Uma senha sera enviada para seu e-mail

Imagine que seu time tivesse um recebedor de 25 anos, vindo de dois graves problemas de saúde, os quais permitiram que ele jogasse apenas oito jogos nas últimas duas temporadas. Mais do que isso, nunca participou de 16 partidas em quatro anos na liga. Certamente, a maioria dos torcedores ficaria, no mínimo, com o pé atrás. Só que tratamos aqui de um jogador que quebrou recordes e foi essencial para sua equipe em 2017.

2017 certamente foi um ano bastante estranho para os Chargers. A saída de San Diego não deixou um gosto agradável e era essencial uma boa temporada na casa nova, em Los Angeles. E um dos principais nomes para a sólida campanha da equipe foi Keenan Allen.

Duas sérias lesões em sequência

Allen teve um início de carreira muito bom na NFL: em 2013, quebrou a marca das 1000 jardas recebidas logo em sua temporada de calouro, com 8 touchdowns recebidos. Com a performance, foi uma das sensações entre os calouros. Já em 2014, teve uma torção no tornozelo e quebrou a clavícula na semana 15 da temporada regular, perdendo os dois jogos finais. Ainda assim, passou de 700 jardas recebidas, com 4 touchdowns.



Daí em diante, as coisas complicaram para o jovem recebedor. Isso porque a temporada de 2015 se encerrou na metade para ele. Depois de receber novamente mais de 700 jardas nos primeiros 8 jogos, Allen sofreu um rompimento de um dos rins ao bater com muita força a região da lombar quando fazia uma recepção na end zone. A delicada lesão exigiu cirurgia, fazendo com o que o terceiranista perdesse a segunda metade da temporada. Ainda assim, o torcedor ficou muito otimista com a produção do recebedor.

Só que em 2016 a temporada acabou ainda mais precocemente. Logo no primeiro jogo da temporada, o wide receiver teve um rompimento completo do ligamento cruzado anterior do joelho. Como efeito, precisou passar por mais uma cirurgia, perdendo o restante da temporada.

2017: o ponto de interrogação e os recordes

A temporada de 2017 chegou, e uma certa desconfiança pairava sobre o futuro de Allen. Apesar do gigantesco potencial demonstrado enquanto esteve em campo, era impossível saber como ele voltaria da lesão. Isso porque uma lesão dessa pode acabar com a carreira de um jogador de posições como running backwide receiver, por exemplo.

Se ninguém sabia como Keenan voltaria, ele tratou de responder sem deixar dúvidas. Para começar, pela primeira vez em 5 temporadas na NFL, ele participou de todas as partidas. Mais do que isso, teve uma produção excepcional para um recebedor. Foram 102 recepções para 1,393 jardas, com 6 touchdowns. Os números garantiram uma vaga no Pro Bowl pela primeira vez na carreira e o colocaram como recordista da franquia em recepções em uma temporada.

Mais do que um ótimo ano em termos estatísticos, o wide receiver teve papel importantíssimo para o sucesso do ataque do time. Com Antonio Gates tendo uma temporada apagada, Allen apareceu como alvo de segurança para Philip Rivers – tanto é que liderou a liga com 36 recepções e 552 jardas em terceiras descidas. Além disso, quando ele recebeu passes, o time venceu: campanha de 6 vitórias e apenas 1 derrota quando teve 6 ou mais recepções. Considerando que foram 9 vitórias na temporada, é fácil dizer que o recebedor foi essencial para a campanha vitoriosa.



O retorno do recebedor aos gramados foi tão bom que até interceptação ele conseguiu. Em uma tentativa de hail mary do New York Jets, ele entrou em campo do lado defensivo, e conseguiu impedir que o adversário colocasse pontos no placar. Pode-se dizer que foi uma bela coroação de uma temporada fantástica, ainda mais depois de duas lesões tão graves.

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @muriloromulo – e ainda, nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

Textos Exclusivos do ProClub, Assine!
Mesmo com a lesão, 2017 é o ano que Carson Wentz apareceu para o mundo

A janela de oportunidade dos Steelers está fechando?
História: As 10 melhores Finais de Conferência da história da NFL
Josh McDaniels será capaz de salvar a carreira de Andrew Luck?