Uma senha sera enviada para seu e-mail

Um reserva assumiu a titularidade após o franchise quarterback se machucar – começando o jogo em menos de três partidas da temporada regular. Questionado por todos, chegou ao Super Bowl e venceu a partida.

No calor do momento, parece que eu estou falando sobre Carson Wentz, Nick Foles e o Philadelphia Eagles. Sim, estou. Mas também sobre Phil Simms, Jeff Hostetler e o New York Giants de 1990. Já contei sobre essa história aqui no site – e ela meio que se repetiu nesta temporada. Com um esforço coletivo, os Giants deram a volta por cima após a lesão de Simms na reta final da temporada e bateram o Buffalo Bills no Super Bowl XXV.

Era outra época. A NFL, principalmente os Giants de Bill Parcells, tinham um viés extremamente terrestre. O quarterback tinha apenas a função de gerenciar as coisas – não por acaso, o running back Ottis Anderson foi eleito o MVP da final.

Na temporada 2017, o MVP foi um quarterback. Nick Foles comandou Philadelphia, amparado por uma excelente comissão técnica e um forte corpo de apoio. Não quer dizer que seu rumo será o mesmo de Hostetler. Nos meses e anos seguintes ao Super Bowl XXV, criou-se uma controvérsia. Hostetler foi titular no início da temporada 1991, até se machucar e Simms voltar ao posto. No ano seguinte, Jeff foi titular por 9 jogos, Simms por 4. Em 1993, Hostetler não teve seu contrato renovado, assinando com os Raiders.



Não há controvérsia na Philadelphia

Saudável, Carson Wentz é titular para a próxima temporada. “Tive a chance de falar com Carson no campo, no pódio depois da partida. Disse para ele: aproveite o momento”, disse Doug Pederson na segunda de manhã. “Ele é um grande quarterback e é um dos grandes motivos pelos quais este time venceu o título”, prosseguiu. “Disse a ele que esperamos estar de volta ao Super Bowl com ele liderando nosso caminho”, completou o técnico dos Eagles.

Parece, mas não estamos diante da mesma situação dos Giants de 1990. Phil Simms não era nem remotamente um quarterback como Carson Wentz foi em 2017. Como Pederson bem disse, Wentz é um dos grandes motivos do título dos Eagles. Sem ele jogando de maneira inacreditável durante mais da metade da temporada regular, o time não teria folga na primeira rodada e não jogaria em casa nos playoffs. E isso foi fundamental para a caminhada dos Eagles.

Cobertura completa pós-Super Bowl LII
Em Super Bowl emocionante, Eagles triunfam e são campeões pela primeira vez
Após derrota, Rob Gronkowski não garante que volta para 2018
Crônica: A vida é o que acontece quando você está ocupado fazendo outros planos
Malcolm Butler: “Os Patriots desistiram de mim. F**-se, foi isso”

A menos que a recuperação no joelho de Wentz tenha problemas, o Rojão Ruivo é o titular para a próxima temporada. Por melhor que Foles tenha jogado, existe uma possibilidade de que Carson jogue ainda melhor. A Run-Pass Option tomou a NFL de assalto na última temporada e existe a tendência de novidades táticas serem melhor marcadas após uma intertemporada de seis meses para as defesas se prepararem. Foi assim com a read-option, por exemplo.

E se isso acontecer, você quer um cara que vai além. Esse cara é Carson Wentz. Saudável, ele é o titular. Se Nick Foles continuará na Philadelphia em setembro de 2018, aí é outra história.



Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @CurtiAntony ou no facebook – e ainda, nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

Textos Exclusivos do ProClub, Assine! 

Aaron Donald como jogador defensivo do ano: os motivos que fazem isso ser justo
Antonio Brown poderia facilmente ser eleito o jogador ofensivo do ano
Os 10 melhores Super Bowls de todos os tempos
Jared Goff: a grata surpresa do ano de 2017

A garantia de Joe Namath no Super Bowl III