Uma senha sera enviada para seu e-mail

Os ricos ficaram mais ricos. Acho que isso resume a transação que movimentou o dia nesta quarta-feira. O Seattle Seahawks trocou o defensive end Michael Bennett – algo que já era esperado, tanto que coloquei essa troca como possível neste texto de ontem.

O principal foco parecia ser o Atlanta Falcons – mas outro time que joga em 4-3 acabará recebendo Bennett: Philadelphia.

Os Eagles, que já têm uma linha defensiva fantástica, ficaram ainda mais fortes ao receberem Bennett. E a troca é simplesmente maravilhosa para Philadelphia: Seattle manda uma escolha de sétima rodada e Michael Bennett. Phily manda o WR Marcus Johnson (deixa eu adivinhar sua reação: “quem?”) e uma escolha de quinta rodada no Draft.

Se parece que saiu barato para os Eagles…

É porque saiu mesmo. Não é de hoje que se sabe que Bennett não é uma das figuras mais “abaixa a cabeça e joga ai mermão” e pode ser que os boatos de que havia atrito no vestiário dos Seahawks seja em parte verdade. Somado a isso, o fato de que Bennett não é nenhum menino. Assim, os Seahawks não tinham tanto poder de barganha numa troca. A prova disso é que a troca saiu barata mesmo com mais times envolvidos – ou seja, até que uma demanda razoável: segundo a repórter da ESPN americana, Diana Russini, New England, Cleveland, Tampa Bay e Atlanta entraram em contato com Seattle.

Michael Bennett tem 32 anos e seu contrato com Seattle era pesado – sendo parcialmente herdado pelos Eagles antes de potencial reestruturação – 27 milhões nos próximos três anos. De toda forma, Bennett foi o segundo em sacks na defesa de Seattle no ano passado, sendo pro bowler nas últimas três temporadas.

Os Seahawks não têm tanto espaço no teto salarial e precisam mover peças – como já foi ventilado que Bennett seria a bola da vez no trade block, isso indica que a franquia (corretamente) manterá o safety Earl Thomas para  a próxima temporada. Isso, mais potencial “limpa” de atritos justifica a troca. E ainda o contrato pesado, claro.



“seattle"
Com a troca, a linha defensiva do Philadelphia Eagles fica ainda mais impressionante. O time contará com Michael Bennett, Fletcher Cox, Derek Barnett e Brandon Graham. Antes de mais nada, contudo, algumas movimentações terão que serem feitas pelo time – cortes, no caso. Os Eagles estão acima de seu teto salarial para a temporada 2018.

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @CurtiAntony ou no facebook – e ainda, nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

Em abril, teremos um curso/workshop que tratará sobre tudo o que você precisa saber sobre o Draft da NFL. Veja mais detalhes aqui.

Assine Agora, Planos a partir de R$ 9,90/mês

Textos Exclusivos dos Aassinantes ProClub:
Uma movimentação que cada franquia da AFC deveria fazer na Free Agency
Uma movimentação que cada franquia da NFC deveria fazer na Free Agency
Mike Glennon e a duração do contrato na NFL: como ler corretamente
Lista: Necessidades, por posição, para os 32 times da NFL (Draft e Free Agency)
Free Agency 2018: Top 100 melhores jogadores no mercado