Uma senha sera enviada para seu e-mail

O Atlanta Falcons colocou um ponto de exclamação em sua temporada e um ponto final na temporada do Los Angeles Rams. Matt Ryan e companhia viajaram até Los Angeles naquele que seria o primeiro jogo de playoff dos Rams em LA em décadas. Mesmo com as atenções sobre o ataque dos Rams, quem roubou a atenção foi Atlanta. Em todas as fases.

Um dos grandes segredos foi a utilização de Julio Jones como não havia acontecido na temporada regular. Em realidade, na carreira, Jones tem partidas fantásticas em playoff – ontem, mirando Julio, Ryan teve 90% de passes completos e ele finalmente apareceu na red zone com um touchdown. Ao longo de todo o ano, Ryan procurava outros alvos nas vinte jardas finais do campo (ou o jogo terrestre era utilizado).



Foi um Matt Ryan diferente da Era Shanahan ou mesmo de outros anos. O foco do ataque dos Falcons ontem foi o passe curto – o objetivo, certamente, era limitar erros e interceptações fora de casa. Na noite de sábado, o camisa 2 teve média de 4 jardas no ar por passe. Nos jogos de pós-temporada de 2008 a 2016, tinha 9,7.

Ataque dos Rams emperra

Quase tudo o que os Rams fizeram de bem no ano foi feito na média ou mal neste sábado. O time teve média de 132 jardas após a recepção/jogo na temporada. Ontem, apenas 61. Todd Gurley, máquina de jardas após a recepção em passes atrás da linha, teve apenas quatro recebidos para 10 jardas – sendo que teve 798 durante a temporada. Com menos armas, o play action também não foi o mesmo: 2-9 com 0,6 jardas por tentativa para Jared Goff em situações assim.

Outro segredo: tempo de posse. Não é de hoje que se sabe que o segredo para vencer ataques potentes é manter essas unidades o mais longe possível do campo. Se o ataque adversário estiver na sideline, não pode pontuar. Como fazer isso? Manter seu próprio ataque dentro de campo e gastar o máximo de tempo possível para limitar as posses do oponente. Foi o que Atlanta fez. Os Falcons tiveram 37 minutos de posse contra 22 dos Rams.

Foi um esforço conjunto de todas as unidades de Atlanta. Ryan, Jones, Deion Jones, Keanu Neal e o kicker Matt Bryant: todos tiveram uma parcela no sucesso dos Falcons neste Wild Card. Passados os Rams, agora Atlanta viaja para Philadelphia, onde enfrenta os Eagles no Divisional Round às 19:30 do próximo sábado.

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @CurtiAntony ou no facebook – e ainda, nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

Cobertura completa e exclusiva em textos exclusivos: 
História: Os 7 melhores jogos de Wild Card na história da NFL
Jon Gruden: o brilho da prata ou a ausência de luz do preto?
11 times que podem escolher um quarterback cedo no próximo Draft
Ron Rivera, Jerry Richardson e a relação patrão/empregado na NFL
Não existe explicação plausível para os Bengals renovarem com Marvin Lewis
Cousins, Garoppolo & Brees: Os 30 quarterbacks free agents em 2018