Uma senha sera enviada para seu e-mail

Com uma cobertura cada vez maior e mais ampla aqui no site – como os palpites, guia da rodada, duelos individuais favoráveis – faltava um para fazer um apanhando geral elegendo os melhores e piores de cada semana. Aqui, vamos apontar vários jogadores que se destacaram positivamente e negativamente na quinta, no domingo e na segunda-feira de futebol americano! Prêmios são sempre um evento divertido – pelo menos eu adoro as noites de Oscar, Globo de Ouro e Emmys – e vamos tentar te entreter aqui também. Quem sabe cada categoria ganhe um apelido ao longo do tempo…

Antes de começarmos, tem alguma categoria que gostaria de ver na Semana 9? Procure o Twitter do @ProFootballBR (ou o meu, @MiceliPFB), que quem sabe colocamos aqui nas edições vindouras. Sem mais delongas, aos prêmios!

O melhor quarterback – Derek Carr, Oakland Raiders 

Tivemos alguns destaques positivos essa semana na posição, inclusive um certo calouro que vai ser mencionado em breve… Infelizmente para todos os outros, o vencedor do prêmio da Semana 8 é Derek Carr.

Mesmo com seu time batendo o recorde da NFL de faltas, com 23 e perdendo 200 jardas em penalidades, o camisa 4 passou para impressionantes 513 jardas e quatro touchdownsUma perfomance que mostra para quem andava em dúvida sobre a capacidade de Carr em produzir (muito) pelo ar que o jogador é o nome do time pelos anos vindouros. Aliás, já dá pra colocar na conversa de MVP?

O pior quarterback – Blake Bortles, Jacksonville Jaguars

Quinta-feira parece ter sido há uma eternidade, mas já era parte da Semana 8. O signal caller do Jacksonville Jaguars teve uma noite dura de assistir – mesmo terminando o dia com 337 jardas e três touchdowns.

Isso diz muito por si só. A regressão de Blake Bortles é gigantesca; o trabalho de pés é pobre – isso sendo gentil -, a mecânica regrediu muito de 2015 para 2016, além dele entrar em campo já com um ar de derrota. Não à toa, o coordenador ofensivo, Greg Olson, não tem mais um emprego na Florida.

Melhor jogador ofensivo (que não é quarterback) – A.J. Green, wide receiver do Cincinnati Bengals

Que baita wide receiver esse tal de A.J. Green, hein? Sei que quando falamos de recebedores de elite, os três nomes que são unânimes são Antonio Brown, Odell Beckham Jr. e Julio Jones.

Agora, eu já estou incluindo Green nessa lista. Contra Josh Norman, o jogador teve 76 jardas das 121 que conquistou no empate contra o Washington Redskins. Isso sem sequer mencionar as quatro faltas que o jogador por tentativas de Josh Norman em pará-lo na linha de scrimmage. Dalton tem um alvo e tanto no seu camisa 18, e as defesas precisam de mais que um cornerback topo de linha para pará-lo.

Pior jogador ofensivo (que não é quarterback) – Mark Ingram, New Orleans Saints

Eu sei que é difícil apontar um jogador que jogou tão pouco. Mas depois de anotar 9 jardas negativas e um fumble, Mark Ingram foi barrado da partida e não jogou nenhum outro snap sequer, dando espaço para o mais que veterano Tim Hightower dominar o backfield e correr para mais de 100 jardas.

Em que pese as declarações da comissão técnica que ele deve se recuperar, se Hightower teve essa produção toda, Ingram também poderia ter. Ainda assim, perfomance para esquecer de um vencedor do prêmio Heisman.

Melhor jogador defensivo – Kawann Short, defensive tackle do Carolina Panthers

front seven do Carolina Panthers é sua maior virtude do lado defensivo da bola. Kawann Short finalmente deu o ar da graça e basicamente tornou a vida de Mike Iupati, guard do Arizona Cardinals, um inferno na tarde de domingo. Ao final da partida, foram dois sacks, um hit em Carson Palmer e dois rushes em cima do quarterback adversário. Foi o tipo de perfomance que se esperava de Short que ele ainda não tinha mostrado em 2016. O resultado foi um Arizona Cardinals correndo atrás de um 24 a zero já no segundo quarto.

