Os 8 comerciais mais marcantes da história do Super Bowl

O Super Bowl é o maior evento esportivo singular do mundo. Claro que os Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo da FIFA são mais populares e atraem uma audiência total maior, mas a grande final da NFL se diferencia por ser um único jogo em um único dia valendo tudo ou nada.

Nem mesmo nas outras grandes ligas americanas (MLB, NBA, NHL) há isso, já que as finais ocorrem em séries, alternando-se entre os ballparks/arenas dos times brigando pelo título e nunca sabemos ao certo quando o campeão será coroado – mas na NFL não: a final começa e termina num só dia, com a certeza de que veremos a história sendo feita em frente aos nossos olhos.

Talvez justamente por isso o Super Bowl tenha se arraigado de tal forma na cultura norte-americana a ponto de, atualmente, ser difícil imaginar que outro evento similar tome seu lugar.

Por todos esses fatores, a audiência é astronômica e vários fronts culturais têm seu pico no domingo do Super Bowl. Os melhores comerciais das empresas são lançados no intervalo do jogo, a execução do hino nacional, tradicional em eventos esportivos, é sempre feita com um nome de peso e temos também, claro, a cereja doo bolo: o halftime show que sempre traz grandes produções.

Hoje e amanhã eu falarei brevemente aqui no Pro Football sobre alguns desses aspectos culturais. Neste primeiro texto, falaremos do show da publicidade.

Uma das coisas mais esperadas por quem assiste ao jogo pela televisão nos Estados Unidos são os comerciais (cerca de 18% dos adultos acham que esta é a parte mais importante do evento). As propagandas com melhores produções e/ou mais engraçados sempre são lançadas nos intervalos de Super Bowls, devido à garantia de audiência máxima – e, por isso, são sempre caras: este ano, a Fox está cobrando algo em torno de 5 e 5,5 milhões de dólares pelos slots de 30 segundos – isso mesmo CINCO MILHÕES DE DÓLARES!

Falarei um pouco dos oito comerciais que marcaram época por um motivo ou outro, seja pelo humor, pela fofura ou até mesmo por significado histórico. Vamos lá?

MENÇÕES HONROSAS: Doritos, E-Trade e Budweiser sempre apresentam comerciais de alto calibre, no entanto nenhum entrou para esta lista em particular.

  1. CHRYSLER: IMPORTED FROM DETROIT (SUPER BOWL XLV, 2011)

Detroit foi uma das cidades mais afetadas pela crise financeira que assolou os Estados Unidos no passado recente. Este comercial, que teve participação do rapper Eminen, mostra que, apesar de tudo, a “Motor City” ainda tem seu valor.

  1. PEPSI: BOB’S HOUSE (SUPER BOWL XLII, 2008)

Uma propaganda totalmente feita em ASL (linguagem de sinais, o equivalente americano à LIBRAS) e com uma releitura positiva de uma clássica piada envolvendo a surdez. Os aspectos que diferenciam este comercial são a inovação e a preocupação com a inclusão, valores muito em voga atualmente. P.S. a Pepsi é a única empresa a ser representada duas vezes na lista.

  1. REEBOK: TERRY TATE, OFFICE (Super Bowl XXXVII, 2003)

O que acontece num escritório quando você traz um para supervisionar a produtividade dos funcionários? A Reebok fez uma série de comerciais – um deles lançado no Super Bowl XXXVII – mostrando exatamente isso: Terry Tate (vivido por Lester Speight, ex-jogador de futebol americano de Morgan State que não vingou na NFL e é mais conhecido por interpretar o Calvin daquela série antiga “Eu, a patroa e as crianças”) amedronta todo mundo no trabalho e rende várias risadas!

  1. AXE: FIND YOUR MAGIC (SUPER BOWL 50, 2016)

Em 2016, a Unilever quebrou paradigmas com sua propaganda para a Axe. A grande sacada do comercial foi celebrar a diversidade, mostrando que nem todos os homens precisam ou querem ser iguais Terry Crews (astro dos comerciais da concorrência). Musculoso ou magrelo, branco ou negro, hétero ou gay – o vídeo inspira cada um a achar aquilo que o torna especial.

  1. COCA-COLA: MEAN JOE GREENE (SUPER BOWL XIII, 1979)

Um pequeno fã oferece uma coca-cola ao jogador mais durão da NFL na época, “Mean” Joe Greene e este, após bebê-la, abre um grande sorriso e dá sua camiseta para o torcedor. Pode parecer algo meio simplório, especialmente se visto hoje em dia, mas este é o segredo desse comercial: a simplicidade. Anos depois, outro ídolo da torcida dos Steelers, Troy Polamalu, participou de um remake “engraçadinho” do comercial.

  1. VOLKSWAGEN: THE FORCE (SUPER BOWL XLV, 2011)

Crianças sempre são sucesso em comerciais. Uma criança vestida de Darth Vader e tentando desenvolver “A Força” então, mais ainda. Com um ótimo conceito e considerado por muitos como um dos melhores comerciais de todos os tempos, este só não está em primeiro lugar devido à importância histórica do nosso #2 e porque o #1 é realmente MUITO engraçado.

  1. APPLE: 1984 (SUPER BOWL XVIII, 1984)

Este comercial, que apresentava ao mundo o Macintosh, foi exibido em rede nacional apenas uma vez. Há uma referência explícita à obra “1984”, de George Orwell, além de uma produção bastante grande para a época. Marcou história!

  1. PEPSI: YOUR CHEATING HEART  (SUPER BOWL XXX, 1996)

Eu gostaria muito de evitar o clichê e colocar como melhor comercial da história do Super Bowl algo historicamente relevante, que tivesse marcado época ou que tivesse crianças, mas essa pérola de 1996 é ao mesmo tempo simples e engraçada demais.

O entregador da marca concorrente pensa que não tem ninguém vendo e resolve experimentar uma Pepsi, só que sua traição é filmada pela câmera de segurança – sem contar num plot twist daqueles…

Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @profootballbr e curta-nos no Facebook.
Instagram Feed Instagram Feed Instagram Feed Instagram Feed Instagram Feed Instagram Feed

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.