Uma senha sera enviada para seu e-mail

O coordenador ofensivo do Minnesota Vikings, Norv Turner, pediu demissão do cargo na manhã desta quarta-feira (2). Turner vinha passando por momentos turbulentos no comando da unidade ofensiva de Minnesota: a equipe perdeu Adrian Peterson por lesão na semana 2 da temporada regular e desde então vem sofrendo com perdas na linha defensiva.

Com efeito, embora os Vikings sejam no momento a segunda melhor campanha da Conferência Nacional, a equipe é a segunda em outros quesitos negativos que ninguém quer ter. Segunda pior em jardas por jogada, totais e terrestres. Claro: as ausências por lesões ajudam a entender o porquê da situação atual dos Vikings, mas para muitos torcedores, Turner tinha culpa no cartório.

Explica-se (sobretudo para quem está começando a acompanhar o esporte agora): o coordenador ofensivo é o responsável por escolher quais jogadas (salvo algumas exceções, o que não ocorre em Minnesota pelo fato do head coach ter uma mentalidade defensiva) o time executará após cada snap. A crítica é que Turner não adaptou o livro de jogadas para as lesões que vem acontecendo na linha – assim, o substituto deve pensar em combater a falta de tempo de Bradford no pocket com doses cavalares de slantsinsoutscurls e outras rotas curtas que são executadas com 3-step.

Com a saída de Norv Turner, a boa notícia para o torcedor dos Vikings é que o interino é Pat Shurmur – que foi coordenador ofensivo de Sam Bradford com os Eagles no ano passado. Aos 64 anos, o boato é que Turner já queria se aposentar ao final da temporada – não foi explicado o porquê dele deixar o cargo no meio do campeonato. Além da passagem como coordenador ofensivo, ele tinha passagens como head coach em Washington, Oakland e San Diego.

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @CurtiAntony, ou nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.