Uma senha sera enviada para seu e-mail

Depois das expectativas do Buffalo Bills e do New York Jets, chegou a vez de mostrar o que as casas de apostas reservam para a campanha do Cincinnati Bengals. Assim como os dois anteriores, o time não aparece com muitas chances de brigar por um lugar dos playoffs, mas está cotado para ter um desempenho no mínimo igual ao do ano passado, quando teve sete vitórias na fase regular.Estimativa de vitórias: Cincinnati Bengals na briga por sete ou mais triunfos em 2018

Bengals com expectativa de sete triunfos

Se depender das cotações, o Cincinnati Bengals está longe de cair de produção nesta temporada. Isso fica claro quando o retorno para uma campanha com sete ou mais vitórias dá R$ 1,74 para cada real, segundo estatísticas do Oddsshark.com. O valor indica que dificilmente a franquia terá um desempenho muito superior a esta marca, porém, que também não é esperado um rendimento inferior.

As cotações podem ser melhores (gerando menos lucro) e mudarem consideravelmente no começo da temporada, pois a franquia terá dois jogos que em tese tem condições de vencer, contra Indianapolis Colts e Baltimore Ravens. O primeiro acontece fora de casa, mas o segundo ocorre no Paul Brown Stadium. Os dois compromissos são importantíssimos, pois na sequência a franquia viaja e enfrenta Carolina Panthers e Atlanta Falcons, duas partidas que prometem ser complicadas.

Quem contar com um tropeço nos dois primeiros jogos e reveses atuando contra estes adversários mais difíceis, tem a opção de investir que a franquia terá menos de seis vitórias, o que paga R$ 2,05 para R$ 1,00, de acordo com dados do Oddsshark.com. Este retorno é bem alto e caso os Bengals comecem com 1-3 certamente você receberá a opção de desistir ainda tendo um lucro. Isso acontece sempre quando a aplicação se torna mais fácil do que o previsto antes de começar a competição. Um início assim não seria algo surpreendente, pois o time em  abriu o calendário de 2017 com 0-3 e não houve tantas mudanças no elenco.

Pontos fortes

Algo positivo do Cincinnati Bengals é a continuidade. Enquanto algumas equipes que amargam eliminações na fase regular estão em constantes reformulações, a franquia não costuma mexer muito na casa e seguirá com Marvin Lewis como técnico. Com 59 anos, Lewis está na equipe desde 2003 e já conquistou quatro títulos da divisão AFC Norte e ainda avançou para os playoffs em sete oportunidades. O problema foi que essas sete idas aos playoffs resultaram em zero vitórias. De toda forma, Mike Brown, dono do time, confia mais em Lewis do que alguém pode confiar – resultado em estabilidade no cargo superior àquela que um servidor público teria após passar num concurso. Talvez Brown tenha trauma do pai, Paul, sendo demitido dos Browns na década de 1960. Seria uma explicação plausível.

Outros dois que permanecem são são o quarterback Andy Dalton e o wide receiver A.J. Green. Os dois não chegam a ser os melhores da liga nas respectivas posições, mas foram os principais responsáveis pelos momentos de brilho de Cincinnati em anos anteriores. O primeiro terminou a temporada passada com 3.320 jardas passadas – numa das piores temporadas de sua carreira – enquanto o segundo recebeu novamente para mais de 1000 jardas, totalizando 1.078.

Pontos fracos

Marvin Lewis também aparece como centro das atenções na parte negativa. Embora a sua continuidade seja um ponto positivo, pois não exigirá de a franquia começar do zero, sua permanência também levanta dúvidas, afinal, o técnico parece demonstrar um trabalho um tanto quanto estagnado.

Além de não conseguir avançar para os playoffs em duas temporadas seguidas, o comandante viu seu time começar com um trágico 0-3. Para completar, fechou 2017 com o pior ataque da liga em jardas conquistadas, com apenas 280.5 por jogo. Melhorar o quesito será trabalho para Bill Lazor, que também teve seu contrato renovado. O coordenador ofensivo até melhorou o setor depois da sua chegada, mas ainda assim ficou abaixo do que a equipe necessita, tanto que terminou em último neste quesito.

Leia também:
10 opiniões: meu calouro favorito, o time que não pode ter lesões e a lista mais irrelevante da história
4 Descidas: Saquon Barkley, Draft do Fantasy em maio, mais detalhes sobre o Caso Patricia
Estimativa de vitórias: Buffalo Bills mira ter mais de sete triunfos pela quarta temporada seguida

Para completar, os Bengals também estão fazendo algumas apostas que não empolgam, como o offensive lineman Bobby Hart. O jogador, que havia perdido a titularidade para o New York Giants, foi contratado, mas está longe de ser uma garantia de que pode melhorar a qualidade do grupo. Outra incógnita é o wide receiver John Ross, que foi o nono escolhido no Draft 2017, mas ainda não correspondeu as expectativas.

Últimas temporadas

O Cincinnati Bengals ficou de fora dos playoffs nas últimas duas edições, mas com campanhas que não foram tão ruins. Em 2016, a franquia terminou com seis vitórias e em 2017 fechou com sete, exatamente os números que dividem as casas de apostas para esta temporada.

Antes disso, a equipe havia avançado por cinco vezes seguidas a pós-temporada, tendo mais triunfos do que derrotas em todas as edições. O sucesso, porém, não durou muito, pois em todos estes anos o time caiu logo no primeiro jogo dos playoffs, como já dito.

Comentários? Feedback? Siga-me no twitter em @CurtiAntony ou no facebook – e ainda, nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

Especial de Análise das 32 franquias no Draft – exclusivo ProClub, duas por dia!
ProClub: Análise do Draft – Cleveland Browns