Uma senha sera enviada para seu e-mail

“Ish”. Foi com essas palavras que descrevi o total e completo apagão do New England Patriots no primeiro tempo. Ao início da partida, nos 15 minutos iniciais, nenhuma equipe conseguiu pontuar no que parecia ser um duelo mais defensivo. Depois, os Falcons deslancharam no placar e, inclusive, conseguiram interceptação forçada em Tom Brady – a qual seria retornada para touchdown.

Com oito minutos faltando no terceiro quarto, os Patriots estavam 25 pontos atrás no placar (28-3). Na sequência, marcaram 31 pontos sem resposta por parte de Atlanta, de longe a maior virada na história do Super Bowl. A anterior, por empate, pertencia a New England (10, XLIX), New Orleans (10, XLIV) e Washington (10, XXII). O desespero atingiu seu auge quando Bill Belichick abriu a caixa de ferramentas com um passe por Julian Edelman. A última vez que aquilo tinha acontecido havia sido nos playoffs de 2014, quando New England estava atrás no placar por 14 pontos contra Baltimore. Ontem, após o passe incompleto de Edelman, a chance de vitória de Atlanta subiu para 99,5% de acordo com a ESPN americana. Dali em diante, só caiu.

Com jogo terrestre anêmico, Brady coloca o time nas costas e vira partida

Aos trancos e barrancos, o jogo terrestre dos Patriots atingiu 100 jardas totais – mas, de toda forma, parecia mais engasgado que um Opala 88. Em várias oportunidades as corridas patriotas não iam a lugar nenhum – forçando Brady e o coordenador ofensivo, Josh McDaniels, a realizar chamadas de passe em inúmeras terceiras descidas longas.

quarterback dos Patriots, então, passou a bola como nunca. Foram 62 (!!!!!) tentativas de passe, sendo 43 completas para 466 jardas. Como você deve imaginar, todos esses números são recordes de Super Bowl. As definições de “decisivo” foram atualizadas no dicionário com foto de Brady. Ele teve tantos passes completos no último quarto quanto nos três primeiros combinados.

Não que seja algo novo. No Super Bowl XLIX, Tom também teve uma atuação heroica no último período. Nada comparável ao que vimos ontem, como acima já mencionamos em termos de virada.

28 a 12, 28 a 18 + conversão de dois pontos, 28 a 26 + conversão de dois pontos. New England operou seguidos milagres enquanto as chamadas de Atlanta pareciam não fazer sentido – ao invés de chamar corridas para queimar cronômetro no último quarto, Kyle Shanahan continuava a mandar Matt Ryan a passar a bola. Num clima como o de ontem, nada parecia fazer sentido. Não fez fora testemunharmos a grandeza do coração de Brady.

Foi a primeira prorrogação da história do Super Bowl, com os Patriots vencendo com touchdown na prorrogação após vencer o cara/coroa. É, como dito, a maior virada da história do Super Bowl e da própria carreira de Tom Brady. Com o quinto título, ele se torna o quarterback com mais títulos da grande final da NFL (5) e, junto de Charles Haley (DE, 49ers e Cowboys) o único jogador com 5 anéis. Ao levantar o Vince Lombardi novamente, New England agora está empatado com 49ers e Cowboys em segundo lugar na lista de maiores vencedores do Super Bowl (5).

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @CurtiAntony, ou nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.