Uma senha sera enviada para seu e-mail

Foram 24 horas um tanto quanto absurdas e sem precedentes. Para a tarde desta terça (7), o Indianapolis Colts originalmente tinha programado uma coletiva de imprensa para apresentar Josh McDaniels como seu novo head coach. Desde a noite de ontem, sabia-se que ele ficaria em New England como coordenador ofensivo – mesmo após os Colts terem oficialmente anunciado sua chegada.



Então a coletiva foi cancelada e outra foi marcada para seu lugar. O general manager do Indianapolis Colts, Chris Ballard, se encontrou com a imprensa nesta tarde numa das coletivas mais duras que um dirigente já enfrentou nesses últimos anos. Ballard devia explicações? Forte dizer isso. Mas era necessário esclarecer o ponto de vista dos Colts.

Leia também: Reviravolta: Josh McDaniels volta atrás, nega Colts e permanece nos Patriots como coordenador

“Não, de forma alguma”, disse Ballard ao ser perguntado se em algum momento da negociação sentiu como se McDaniels estivesse propenso a dar para trás – a expressão em inglês faz mais sentido, algo como sentir a água gelada na piscina e desistir de pular (cold feet).

A rivalidade voltou

Ao final da coletiva, Ballard fez questão de declarar que o clima mais amistoso que fora forjado na temporada passada, entre Patriots e Colts, foi por água abaixo. “A rivalidade voltou”, disse ao encerrar a entrevista. Os times, que estiveram na mesma divisão de 1970 a 2001, se enfrentaram múltiplas vezes nos playoffs – Era Brady/Manning eício da Era Luck – e chegaram até a negociar jogadores, com destaque para a troca Brissett/Dorsett.



O Indianapolis Colts não enfrentou os Patriots na temporada passada e não vence New England desde 2009, quando Peyton Manning ainda era seu quarterback. Ballard não disse necessariamente que a rivalidade voltou dentro de campo – até porque o time dos Colts ainda está aquém de fazer frente a New England – mas, sim, fora de campo. Queira ou não, é uma boa e digna resposta a ser dada depois de um incidente diplomático como esse. Mostra força – e é o que os Colts precisam neste momento.

Mais nóticias? Confira aqui o índice completo.

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @CurtiAntony ou no facebook – e ainda, nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

Textos Exclusivos do ProClub, Assine! 

Podcast, Sócios: Análise dos prêmios de temporada e da nova classe do Hall da Fama
Aaron Donald como jogador defensivo do ano: os motivos que fazem isso ser justo

Antonio Brown poderia facilmente ser eleito o jogador ofensivo do ano
Os 10 melhores Super Bowls de todos os tempos
Jared Goff: a grata surpresa do ano de 2017

A garantia de Joe Namath no Super Bowl III