Uma menção honrosa nesta semana: Brandon Graham, defensive end do Philadelphia Eagles, que teve 11 rushes na partida, 8 pressões e três hits, mas nenhum sack.

Pior jogador defensivo – Chris Conte, safety do Tampa Bay Buccaneers

Eu poderia escalar uma série de jogadores do Tampa Bay Buccaneers, por terem cedido 626 jardas (!!!!!!!) ao ataque adversário, “conquistando” 200 de volta em faltas cometidas pelo Oakland Raiders. Seja o defensive back Vernon Hargreaves III, que cedeu dez passes para 173 jardas (oito deles para Amari Cooper), ou o defensive tackle Akeem Spence, que em 57 snaps teve apenas um tackle errado, sem criar pressão sobre Carr ou , é Chris Conte que leva o prêmio para casa.

Ele permitiu uma recepção em todas as jogadas que foi o marcador da jogada, permitindo um passer rating perfeito de 158.3 para Derek Carr quando estava envolvido na cobertura. Entre três tackles errados e dois touchdowns cedidos, Chris Conte vai ter pesadelos em preto e prata até o Thursday Night Football contra o Atlanta Falcons.

Melhor jogo da rodada – Green Bay Packers contra Atlanta Falcons

Como previmos na coluna Kickoff; Ao lado de Dallas Cowboys e Philadelphia Eagles, o jogo mais aguardado desta semana. Aaron Rodgers contra um ataque que já mostrou que está voando foi uma partida para lá de emocionante, decidida por um touchdown anotando faltando 32 segundos, numa belíssima campanha comandada por Matt Ryan. Aaron Rodgers mostrou que é leva esse ataque nas costas com ou sem running backs ou wide receivers – touchdowns de Trevor Davis e Geronimo Allison?

Ao mesmo tempo, Matt Ryan segurou a onda com Devonta Freeman atropelando a finada melhor defesa contra o jogo terrestre da NFL e uma crescente conexão com Mohamad Sanu. Julio Jones, com problemas físicos, ficou limitado, mas venceu a quinta na temporada numa divisão que fica a cada semana mais à feição do Atlanta Falcons.

Pior jogo da rodada – Jacksonville Jaguars contra o Tennessee Titans

Na primeira metade, um massacre com todas as letras para os donos da casa do Tennessee Titans. 27 a 0 no primeiro tempo, e depois disso, um garbage time de primeira grandeza, como diriam os americanos. Garbage time seria aquele período do jogo no qual os jogadores produzem quando a partida já está fora de alcance. Não importa muito no resultado final, embora seja igualmente relevante para o Fantasy Football (Bortles, apesar de atroz com o torcedor dos Jaguars, acabou com uma boa semana no futebol americano virtual).

Menção honrosa para Houston Texans e Detroit Lions, que tinha tudo para ser um grande jogo, com Brock Osweiler despontando e Matthew Stafford mostrando todas as virtudes que desfilou até a Semana 8 nesta temporada. Caiu por terra a esperança de um jogão e vimos dois times não atingirem seu potencial.

#CollegeKickers – Dustin Hopkins, Washington Redskins

Prêmio provavelmente mais fácil da rodada. No empate contra o Cincinnati Bengals, faltando dois minutos e 13 segundos para o final da prorrogação, Dustin Hopkins conseguiu errar um field goal de 34 jardas, jogando para fora do post a vitória da sua equipe. Dura temporada para os kickers da NFL, que vem custando importantes triunfos para seu time (um carinhoso abraço para Chandler Cantanzaro e Steve Hauschka).

