Uma senha sera enviada para seu e-mail

Tom Brady, nem de longe, é o quarterback mais bem pago da NFL. Por terúmeros acordos de publicidade e uma carreira longeva – mais do que a maioria – o quarterback do New England Patriots pode se dar ao luxo de ganhar 15 milhões de dólares por ano. Isso não quer dizer que ele não seja o jogador mais bem pago do time – porque é.

O mesmo acontecerá em Detroit com Matthew Stafford. O mesmo aconteceu com Ben Roethlisberger em 2008. O mesmo aconteceu com Derek Carr meses atrás. Ser o mais bem pago do time.

No caso desses três, em seus momentos respectivos, eles foram os quarterbacks e jogadores mais bem pagos da National Football League. Você deve estranhar que eu (já) tenha usado o tempo pretérito para falar dessa condição e de Stafford. Mas é justamente o que faz sentido. Para quem não leu as notícias, o Detroit Lions assinou com Matt Stafford por 5 anos, 92 milhões garantidos e média de 27 por ano. Os dois últimos números são recordes.

Stafford será o jogador mais bem pago da NFL até que o próximo quarterback sob fim de contrato receba mais uma bolada. Pode ser Drew Brees, pode ser Aaron Rodgers, pode ser Matt Ryan – pode até ser Jimmy Garoppolo/Kirk Cousins, cujos contratos acabam nesta temporada. Fato é que este é o preço que se paga para se ter um franchise quarterback. 

Acho que Matt merece ser o mais bem pago? Não. Ele não é um dos cinco melhores quarterbacks da liga em minha opinião – o que, em tese, justificaria ser o maior salário. Acontece que a lógica dos contratos de quarterbacks, como disse acima, não funciona assim. É a mais pura e linda oferta e demanda. Ter um cara como Stafford dá margem para a franquia poder construir um elenco ao redor – da mesma forma que os Steelers fazem desde 2004. É uma dor de cabeça a menos.

Leia também: 
Derek Carr vale cada centavo que os Raiders lhe pagarão
9 conclusões para os jogos da Semana 3 da pré-temporada
Lions devem dar a Ricky Wagner o maior contrato da história para um

Ter o maior salário entre os quarterbacks não tem direta relação com ser o melhor quarterback. Apenas com a demanda de um time e o momento das coisas.

Os Lions compraram a segurança de não ter um Josh McCown no elenco.

Daqui cinco anos, o impacto da média de 27 milhões de dólares do salário de Matt não será como é agora. O Teto Salarial, hoje de 167 milhões de dólares, sobe junto do lucro da NFL. E este não para de crescer. Em cinco anos, Stafford não terá nem um dos três maiores salários da liga. Pode me cobrar.



O que o Detroit Lions “comprou” acima do preço “real” foi o bônus da segurança de ter um pilar capaz de vencer jogos – aliás, ninguém virou mais partidas do que ele no ano passado, com oito. Os Lions compraram a segurança de não ter um Josh McCown no elenco. A segurança de não estar no topo do Draft todo ano, como os Browns e seu eterno carrossel de quarterbacks.

E isso, na NFL, não tem preço.

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @CurtiAntony ou no facebook – e ainda, nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

“RODAPE"