Uma senha sera enviada para seu e-mail

O mercado de trocas da NFL nunca será tão agitado e empolgante quanto o da NBA, mas aos poucos a coisa está melhorando. Depois da surpreendente troca de Alex Smith para Washington, Kansas City novamente voltou às manchetes. Em um espaço de dois meses, o time trocou um dos principais jogadores do ataque e agora um da defesa.

Marcus Peters, um dos cornerbacks que mais interceptaram passes nas últimas temporadas, foi trocado dos Chiefs para o Los Angeles Rams. Tal como a troca de Alex Smith, ela não será oficial até o primeiro dia do ano fiscal da liga, em 14 de março. Muitos devem estar se perguntando: por que os Chiefs trocaram um dos melhores jogadores de seu time?



A princípio, realmente não faz muito sentido. Escolha de primeira rodada de Kansas City no Draft de 2015, Peters ainda está em seu contrato de calouro e custa “pouco” para a equipe – apenas 1,7 milhões na temporada 2018. O problema era o extra-campo: ele foi suspenso por um jogo depois de isolar uma flanela de falta na torcida e vários reports desde o início da intertemporada indicavam que o time estava de saco cheio do defensor.

Do outro lado, o Los Angeles Rams precisava de ajuda na secundária. O time deve perder Trumaine Johnson, um dos melhores cornerbacks da NFC, para a free agency – e não é como se o time estivesse muito bem em termos de teto salarial para sair esbanjando por aí.

Em tese, 2018 seria o último ano de contrato de Peters, mas calouros que são escolhidos na primeira rodada têm a opção de um quinto ano contratual – 2019, no caso. Se tudo der certo, Los Angeles pode ativar essa opção. Embora não saibamos o que os Rams mandaram para Kansas City em termos de escolha de Draft – o que foi reportado por Ian Rapoport é que os Chiefs tentaram colocar o defensive end Robert Quinn na conta, mas não rolou.




Rapoport ainda reportou que os Browns e os 49ers estavam na conversa por Peters, mas o pacote oferecido pelos Rams foi melhor. Quem se deu melhor com a troca? Sobre os times é difícil falar sem saber os termos, mas para Peters pode ser que a mudança de ares surta um efeito positivo.

Em abril, teremos um curso/workshop que tratará sobre tudo o que você precisa saber sobre o Draft da NFL. Veja mais detalhes aqui.

Textos Exclusivos do ProClub:
Período para tag já começou – veja quem pode recebê-la
Há um plano claro de sucessão no New England Patriots
Mesmo pagando mais do que deve, Detroit precisa usar a tag em Ezekiel Ansah
A importância de ter Peyton Manning comentando jogos em 2018 é maior do que parece