Melhor calouro da rodada – Ezekiel Elliott, Dallas Cowboys

Eu tenho a sensação que vai ser uma alternância entre Dak Prescott e Ezekiel Elliott nessa categoria – e justamente hoje vai ser o running back, camisa 21. Foram 96 jardas terrestres, 89 delas depois do contato, quebrando sete tackles na partida contra a mais que sólida defesa do Philadelphia Eagles. Em que pese a atuação maravilhosa da linha ofensiva do Dallas Cowboys na temporada, nada parece poder parar o calouro vindo de Ohio State.

Maior surpresa positiva – A vitória do New Orleans Saints contra o Seattle Seahawks

Vou eleger o jogo em si como surpresa positiva, pois vimos que há vida lá em New Orleans mesmo contra defesas duras. O jogo foi em casa, é verdade, mas vimos essa defesa parar o Arizona Cardinals semana passada, com a defesa em tempo recorde dentro de campo (46 minutos de 75 jogados), e mesmo assim cedendo só seis pontos. Mesmo assim, Drew Brees mostrou que é um dos maiores a jogar a posição e produziu mesmo contra essa forte defesa. A vitória é uma grata surpresa para um time que começou 2016 combalido, mas que venceu três dos últimos quatro confrontos, dando uma esquentada na NFC South.

Sobre jogadores que foram gratas surpresas, J.J. Nelson, wide receiver do Arizona Cardinals, mostrou serviço e anotou dois touchdowns na tentativa de virada contra o Carolina Panthers. Com Larry Fitzgerald (tornozelo), John Brown e Michael Floyd tendo problemas físicos, além de Jaron Brown fora da temporada com o cruzado anterior rompido, Nelson pode vir a ser uma ótima arma para Carson Palmer nas semanas vindouras.

Maior decepção – Brock Osweiler, quarterback do Houston Texans

“Ele ainda é basicamente um calouro”, disse o dono do Houston Texans Bob McNair sobre o contratado a peso de ouro Brock Osweiler. Foram apenas 186 jardas, um touchdown e uma interceptação na vitória contra a mais que sofrível defesa do Detroit Lions, que é a pior defesa contra wide receivers número um,  17ª contra wide receivers número dois, 27ª contra tight ends e também a pior contra os demais wide receivers, de acordo com o ranking de eficiência defensiva do site americano Football Outsiders – e ainda desfalcados do seu melhor defensive back, Darius Slay.

Era a oportunidade de Brock Osweiler lançar tudo que podia para DeAndre Hopkins e Will Fuller, mas ele ficou aquém das expectativas, como em toda a temporada. Ele precisa melhorar urgentemente para disputar a AFC South, pois, até o momento, Osweiler está fazendo os 72 milhões de dólares investidos nele parecerem uma das maiores atrocidades cometidas por um front office nos últimos anos. 

Menção honrosa aqui também para Russell Wilson, que mesmo contra a porosa defesa do New Orleans Saints conseguiu a terceira semana consecutiva sem um touchdown aéreo ou terrestre. Sem a mobilidade de costume – lidando com problemas no tornozelo, joelho e músculo peitoral – o campeão do Super Bowl XLVIII não vem sendo aquele signal caller que nos encantou desde seu ano de calouro.

Monstro do Fantasy – Derek Carr, quarterback do Oakland Raiders

Dois prêmios para o quarterback do Oakland Raiders, que esta semana mereceu. 35.8 2 pontos em formatos standard, com touchdowns valendo quatro pontos é muita coisa. Se fosse seis pontos por passes para touchdown, 43.82 pontos garantidos pro seu time. Menção honrosa para Jonathan Stewart, que entrou na end zone duas vezes e correu para 95 jardas, além de 25 recebidas.

Na posição de wide receiver, brilhante semana de Amari Cooper, do Oakland Raiders, que aproveitou a semana de Carr e anotou 173 jardas e um touchdown em 12 recepções, somando 23.30 pontos em standard e 29.30 no formato 0.5 PPR (ponto por recepção).

Bom ver, ainda, Tyler Eifert retomando um ponto de relevância para tight ends do Fantasy, ficando em segundo no ranking semanal, com 102 jardas e um touchdown, atrás apenas de Rob Gronkowski – claro.

Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @profootballbr e curta-nos no Facebook.