Uma senha sera enviada para seu e-mail

O defensive end do Houston Texans, J.J. Watt, sofreu uma fratura na tíbia da perna esquerda no Sunday Night Football contra os Chiefs. Watt deixou o campo numa lesão em que não houve contato com outro jogador – sendo posteriormente diagnosticado com a fratura. Com isso, Watt está fora da temporada mais uma vez.

Três vezes vencedor do prêmio de Jogador Defensivo do Ano, empatado com Lawrence Taylor (NYG) por mais prêmios na história, Watt novamente sofre com lesões. Mesmo também perdendo boa parte da temporada passada, desde 2011 J.J. lidera a NFL em tacklessacks (76) e passes desviados (46). Em fumbles forçados é o terceiro da liga desde que entrou no jogo profissional – 2011. Embora agora enfrente um histórico de lesão se considerarmos esta temporada e a do ano passado, Watt teve produtividade incrível em seus cinco primeiros anos de NFL – período no qual ele não perdeu nenhuma partida.

Nesse tempo – cinco temporadas – teve 74,5 sacks: apenas seis a menos que Reggie White no mesmo período estatístico, um dos melhores jogadores defensivos da história. Nos dois últimos anos (2016, 2017), porém, teve apenas 1,5 sacks. O impacto de Watt na franquia foi imediato. Com apenas 38% de aproveitamento de 2002 a 2010, os Texans não foram para os playoffs. Após draftar Watt, foram quatro vezes e têm aproveitamento de 53%.

Histórico de lesões preocupa

J.J. Watt não vinha sendo o mesmo nesta temporada – na prática, ainda estava recuperando ritmo de jogo depois de ficar fora de 13 jogos na temporada passada. Desde o fim da temporada 2015, J.J vem passando por seguidos problemas médicos.

Em dezembro de 2015, quebrou a mão esquerda. Em janeiro de 2016, passou por cirurgia no abdômen e na virilha. Em julho do ano passado, teve cirurgia nas costas – hérnia de disco – e passou por outra em setembro, limitando-o a apenas três partidas em 2016. Por fim, neste domingo, quebrou a tíbia da perna esquerda.

Antes da temporada 2014, Watt assinou contrato de seis anos e 100 milhões de dólares, então o maior para um jogador defensivo – ele está sob contrato com Houston até o fim da temporada 2021. Após a temporada 2017, não há tanto dinheiro garantido: se ele for cortado antes de 2018, os Texans ficariam com apenas seis milhões de dinheiro preso no teto salarial (o qual teriam que pagar para Watt). O restante do contrato, em termos financeiros, ficariam anulados.

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @CurtiAntony ou no facebook – e ainda, nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

“RODAPE"