada, e o único tight end que selecionaria antes da quinta ou sexta rodada é Rob Gronkowski. Há o medo, também, de que Tyreek Hill pegue para si um pouco da produção aérea da equipe, que foi a vigésima-quinta em tentativas de passe em 2016 4

Tier 3

Delanie Walker, Tennessee Titans – Apesar do average draft position ser ao final da sétima rodada 5, o que acho particularmente alto, Delanie Walker tem a tendência de escapar das garras de jogadores de Fantasy Football durante o draft. Bom para você que está lendo essa lista. O Tennessee Titan liderou a equipe em targets na red zone, e apesar de ter agarrado apenas metade dos seus passes, a eficiência de Marcus Mariota na faixa final do campo é invejável 6. Ter alguém que capitalize nessa eficiência é importante, e Walker tem o entrosamento e confiança da equipe para anotar um alto número de touchdowns.



Hunter Henry, Los Angeles Chargers – O herdeiro de Antonio Gates chega no seu segundo ano com uma promessa de maior envolvimento no jogo aéreo da recém-movida franquia. Foram 573 snaps ofensivos em 2016 contra 585 de Antonio Gates, nos quais Henry anotou oito touchdowns em apenas 36 recepções em 56 targets. É um número de touchdowns difícil de sustentar e]com tão pouco volume, e com Gates retornando e dividindo a posição com Henry, é muito arriscado selecioná-lo no seu ADP atual (oitava rodada). 

Verdade seja dita, se as tendências de snap count e volume se mantiverem, Antonio Gates é um valor muito mais atraente na décima-terceira rodada. Henry é sem dúvidas o futuro da posição do Los Angeles Chargers, mas quando esse futuro começa?

Tyler Eifert, Cincinnati Bengals – Mais um caso de tight end cuja capacidade de ficar em campo é prejudicada. Quando saudável, Tyler Eifert é uma engrenagem valiosa para Andy Dalton e companhia, mas ele só foi titular em duas partidas em 2016, estando disponível em apenas oito jogos. Nesses jogos, foram 47 targets, média de 5.8 por partida, recebendo 29 dessas bolas para 394 jardas e cinco touchdowns. Eifert é um tight end com alto potencial, custa uma escolha mais baixa que Gronkowski e Reed, mas não o selecionaria no seu atual average draft position de 6.09.

Tier 4

Martellus Bennett, Green Bay Packers – A esperança é que Martellus Bennett seja para Aaron Rodgers o que Jared Cook não foi ano passado. O ex-Bear e ex-Patriots chega com respaldo para o ataque em rotas curtas e médias, mas há sempre o medo de que Bennett seja subutilizado, tal como Cook em 2016. É bem possível que Bennett acabe não valendo a escolha de sétima rodada. A aposta pode até se pagar, mas não espere um jogador de calibre dos tiers acima apenas pelo quarterback.

Kyle Rudolph, Minnesota Vikings – Apesar de não achar o teto de Rudolph alto, ele certamente se beneficia da precisão de Sam Bradford. Foram 840 jardas e sete touchdowns em 2016, número para lá de razoáveis, e com o average draft position de nona rodada, o valor está lá. Se ele cair para final da nona, começo da décima, não me oponho à escolha do jogador, embora também não me apegaria caso o produto de Notre Dame não produzisse o esperado.

Coby Fleener, New Orleans Saints – Em 2016, das 673 tentativas de passes de Drew Brees, 110 foram para tight ends. Em 2015, dos 627 passes, 142 para tight ends; indo mais além, em 2014,  foram 156 passes na direção do tight end dos 659. Bom, acho que você entenderam meu ponto: o New Orleans Saints utiliza bastante a posição. Fleener foi mal em 2016, mas considerando o volume que Drew Brees provém para Fantasy Football,  que Brandin Cooks e sua fatia de alvos (117) foram para Boston e que o average draft position de Coby Fleener está na décima-terceira rodada, o ex-Colt é um dos melhores valores na posição de tight end – imagina se ele resolve ir bem?

