Numbers

The Numbers: 11 estatísticas que contam a história da Semana 8

Como quem me acompanha há mais tempo sabe, gosto muito de estatísticas para argumentar em meus textos ou para contar uma dada história numa transmissão da NFL pela TV. Aparte de qualquer observação a olho nu – que também é importante – a estatística é bacana porque é um recurso objetivo. Para mim ou para você, fulano correu para mais de 100 jardas: isto, em específico, não tem discussão.

Claro: estatísticas jogadas ao vento não servem de nada se forem para encher linguiça. Há de haver um contexto e sempre me preocupo em dizer o que isso significa. Falar que um quarterback lançou para mais de 400 jardas é pouco. É jogar número pro alto. Agora, dizer que esse é um feito raro e qualquer jogador com mais de 400 jardas é um cara com uma partida acima da média – isso é contextualizar.

O mesmo vale para as famosas “jardas por carregada” de um running back. Se eu falar que fulano correu 3,3 jardas por carregada, isso é bom? Ruim? É preciso qualificar. No caso, qualquer coisa entre 3,5 e 4 é bom. Acima de 4 é ótimo e acima de 5 é excelente.

Gosto de estatísticas como recurso porque elas contam histórias e nos ajudam a entender o que está acontecendo com as equipes. Então, semanalmente, vamos com esta coluna aqui em ProFootball. Confira abaixo 10 stats que separei sobre a Semana 8.

Deusrik Carr

quarterback do Oakland Raiders, Derek Carr, passou para 513 jardas, quatro touchdowns e nenhuma interceptação na vitória dos Raiders por 30-24 na prorrogação em Tampa Bay. Carr completou um passe de 41 jardas para o wide receiver Seth Roberts, com apenas 1:45 faltando na prorrogação – foi o passe da vitória. Agora o produto de Fresno State é o terceiro quarterback na história da NFL a passar para pelo menos 500 jardas e quatro touchdowns, sem nenhuma interceptação, na história da NFL – ele se junta a YA. Tittle (outubro de 1962) e Ben Roethlisberger (outubro de 2014).

Brady começa a montar o argumento na corrida para o MVP no Tom Brady’s Angry Revenge Tour

Embora tenha ficado de fora das quatro primeiras partidas da temporada 2016 por conta da suspensão imposta pela NFL por conta da “mais provável do que improvável” participação no #DeflateGate, Tom Brady vem postando números surpreendentes nos jogos que jogou neste ano. Brady conseguiu em Buffalo a 48ª vitória no mês de outubro. Tá, e por que isso é importante? Bom, outubro é o mês no qual os favoritos se mostram e a corrida para os playoffs se afunila. Além disso, Brady conseguiu a 26ª vitória contra os Bills – apenas Brett Favre tem tantas vitórias contra um mesmo time (Lions). O feito veio em mais um jogo para mais de 300 jardas – foram 315 na vitória por 41-25.

Mas Matty Ice também busca ser MVP

A missão de Brady de ser MVP mesmo tendo jogado quatro jogos a menos não será tão fácil assim se depender de Matt Ryan. O quarterback do Atlanta Falcons passou para 288 jardas e três touchdowns na vitória de Atlanta ante o Green Bay Packers no último domingo, por 33 a 32. O passe derradeiro, de 11 jardas, foi para Mohamed Sanu com 31 segundos faltando no cronômetro. Foi a terceira fez na carreira de Ryan que um passe para virar o jogo veio nos dois minutos do último quarto.

Mesmo sem jogo terrestre, o ataque de Green Bay parece ter melhorado

Que Green Bay tem problemas no jogo terrestre todo mundo sabe. Que o ataque aéreo também tinha problemas… Bom, aos poucos isso parece ser coisa do passado. Depois de passar para mais de 300 jardas contra os Bears na Semana 7, Aaron Rodgers teve outra boa atuação contra o Atlanta Falcons, mesmo que a vitória não tenha vindo. Foram 4 passes para touchdown, a 18ª vez na carreira que ele passou para tantos – com isso, Rodgers ultrapassou a lenda Johnny Unitas no quesito.

Drew Brees mostra mais uma vez porque vale cada centavo que New Orleans lhe paga

Embora a defesa não tenha entregado a paçoca ao final do jogo contra o Seattle Seahawks, não vamos deixar de elogiar Drew Brees, o Atlas da NFL. Brees carrega os Saints nas costas semana sim, semana também – e teve uma média impressionante de passes completos no duelo contra Seattle. Foram 77,1%, 27 completos de 35 tentados. Além da vitória e da boa porcentagem, Brees estende sua marca de jogos consecutivos em casa com pelo menos um passe para touchdown. Agora são 58.

