Uma senha sera enviada para seu e-mail

Volta e meia ouvimos falar que a defesa do Cleveland Browns é fraca. Também ouvimos dizer que “os Browns precisam de linebackers”. Soa até natural falarmos da defesa de um time que perdeu todos os 16 jogos na última temporada e tem um recorde de 1-31 nas duas últimas.

Normal também ao olharmos o elenco e vermos os jogadores na posição de linebacker reconhecermos apenas Jamie Collins, ex-New England. Jogador vigoroso, ele teve ótimas temporadas sob o comando de Bill Belichick, inclusive vencendo um Super Bowl antes de ser trocado para os Browns.

Pois acredite, o grupo é muito mais que isso e Collins que precisa melhorar na temporada que está por chegar.

Joe Schobert é simplesmente uma máquina de tackles. Logo em seu segundo ano na liga, ele fez a transição para posição de inside e liderou a NFL em tackles, com 144. Sua capacidade de sair dos bloqueios e sua boa leitura dos movimentos ofensivos aliada a uma excelente reação o transformaram num jogador capaz de cobrir de uma lateral a outra com qualidade. Numa defesa 4-3 é de suma importância que o inside consiga fazer isso. Schobert ainda demonstrou boa capacidade contra o jogo de passe, especialmente patrulhando o meio do campo em zona. Ele terá apenas 24 anos quando a nova temporada começar e segue em passos firmes para se tornar um dos melhores da posição em toda liga.

No weakside (o lado fraco, oposto ao tight end) se não é tão brilhante quanto Schobert, Christian Kirskey faz um sólido trabalho. Destacando-se especialmente contra o jogo corrido, Kirksey teve 138 tackles e terminou a temporada no top 5 da liga na categoria entre os jogadores da posição. Seu trabalho contra o passe ainda precisa ser refinado, especialmente contra o play action, mas esta longe de ser ruim.

No strongside (o lado forte, onde esta o tight end), Collins deveria ser a estrela da unidade.

Não foi o que aconteceu desde sua chegada, na metade de 2016. Se no primeiro ano ele “pegou o bonde andando”, em 2017 as lesões o abateram. Primeiro foram três partidas ausente por uma concussão. Depois, na Semana 10 contra os Lions, uma lesão no ligamento medial colateral do seu joelho direito o tirou do restante da temporada. Um ano sofrendo com lesões e isso pode acontecer com qualquer jogador, certo?

Sim, mas o grande problema é que no tempo que esteve saudável Collins teve atuações abaixo da média. Seu trabalho contra o jogo corrido foi frágil e contra o jogo aéreo ele não demonstrou melhor eficiência. Contra os Ravens na Semana 2 seu lado foi muito explorado tanto pelo chão quanto pelo ar. Collins está acabado para NFL? De maneira alguma. Já vimos muitos e muitos casos de atletas que dão a volta por cima após momentos ruins e se Collins conseguir isso poderá e muito ajudar os Browns.




O front office preferiu não arriscar e fez movimentos que tornam o grupo mais coeso.

Mychal Kendricks foi peça importante nos últimos anos na defesa do atual vencedor do Super Bowl, o Philadelphia Eagles. Ele apenas foi dispensado por insistir em ter mais tempo de jogo, algo que não ocorria no sistema do coordenador defensivo Jim Schwartz. Kendricks teve uma excelente temporada pelos Eagles e se destaca por sua versatilidade.

Ele é capaz de jogar nas três funções da posição e poderá ocupar o lugar de Collins caso sua produtividade continue baixa. Suas qualidades para deter o jogo corrido e contra o passe são exclamadas, mas sua capacidade de pressionar o quarterback por vezes é esquecida. Bom em blitz, ele tem 14 sacks na carreira e isso deverá ser explorado por uma equipe que tem defensive ends de qualidade que geram muita preocupação por si só nas linhas ofensivas adversárias.

No draft, uma escolha que não gerou estardalhaço complementará bem o grupo: Gennard Avery, escolhido na 5ª rodada e vindo da universidade de Memphis. Excelente atleta, com bom processamento mental e velocidade, ele deverá ser refinado no primeiro ano, mas suas capacidades em conter corridas por fora dos tackles e em zona poderão ser aproveitadas desde já.

Mais NFL:
Após limpa no vestiário, os Dolphins terão paciência com Adam Gase até quando?
10 Opiniões: Os 10 melhores jogos da NFL na Temporada 2017
A silenciosa renovação nos Bengals e o futuro incerto de AJ Green

Dito isso, é bom lembrar que o coordenador defensivo Gregg Williams foi o que mais utilizou pacotes com 3 ou mais linebackers na temporada passada. Ele muitas vezes substitui defensive pelos mesmos em situações de passe. Com este grupo sua criatividade poderá ficar ainda mais aflorada.

Uma defesa consistente é um grande passo para recuperação de um time. Se depender do seu grupo de linebackers para 2018, os torcedores dos Browns podem dormir um pouco mais tranquilos e esperançosos que o ano será diferente.


“proclubl"