Jason Witten, Dallas Cowboys – A produção-base estará lá, mas o teto não é gigantesco. Não é como se Jason Witten fosse começar a correr go routes e anotar touchdowns de oitenta jardas. Nas trezes temporadas na NFL, apenas  uma com mais de 100 recepções, quatro para mais de mil jardas e nenhuma com dez touchdowns 7. Ele tem uma produção-base ótima, provavelmente sequer será selecionado em drafts, mas não é um jogador que te fará cair o queixo de semana a semana.

O.J. Howard, Tampa Bay Buccaneers – Teto alto, teto alto e mais teto alto de produção. O melhor prospecto de tight end desde Rob Gronkowski tem seu ADP na décima rodada – o que é um pouco cedo, confesso -, mas a torcida é que Howard suplante a competição de Cameron Brate e aproveitar a tendência de Jameis Winston procurar seus tight ends. Ainda assim, pode ser que Howard não suplante Brate de cara 8, e que Winston procure menos a posição com a adição de DeSean Jackson e o hype de Mike Evans.

Antonio Gates, Los Angeles Chargers – Falamos brevemente de Gates acima, mas ele merece um pouco mais de texto. O veteraníssimo não é mais o jogador explosivo que era, mas é ainda o homem de confiança de Philip Rivers. Ele terá volume, mas não terá as jardas para ser produtivo sem depender excessivamente de touchdowns. Você pode ter nomes piores que Gates no elenco, mas não espere o monstro do Fantasy de anos atrás.



Tier 5

Eric Ebron, Detroit Lions – Mais um ano que venho recomendar Eric Ebron. Ele anotou apenas um touchdown em 2016, o que é uma enorme bandeira vermelha para Fantasy, mas seu envolvimento em um dos ataques aéreos mais prolíficos da NFL é algo a se observar: 85 targets e 711 jardas em treze partidas. Com um ADP para além da décima-segunda rodada, Ebron é um ótimo valor, e deve ter uma regressão positiva em 2017.

Jack Doyle, Indianapolis Colts – Com a saída de Dwayne Allen e Coby Fleener nas últimas duas temporadas, Jack Doyle virou o único homem na posição de tight end para um dos melhores quarterbacks da NFL. Em 2016, foram 59 recepções, 584 jardas e cinco touchdowns, e agora que Allen está em Boston, Doyle tem o potencial de ser um produtivo tight end para o seu time de Fantasy. Sem falar que o ADP de décima-segunda rodada é bastante atraente…

Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

“RODAPE"

  1. Rob Gronkowski Career Stats. Pro Football Reference. Acesso em 16/08/2017 – https://www.pro-football-reference.com/players/G/GronRo00.htm
  2. 2016 Red Zone Receiving Stats. Pro Football Reference. Acesso em 13/08/2017 – https://www.pro-football-reference.com/years/2016/redzone-receiving.htm
  3. 2016 Seattle Seahawks Stats. Pro Fooball Reference. Acesso em 13/08/2017 – https://www.pro-football-reference.com/teams/sea/2016.htm
  4.  2016 NFL Team Passing Stats. ESPN.com. Acesso em 13/008/2017 – http://www.espn.com/nfl/statistics/team/_/stat/passing/sort/passingAttempts
  5. Average Draft Position 2017. Fantasy Football Calculator. Acesso em 16/08/2017 -https://fantasyfootballcalculator.com/adp?format=standard&year=2017&teams=12&view=graph&pos=te
  6.  Eric Decker’s Fantasy Impact on the Tennessee Titans. MICELI, Eduardo. Dominate Fantasy. Acesso em 16/08/2017 http://www.dominatefantasy.com/2017/06/22/eric-deckers-fantasy-impact-tennessee-titans/
  7. Jason Witten Career Stats. Pro Football Reference. Acesso em 16/08/2017 – https://www.pro-football-reference.com/players/W/WittJa00.htm
  8.  Buccaneers’ Cameron Brate: Will share TE targets with first-rounder. CBS Sports. Acesso em 16/08/2017 – https://www.cbssports.com/fantasy/football/news/buccaneers-cameron-brate-will-share-te-targets-with-first-rounder/