Uma senha sera enviada para seu e-mail

As férias da NFL marcam um período no qual alguns jogadores que não conseguem ficar parados aproveitam o calendário vazio para praticar outros esportes. Não são raros na história do futebol americano haver atletas de destaque (outros nem tanto) que fizeram boas carreiras em outras modalidades. E não pense que esses jogadores ficaram só nos esportes “vizinhos”. Tem de tudo um pouco, inclusive poker e lançamento de dardo.

O maior destaque não poderia ser diferente: Bo Jackson (foto acima, promocional). Em mídia e propaganda, não há outro caso de maior sucesso na história da cultura esportiva americana para um jogador que brilhou na NFL e na MLB. A trajetória de Jackson criou um fenômeno de vendas da Nike durante a década de 1980, e o lendário ex-outfielder e running back conseguiu grandes feitos nas duas ligas.

Jackson foi o único a ter ido ao All-Star Game na NFL (o Pro Bowl) e MLB, porém, o que chama mais atenção aconteceu quando ele ainda estava na universidade. Uma verdadeira estrela no bastão em Auburn, em 1985, mesmo ano em que ganhou o Troféu Heisman como running back, ele teve 40,1% de aproveitamento no bastão e 17 home runs em 42 jogos — marcas que mesmo no beisebol universitário são extremamente difíceis de serem batidas.

Na MLB, Jackson ficou em ação durante oito temporadas (1986-1991 e 1993-1994), e foi um dos 10 melhores jogadores da temporada de 1989 com o Kansas City Royals. Na NFL, com o Los Angeles Raiders, entrou para o Pro Bowl um ano após a seleção no All-Star Game do melhor beisebol do mundo.

A trajetória de Jackson foi brilhante, e por mais que seja difícil conciliar os dois esportes profissionais no calendário, inspirou outros atletas a seguirem o mesmo caminho. Em épocas parecidas, o lendário Deion Sanders tentou replicar os passos de Jackson, mas sem o mesmo sucesso em ambas modalidades.

Sanders teve muito mais destaque no futebol americano, com um auge espetacular no meio da década de 1990. Eleito melhor jogador defensivo do ano em 1994, foi Pro Bowl oito vezes e com dois títulos do Super Bowl (San Francisco 49ers e Dallas Cowboys). Na MLB, apesar das nove temporadas jogando no campo central, não foi para o All-Star nenhuma vez.

Entre os atletas de sucesso recente, a lista para por aí. Russell Wilson poderia trilhar um caminho parecido, mas não foi para frente com os seus testes vestindo a camisa do Texas Rangers. Colin Kaepernick também foi draftado na MLB, lembramos.

Tom Brady quase foi para as ligas menores do Montreal Expos, pois tinha muita habilidade como catcher no high school, e chegou a ser escolhido no Draft de 1995 quando tinha apenas 18 anos. Mas para alegria dos torcedores do New England Patriots e desespero do resto da AFC East, ele resolveu deixar o bastão de lado e o resto é história.

Outro caso que chama atenção é do jogador em atividade Josh Lambo. O atual kicker do Los Angeles Chargers desbancou o veterano Nick Novak para assumir a vaga de titular em 2015. Mas antes de ser um atleta sólido nos campos da NFL, Lambo tinha afinidade com a bola redonda. Ele foi goleiro titular da seleção dos Estados Unidos no mundial sub-17 de 2007 e chegou a assinar com o FC Dallas (MLS).Lambo só começou a praticar futebol americano com frequência na universidade, quando o ex-kicker do New Orleans Saints, Taylor Mehlhaff, indicou treinar chutes bom a bola oval — o que deu muito certo.

Não é só nos campos de beisebol e de futebol que os jogadores da NFL praticam outros esportes. Nas mesas, um dos melhores jogadores que mais se destacam no poker é Calais Campbell. O defensor do Jacksonville Jaguars, que já disputou dois Pro Bowls, é frequente em torneios disputados em Las Vegas.

Não é difícil entender a afinidade de alguns atletas do futebol americano em relação ao poker. São dois esportes que se assemelham em algumas características mentais, principalmente quando o assunto é estratégia.

São dezenas de casos parecidos com o de Lambo, Brady e Campbell — fica impossível citar todos de uma vez. Outros de mais destaque que merecem menção são: Troy Aikman (beisebol), Terry Bradshaw (lançamento de dardo), Chris Bahr (futebol), Matt Bahr (futebol), Daunte Culpepper (beisebol), John Elway (beisebol), Erick Decker (beisebol) e Robert Griffin III (atletismo).

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @CurtiAntony ou no facebook – e ainda, nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.