Uma senha sera enviada para seu e-mail

Leitura Rápida: após 18 anos sendo coadjuvante na AFC South, franquia da Flórida voltou a vencer divisão na temporada passada e quer mais em 2018

Após encerrar o jejum de dez anos sem figurar nos playoffs, chegando à final da Conferência Americana e só perdendo para o New England Patriots em placar apertado de 24-20, o Jacksonville Jaguars quer continuar em ascensão na NFL.

Para isso, a franquia da Flórida deposita todas as suas fichas na linha defensiva, que deu um salto de qualidade no em 2017, sendo fundamental para a campanha com dez vitórias e, com seis derrotas na temporada regular e que atormentou muitos quarterbacks.

Só para ter ideia do que o setor liderado por Calais Campbell e Yannick Ngakoue, é capaz, foram 55 sacks no ano passado. Os Black and Teal terminaram 2017 como a segunda melhor marca, ficando apenas um sack atrás do líder, o Pittsburgh Steelers. Tal pressão exercida nas linhas ofensivas rivais foi fundamental para o time dirigido por Doug Marrone voltar a vencer a AFC South depois de 18 anos. Para se ter ideia de quanto tempo isso faz, no último título a equipe fazia parte da hoje não existente AFC Central.

Panorama para 2018

Vindo de 10-6 na temporada regular, o Jacksonville Jaguars é visto com bons olhos pelas casas de apostas em Las Vegas para alcançar o bicampeonato de divisão. Mesmo com um calendário difícil, que inclui jogos contra o New England Patriots (Semana 2), Kansas City Chiefs (Semana 5), Philadelphia Eagles (Semana 8) e Pittsburgh Steelers (Semana 11), a equipe tem um ano avaliado acima de 9 vitórias em R$ 1,77 para cada real investido.

O site especializado Oddsshark.com ainda coloca o Jaguars como favorito na AFC South, divisão que promete bastante equilíbrio após ser considerada uma das mais fracas nos últimos anos. Mesmo com as ascensões do Tennessee Titans, de Marcus Mariota, e do Houston Texans, de Deshaun Watson (retornando de lesão), no último playoffs, além do Indianapolis Colts, que (esperamos) terá o retorno do talentoso Andrew Luck, os Black and Teal têm leve favoritismo. A cotação do time que tem como um dos pilares ofensivos o running back Leonard Fournette é de R$ 2,75 para ganhar a divisão, contra R$ 2,80 dos Texans, e R$ 4,80, do Titans, ainda de acordo com o Oddsshark.com.

Pontos fortes

No acumulado, os Jaguars têm a defesa mais cara das NFL entre todas as 32 franquias, com price tag de quase 61 milhões de dólares, superando em cinco milhões o Tampa Bay Buccaneers. O Jacksonville Jaguars conta com um setor bastante produtivo e é chover no molhado dizer isso.

Após bater o recorde da franquia em sacks, com 14.5 na temporada passada, Calais Campbell é o líder de um time que ainda conta com Ngakoue, dono de 20 sacks nas últimas temporadas, Dante Fowler, Darius Jackson, Malik Jackson e novato Taven Bryan, que chega do draft para entrar na rotação. Os Jaguars seguem o exemplo dos Eagles de 2017: muita profundidade de talento na rotação da linha defensiva, o que faz com que os talentos estejam sempre descansados. A unidade, em 2018, promete demais.

A posição de cornerback também segue bem preenchida. Mesmo com a saída de Aaron Colvin, que se mudou para o Houston Texans com a expiração do contrato, a equipe de Jacksonville tem dois fortes nomes:  Jalen Ramsey e A.J. Bouye, que combinaram para 10 interceptações em 2017. Em resumo, é a melhor dupla de cornerbacks da NFL.

Já o setor ofensivo, que tem como principal novidade o left guard Andrew Norwell, continuará direcionado no jogo terrestre e, basicamente, em Leonard Fournette. O running back vai para o seu segundo ano na NFL tentando quebrar mais uma vez a barreira de mil jardas, alcançada em 2017 e que ainda contou com 9 touchdowns. A grande questão é saber quem será o RB número 2, já que Chris Ivory foi cortado. Brigam pela posição T.J. Yeldon e Corey Grant.

Pontos fracos

A máxima de que todo bom time começa com um quarterback diferenciado não se aplica ao Jacksonville Jaguars, que seguirá pelo quinto ano com Blake Bortles na função. Com 90 touchdowns e 64 interceptações desde que foi draftado em 2014, Bortles um ano de “vida ou morte”, em um time que tem com meta mínima atingir os playoffs.

Ao mesmo tempo, o camisa 5 mostrou bons flashes em algumas partidas, como na vitória emocionante fora de casa sobre o Pittsburgh Steelers – a que garantiu vaga na decisão da Conferência Americana. Os Jaguars optaram por diluir seu “Quinto Ano de Calouro” em termos contratuais, transformando-o em uma extensão de contrato de dois anos. Seus números também evoluíram em 2017, atingindo a melhor porcentagem em passes em quatro anos como profissional (60,2%) e tendo menor número de interceptações da carreira (13 no total). Ainda no ano passado, foram 21 passes para TDs e 3.687 jardas. De toda forma, ele é pra lá de dependente do play action e de, por tabela, um bom jogo corrido.

A situação de Bortles ainda será mais desafiadora se pensarmos nas saídas dos wide receivers Allen Hurns e Allen Robinson. Até a temporada começar, ele terá tempo para encontrar o seu principal alvo: Donte Moncrief, Marqise Lee, Keelan Cole, Dede Westbrook ou DJ Chark.




SIGA-NOS!

Siga-nos no Instagram: @antonycurti
Inscreva-se em nosso canal do YouTube, vídeos novos toda semana.


“proclubl"