Uma senha sera enviada para seu e-mail

Tal como Sheev Palpatine Darth Sidious e todos os outros sith em Star Wars, a regra dos “dois” se aplica. Para Bill Belichick, a versão mais próxima disso que temos na vida real, a continuidade do Império de Foxboro é uma missão de vida. Para tanto, um aprendiz é necessário: e após a derrota no Super Bowl LII, ficou claro quem seria esse cara.Há um plano claro de sucessão no New England Patriots.

Antes de mais nada, o aprendiz teria que provar sua lealdade ao Império, sendo meticulosamente desleal com um inimigo deste. “Assim que o jogo acabou, sentei com Josh McDaniels e falei diretamente sobre a situação em vez de falar sobre o jogo em si”, disse Belichick em entrevista nesta semana para Mike Reiss, da ESPN americana. “Antes do jogo, eu diria que praticamente não conversamos (sobre sua permanência)… Depois, tivemos conversas mais profundas e longas sobre isso”, completou.

A entrevista prosseguiu com mais detalhes sobre a sedução de Belichi… Enfim, você entendeu. “Quando voltamos de Minnesota, tive a oportunidade de falar com Josh e pudemos acertar algumas coisas… Estou feliz pela sua permanência e pelo fato de que ele continuará em seu papel (de coordenador). Acredito que ele é um dos melhores. Ele fez um ótimo trabalho para mim em diversos papéis”, prosseguiu”. “Estou satisfeito, baseado na reunião que tivemos – houve várias coisas que aconteceram – que pudemos acertar isso e mantê-lo conosco”, finalizou o treinador dos Patriots.

Ok, vamos ler as entrelinhas

Fato e notícia passada, vamos à análise, porque notícia você lê no Twitter. A reunião entre Belichick e McDaniels aconteceu na semana posterior ao Super Bowl LII – a mesma semana na qual o Indianapolis Colts anunciou a contratação de McDaniels, com quem estava apalavrado (sem contrato assinado ainda, vale lembrar). Após a recusa de Josh McDaniels, várias notícias saíram sobre a proposta de permanência.

Leia também: Há um plano claro de sucessão no New England Patriots

Para começar, o dono dos Patriots, Robert Kraft, ofereceu uma grana violenta para que McDaniels ficasse. Adicionalmente, o coordenador teria pensado na família quanto à permanência, dado que residem na região de Boston há anos – e qualquer pessoa que já tenha mudado de cidade sabe que a experiência não é das mais fáceis, dado o amor do ser humano pela zona de conforto.

De toda forma, o “motivo” mais interessante para a permanência de McDaniels como coordenador teria sido a promessa de Belichick, conforme vazou na imprensa, de “ensinar tudo o que sabe” para seu coordenador. Sabendo da constante possibilidade de que seus coordenadores tornem-se head coaches em adversários, Belichick obviamente nunca passou todos seus conhecimentos.

No caso de McDaniels, é diferente. Para começar, poucos coordenadores ficaram tanto tempo com Belichick. E, em seguinte, Belichick pode com tranquilidade passar esses ensinamentos ao saber que McDaniels deve sucedê-lo em New England. O atual técnico dos Patriots tem 65 anos e, cedo ou tarde, irá se aposentar. Com a recusa bizarra de McDaniels em relação aos Colts, ele prova sua lealdade ao Gillette Stadium e posta-se como o príncipe herdeiro do moletom de Belichick. A teoria, lendo nas entrelinhas das declarações dadas por Bill nesta semana, prova-se com uma grande verossimilhança.

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @CurtiAntony ou no facebook – e ainda, nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.