Uma senha sera enviada para seu e-mail

Leitura Rápida: Franquia tenta apagar péssimo começo de 2017, quando acumulou cinco derrotas. Após saída de Ben McAdoo, volta de Odell e Saquon Barkley draftado, expectativas são melhores do que as do ano passado. 


Dono da pior campanha da Conferência Nacional do ano passado, o New York Giants tenta fazer uma temporada bem diferente em 2018. O objetivo de um lugar nos só poderá ser encarado como sonho ou realidade depois que começarem os jogos, mas ao menos uma campanha com mais vitórias do que 2017, quando ganhou apenas três partidas, é esperada nas casas de apostas.

O começo da campanha vai dizer muito do que esperar dos Giants. Afinal, na temporada passada a franquia largou com um 0-5 e que praticamente decretava que o time ficaria pelo caminho de uma forma muito precoce. Também na primeira metade da temporada, Odell Beckham Jr se machucou e fraquezas táticas da unidade ofensiva foram (ainda mais) expostas.

O mais interessante é que oício desta edição pode ser considerado ideal para a equipe, pois terá pela frente Jacksonville Jaguars, Dallas Cowboys, Houston Texans, New Orleans Saints e Carolina Panthers. Os adversários estão longe de serem considerados fáceis: todos eles foram para os playoffs na temporada passada ou em 2016.

Desta forma, um investimento antecipado é importante para buscar cifras maiores. Quem aplicar que o New York terá pelo menos sete triunfos garante R$ 1,66 para cada real, de acordo com dados do Oddsshark.com. Para isso basta selecionar a opção “total de vitórias +6.5”. O valor tende a cair caso a campanha comece com resultados positivos.

Por outro lado, quem acreditar que a franquia repetirá os erros do passado e colecionará tropeços noício da caminhada fatura R$ 2,25 para R$ 1,00 se os Giants tiverem no máximo seis triunfos ao longo da temporada regular, segundo estatísticas do Oddsshark.com. Aqui, o investimento é feito no “total de vitórias -6.5”.

Pontos fortes

Uma boa notícia para quem está de olho no New York Giants é que a franquia se mexeu bem para encontrar peças que apaguem o fiasco da temporada passada. O foco foi em proteger Eli Manning, trazendo jogadores que deixem o quarterback mais tranquilo para efetuar as jogadas. Um dos reforços é Nate Solder, que chega por um caminhão de dinheiro. O veterano left não vem de um ano tão brilhante, mas no geral fez um bom trabalho com Tom Brady. Outra contratação interessante foi de Patrick Omameh, que atuou nos dois últimos anos pelos Jaguars.

Do Draft também veio mais um bom jogador. Com a segunda escolha geral, o New York selecionou o Saquon Barkley, que será mais uma excelente opção para os lançamentos de Eli Manning. Pelo Penn State, o jogador correu para 3.843 jardas e foi duas vezes o jogador ofensivo da Conferência Big Ten. Para proteger Eli e abrir espaços para Saquon, Will Hernandez veio no topo da segunda rodada. O guard pode, silenciosamente, ser uma das melhores escolhas do Draft.

Leia também: ProClub: Análise do Draft – New York Giants

Com isso, dá para esperar uma franquia bem mais forte ofensivamente para esta temporada, pelo menos em termos de opções de jogadas. A volta de Odell, agora saudável, entra na conta. Ainda, a saída de Ben McAdoo e seu nada-criativo sistema ofensivo são ajuda – Pat Shurmur, vindo de uma ótima temporada como coordenador ofensivo em Minnesota, é o novo responsável pela unidade.

Pontos fracos

Os principais problemas dos Giants são também as soluções. Isso porque a equipe é bem diferente da que terminou como a pior defesa e o ataque menos produtivo da Conferência Nacional. A dúvida agora é saber as reais condições de Odell Beckham Jr e Eli Manning, que podem resolver para a franquia ou até mesmo afundá-la.

Explica-se: o primeiro fraturou o tornozelo no começo de outubro do ano passado e não jogou desde então. Embora já tenha voltado aos treinamentos, somente agora é que vai ser totalmente liberado para as atividades. O wide em boas condições é fundamental para a equipe e mostrou isso nas 47 partidas disputadas ao longo de quatro anos. No período ele teve 313 recepções para 4.424 jardas e 38. Outro importante fator é saber a motivação do jogador, que queria um contrato melhor para seguir em Nova York e não conseguiu até agora.

🔒 Exclusivo de nossos assinantes: ProClub: Como os times estão moldando suas linhas defensivas para 2018

Já a questão de Manning é sua produtividade. O quarterback não foi bem em 2017, o que gerou uma certa expectativa até da franquia buscar um jogador no topo do Draft para ser o herdeiro de Eli, o que não ocorreu. Agora, com o time apostando novamente na experiência do jogador de 37 anos, o atleta precisa dar uma resposta, pois a melhora ofensiva de fato passa pelas suas mãos.

Últimas temporadas

Desde que foi campeão na temporada 2011, o New York Giants não teve muito sucesso. A única exceção foi em 2016, quando conquistou 11 vitórias na fase regular e avançou para os. No entanto, a franquia caiu logo no Wild Card. Nas outras cinco edições no período, o time só conseguiu ter uma campanha com mais triunfos do que derrotas em uma ocasião, em 2012. A pior ocorreu no passado, quando terminou com apenas três resultados positivos – o seu pior número desde 1983.


SIGA-NOS!

Siga-nos no Instagram: @antonycurti
Inscreva-se em nosso canal do YouTube, vídeos novos toda semana.