A primeira prorrogação em Londres

A partida entre Washington e o Cincinnati Bengals marcou a última do ano na International Series de Londres (lembrando que ainda resta um jogo fora dos EUA, Texans e Raiders na Semana 11, no México). O jogo marcou a primeira ocasião que uma partida de Londres foi para o tempo-extra. Acabou resultando em algo mais raro ainda, um empate por 27-27 após um legítimo #CollegeKickers de Dustin Hopkins. Discutivelmente o melhor jogo em Londres nesta temporada e um dos melhores dentre os 17 lá disputados até hoje.

Matt Forté tem boa atuação em Cleveland

É, torcedor do Cleveland Browns, não foi desta vez. Na volta de Josh McCown aos campos como quarterback dos Browns e com Cleveland na final da MLB (World Series), a tendência é que os Browns estariam inspirados e arrancariam a primeira vitória do ano. A equipe chegou a liderar a partida por boa parte do tempo, aliás. Mas Matt Forté, vindo aos Jets na última free agency, estragou a festa. Forté teve dois touchdowns terrestres na vitória de 31-28 contra os Browns.

Além disso, o ex-back dos Bears tem uma excelente marca pessoal: ele se junta a Marcus Allen, Marshall Faulk e Herschell Walker como os únicos running backs na história a terem 50 touchdowns corridos, 500 recepções e 20 touchdowns recebidos. Desde os tempos de College, em Tulane, Forté já se provava como um jogador capaz de melhorar um time através de recepções e corridas na red zone. Agora se junta a três grandes nomes da história do esporte justamente nesse quesito.

E tome empate. 

Duas semanas seguidas com empates. Quando foi a última vez que isso aconteceu? Bom, se você quiser saber para a conversa no happy hour, a gente descobriu. 2016 foi o primeiro ano desde 1997 em que houve duas semanas consecutivas da NFL com empates – desde que a regra de haver prorrogação começou em 1974, vale lembrar. Em 1997, Baltimore e Philadelphia empataram em 10-10 na Semana 12. Na semana 13, New York Giants e Washington empataram em 7-7.

Carolina se reergue depois da semana de folga

No rematch da final da Conferência Nacional, o Carolina Panthers enfrentou e venceu o Arizona Cardinals novamente, agora por 30 a 20. Na final da NFC de 2015, os Panthers haviam vencido num massacre por 49-15. Foi a primeira vez desde 2003 que um time venceu uma final de conferência e depois o rematch no ano seguinte. Naquele ano, o Tampa Bay Buccaneers venceu novamente o Philadelphia Eagles por 17-0 – depois de ter vencido os Eagles fora de casa no NFC Championship Game de 2002.

E tome prorrogação, e tome Dak

Embora tenhamos tido apenas um empate, houve três prorrogações no último domingo. Isso aconteceu pela primeira vez desde novembro de 2015. Por ironia, o terceiro jogo a ir para prorrogação em ambos os casos foi um Eagles at Cowboys. Falando nesse jogo, Dak Prescott continua a impressionar e escrever seu nome nos livros de história da NFL.

Prescott se tornou o primeiro calouro a liderar uma virada por mais de 10 pontos no último quarto desde que Nick Foles o fez em 2012. Além disso, Prescott é o primeiro calouro desde 1948 (Johnny Lujack, Bears) a comandar um time para campanha de 6-1. É, fica cada vez mais difícil dizer que não há controvérsia em Dallas.

Como estão os pontos extras?

Em 2014 os pontos extras eram fáceis. Em 2015, complicaram. A média de acertou naquele ano foi de 99%. Em 2015, de 95%. Com a epidemia de #CollegeKickers, como será que estamos em 2016? Bom, a média esperada continua. De 562 ocasiões nas quais os times foram para o ponto extra depois do touchdown, 534 foram acertadas – o que dá 95%.

Interessante notar que os times estão se especializando na conversão de 2 pontos. Foram convertidas 27 de 44 (61% neste ano), em comparação a 43% em 2014 quando o ponto extra e a conversão saiam da linha de 2yds. Ou seja: as equipes estão treinando as conversões de dois pontos, não tenha dúvida disso.

Com informações da NFL Research, NFL Communications, ESPN Stats and Info, TRUmedia, ELIAS Sports Bureau e CBS Sports.

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @CurtiAntony, ou nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

The Numbers: 11 estatísticas que contam a história da Semana 8

Mais lidas da Semana

To Top