Entre em contato

NFL

Como Ezekiel Elliott e Dak Prescott se completaram em 2016

Como Ezekiel Elliott e Dak Prescott se completaram em 2016

Vivemos numa era de desvalorização de running backs além dos 30 anos. A posição é que recebe mais punição física dentre aquelas no ataque. Natural que lesões atrapalhassem a produtividade de backs em idade avançada. Além disso, ao contrário do quarterback – que não precisa de movimentos atléticos para ser bem-sucedido após passar dos 30 anos – o running back tem menos explosão muscular na medida em que sua idade vai avançando.

Ante esse panorama, é cada vez mais comum ver equipes apostando em talentos jovens e jogando de lado aqueles backs com idade mais avançada. Dos 15 corredores com mais tentativas de corridas em 2016, 14 tinham 30 anos ou menos – e Matt Forté, com 31 anos, era o 15º da lista. No mesmo ano, dentre os dez com mais jardas corridas, nenhum tinha mais de 30 anos – LeGarrette Blount, principal back no ataque dos Patriots, tinha 30 (mas era um tanto quanto ajudado pelo fato das defesas temerem o jogo aéreo de New England, abrindo espaço para suas corridas).

Nesse contexto, os jovens vem se destacando. E falar sobre jogo terrestre em 2016 sem falar de Ezekiel Elliott seria um ultraje. Aos 21 anos e escolha de primeira rodada (quarta geral) pelo Dallas Cowboys, Elliott liderou a NFL em jardas terrestres – foram 1631. Suas 5,1 jardas por tentativa fizeram com que as defesas adversárias temessem o poder de Zeke e da linha ofensiva dos Cowboys.

Por tabela, Dallas se postou em várias situações de descidas-distâncias curtas – onde o play action seria mortal. E foi. Indiretamente – isso não tira seus méritos, que fique claro, o copo estava meio cheio e ele terminou de preenche-lo – o outro calouro do ataque, Dak Prescott, foi extremamente beneficiado e aproveitou a oportunidade que lhe foi dada.

Leia também: 

Pelo Draft, Panthers buscaram armas para ajudar Cam Newton a voltar à forma de MVP
Ao menos como reserva, Colin Kaepernick deveria ter outra chance
Draft 2017: Os jogadores com maior potencial de serem barganhas
Steelers draftaram em Joshua Dobbs o maior potencial de “Dak Prescott 2017”

24% dos passes de Dak Prescott foram em play action – segunda maior marca da NFL. Nestes, obteve 75% de aproveitamento – melhor marca da liga em play action – e o segundo melhor rating dentre os quarterbacks em passes após o fake para o running back.

Alguns touchdowns dos Cowboys vieram através do play action. Na semana 6, contra os Packers, um para Cole Beasley (quatro jardas). Na semana 9, contra os Browns, outro. Na 15 contra Tampa Bay, um de 21 jardas para Bryce Butler. O running back pode ser uma posição em queda de valor se compararmos como ele era avaliado na década passada. Mas se você tiver um jogo terrestre forte, pode maximizar os talentos de seu quarterback. Dak Prescott que o diga.

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @CurtiAntony ou no facebook – e ainda, nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.
“RODAPE"

Mais em NFL