Uma senha sera enviada para seu e-mail

Para os que antecipavam uma possível final de conferência entre rivais de NFC South, tanto o Minnesota Vikings quanto o Philadelphia Eagles mostraram os motivos que os credenciaram aos seeds dois e um, respectivamente. E eles vão além dos quarterbacks.

O Philadelphia Eagles mostrou que sua defesa segue muito bem, obrigado. Diagnosticando as jogadas do Atlanta Falcons com precisão e aproveitando sua linha defensiva fora de série, o time da Pennsylvania receberá o Minnesota Vikings, que vem de uma vitória para lá de épica. Com um milagre – e não uso essa palavra levianamente -, Case Keenum encontrou Stefon Diggs que anotou os pontos da vitória num touchdown de 61 jardas quando o relógio já estava zerado.

É a epítome da coletividade do futebol americano.

O duelo de quarterbacks entre Case Keenum e Nick Foles pode deixar o fã dos grandes signal callers ressabiados. A bem da verdade, tudo depende da forma que você encara esse NFC Championship Game. Você pode ficar decepcionado por não ser, digamos, um Aaron Rodgers contra um Cam Newton, ou um Drew Brees. Pois bem, não fique. É a epítome da coletividade do futebol americano.

Não me entenda errado – Case Keenum tem sido “o cara para o Minnesota Vikings durante toda a temporada. Assim como Nick Foles assumiu um fardo enorme com a lesão de Carson Wentz. Só que mais fascinante ainda é como os dois elencos são sólidos nas demais posições, sólidos o bastante para mandar para casa o MVP de 2016 e um hall of famer.  Digo mais: se depender tanto dos Eagles e dos Vikings, pode vir Tom Brady ou Blake Bortles – os finalistas da NFC tem força para mandar os dois de mãos abanando no maior palco do futebol americano.

No próximo domingo, o duelo marca o encontro de duas equipes para lá de talentosas dos dois lados da bola, com disciplina tática acima da média e fortes candidatos ao Vince Lombardi. Onde esse encontro pode ser decidido?

“49ERS"

A pressão em cima de Case Keenum é o mais importante

Em 2017, Case Keenum foi pressionado em 39,3% dos seus dropbacks, a terceira pior marca da NFL. Pois bem, a defesa do Philadelphia Eagles é simplesmente a equipe que mais gera pressões em cima do quarterback. Além disso, Keenum teve um passer rating de apenas 5.1 sob pressão na épica vitória sobre o New Orleans Saints.

Se considerarmos essas estatísticas cruas, vemos que a chave da partida pode estar justamente na capacidade do Philadelphia Eagles em colocar o quarterback adversário sob pressão – e, tendo em vista o desempenho de Keenum na última semana, o resultado pode ser catastrófico para o Minnesota Vikings.

A solução é bem lógica, na verdade. Basta se livrar rapidamente da bola, evitando o contato com os pass rushers e evitando possíveis passes defletidos e sacks. Mais do que uma solução simplista, os wide receivers Stefon Diggs e Adam Thielen serão fundamentais para Keenum conseguir fazer grandes jogadas.

O papel dos wide receivers é de criar iscas para que a agressiva secundária de Philadelphia ataque as rotas curtas. Pode dar certo uma vez, defletindo um passe, ou dar certo até uma segunda vez. Só que, uma vez que os cornerbacks estejam condicionados a “morder” nas rotas, um double move tira um defensor da jogada e Keenum pode castigar a secundária dos Eagles com big plays.

Entra na equação, ainda, o tight end Kyle Rudolph. Ele pode ser o homem de confiança nas rotas curtas quando os receivers não conseguirem desenvolver as rotas, quando a pressão apertar – e ela, em algum momento, vai apertar.



Do lado do Philadelphia Eagles, Nick Foles precisa minimizar seus erros. Claro, é mais fácil falar do que fazer; especialmente quando o adversário é justamente a unidade defensiva do Minnesota Vikings. O que o ex-Ram precisa fazer é proteger a posse da bola a qualquer custo. Por exemplo, o passe que Keanu Neal falhou em interceptar na última semana não pode jamais acontecer – até porque nem Harrison Smith, nem Andrew Sendejo vão deixar um turnover bater no joelho e pular pro alto.

Que vença o melhor

Nada como um clichê bem clichê para falarmos desse duelo. A verdade é que os finalistas da NFC são os grandes exemplos de que dedicação mental, disciplina tática e paciência são os verdadeiros caminhos para vencer na NFL. Sem queimar etapas, sempre substituindo peças fundamentais lesionadas, tanto o Minnesota Vikings quanto o Philadelphia Eagles chegam com um espírito inquebrável para essa final de conferência.  Será uma disputa entre duas forças do futebol americano em 2017, de dois conjuntos unidos dentro de campo e fora, com seus torcedores.

São duas das franquias que mais merecem um título de Super Bowl. Com os gritos de Skol de um lado, com as máscaras de cachorro do outro, quem vencer no domingo chegará como uma avalanche no Super Bowl LII.

Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

Textos Exclusivos do ProClub, Assine!
Tight ends podem decidir: Os duelos individuais mais importantes das finais de Conferência
ProClub: Palpites/Picks, Finais de conferência 2017/18
História: As 10 melhores Finais de Conferência da história da NFL
Podcast, ProClub: Como descobrimos o futebol americano?
História: Relembre os 4 duelos entre Patriots e Jaguars na história dos Playoffs