Uma senha sera enviada para seu e-mail

O Super Bowl XXXVIII é com certeza um dos mais subestimados, visto ele poucas vezes figurar nas listas dos melhores da história. As pessoas simplesmente parecem ter se esquecido do quão excepcional foi o confronto entre New England Patriots e Carolina Panthers.

Alternando momentos de intensa batalha defensiva com minutos de explosão ofensiva de ambos os lados, o jogo só foi decidido a quatro segundos do fim graças a um field goal convertido por Adam Vinatieri, o qual garantiu o triunfo de New England por 32 a 29. Antes disso, porém, muita coisa interessante aconteceu e vários recordes foram quebrados no duelo.

Ademais, o Super Bowl disputado no dia 01 de fevereiro de 2004 também é famoso por ter tido um dos shows do intervalo mais controversos de todos os tempos – mamilos, não importa a ocasião, são sempre polêmicos. O incidente com a cantora Janet Jackson mudou para sempre a forma como as transmissões televisivas ao vivo são feitas nos Estados Unidos.



O caminho até o Super Bowl

Antes da temporada começar, possivelmente ninguém apostava em uma final de campeonato entre Patriots e Panthers. Carolina era uma franquia quase irrelevante na liga, a qual não somava um record positivo desde 1996 – seu segundo ano de existência -, quando chegou até o NFC Championship Game. Em 2003, o time parecia viver uma fase de reconstrução liderada pelo head coach John Fox e pelo jovem defensive end Julius Peppers.

Contudo, os Panthers conseguiram ganhar 11 jogos na temporada regular e sagraram-se campeões da NFC South, divisão que contava com o Tampa Bay Buccaneers, na época os atuais campeões da NFL. Nos playoffs, deixaram pelo caminho respectivamente Cowboys, Rams e Eagles.

New England, por sua vez, ainda não era o bicho papão que conhecemos hoje. A equipe ficou fora do mata-mata em 2002, após terminar com um record 9-7. Tom Brady, apesar de já possuir um anel de campeão, não era um futuro membro do Hall da Fama e a maior força dos Patriots vinha de sua defesa. Mesmo assim, o time venceu 14 partidas e terminou a temporada regular com a melhor campanha da Conferência Americana. No Divisional Round, derrubou os Titans e na sequência ganhou dos Colts.

Duelo de defesas (ou quase isso)

De uma maneira geral, o jogo entre Panthers e Patriots foi bem estranho1. Durante grande parte do tempo foi um confronto extremamente físico e duro, pois ambos os times possuíam sistemas defensivos consistentes. Por exemplo, ninguém conseguiu anotar um ponto sequer no primeiro e terceiro quarto. Por outro lado, como dissemos antes, houve momentos de explosão ofensiva em que as franquias pontuaram com uma velocidade impressionante, até porque o placar de 32 a 29 não foi construído em um passe de mágica.

O 0 a 0 só foi tirado do placar depois de quase 27 minutos de partida, um recorde no Super Bowl. Faltando cerca de três minutos para o intervalo, Brady conectou um passe de cinco jardas para Deion Branch. Vale dizer que a campanha começou na linha de 20 de Carolina, pois Mike Vrabel forçou um fumble do quarterback Jake Delhomme. Na sequência, os Panthers empataram em um drive relâmpago de dois minutos e 95 jardas. O touchdown foi anotado em um belo lançamento de 39 jardas para Steve Smith, aquele mesmo que até o ano passado estava atormentando a vida dos defensores adversários.

Quer mais textos sobre a história da NFL? Confira nosso Clube de Benefícios, o ProClub, e tenha acesso a sorteios e textos exclusivos!

Na posse seguinte, Brady acertou um passe de 52 jardas para Branch e colocou New England de novo à frente no placar em uma conexão com David Givens. Por fim, Carolina recebeu a bola de volta com 18 segundos no relógio, caminhou algumas jardas e chutou um field goal com John Kasay após o kickoff curto de Vinatieri. Caso você tenha perdido as contas, foram 24 pontos em três minutos.

Retornando dos vestiários, os times ficaram o terceiro quarto inteiro trocando punts. O marcador só foi alterado no início do quarto derradeiro, graças à uma corrida de duas jardas de Antowain Smith, que colocou os Patriots 11 pontos na frente.

Carolina, porém, reagiu e virou com dois touchdowns consecutivos. O primeiro foi marcado por DeShaun Foster e o segundo em uma recepção espetacular de 85 jardas do wide receiver Muhsin Muhammad. Entre as duas pontuações, Brady foi interceptado por Christian Fauria na beira da end zone dos Panthers. O placar agora mostrava 22 a 21 para os representantes da NFC – eles tentaram uma conversão de dois pontos, mas falharam.

Em seguida, New England retomou a dianteira com uma sólida campanha de 68 jardas, finalizada após a recepção curta do linebacker Mike Vrabel em uma trick play. Carolina recebeu a bola com cerca de três minutos no relógio e de maneira valente empatou o confronto outra vez. Delhomme fez um excelente drive, encontrando Ricky Proehl sozinho na end zone.

Restava pouco mais de um minuto no cronômetro e Tom Brady precisaria brilhar novamente, assim como havia feito dois anos antes diante dos Rams. Para sua sorte, John Kasay chutou o kickoff fora do campo e New England começou a campanha decisiva na sua linha de 40 jardas. Brady foi perfeito, caminhou 37 jardas em um minuto e posicionou a bola para um disparo de 41 jardas de Vinatieri. O kicker se redimiu dos dois chutes errados antes naquele dia e colocou a bola para dentro sem sustos, assim como aconteceu contra St. Louis no Super Bowl XXXVI.

A vitória dos Patriots por 32 a 292 resultou em vários números impressionantes. Por exemplo, as 868 jardas obtidas pelas duas equipes foram a segunda maior marca na história dos Super Bowls. Também foi apenas a segunda vez em que ambos os quarterbacks passaram das 300 jardas aéreas na final da NFL. Ademais, os 37 pontos somados no último quarto foram um recorde absoluto.



Legado: a polêmica no show do intervalo

Vamos falar então da tal controvérsia no show do intervalo, afinal já fizemos muito suspense sobre o assunto.

No final da apresentação de Janet Jackson, Justin Timberlake, o convidado especial do show, rasgou a roupa da cantora durante a sua performance, fazendo com que Jackson mostrasse demais para uma audiência de 143 milhões de pessoas. Segundo Timberlake, tudo não passou de um acidente infeliz, um “mau funcionamento do guarda-roupa” (wardrobe malfunction). Seja como for, Jackson ficou com o seio à mostra por um segundo até a imagem ser cortada.

Entre outras coisas, o incidente gerou inúmeros pedidos de desculpas dos envolvidos e da própria rede de televisão CBS, a qual acabou recebendo uma multa astronômica e precisou brigar nos tribunais por vários anos para se livrar da punição. Desde então, todas as apresentações ao vivo na televisão americana têm um delay de cinco segundos para evitar que algo assim ocorra de novo. Nos próximos meses esta história certamente voltará à tona graças à provável escolha de Timberlake como principal atração musical do Super Bowl LII.

Comentários? Feedback? Siga-me no Twitter em @MoralezPFB, ou nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

“RODAPE"

  1. https://www.pro-football-reference.com/boxscores/200402010car.htm Acesso em: 27/09/2017
  2. https://www.youtube.com/watch?v=WX6vioW7SZc Acesso em: 27/09/2017