Uma senha sera enviada para seu e-mail

Com mais uma semana encerrada, precisamos, como já nos habituamos a fazer aqui no ProFootball, a elencar os jogadores de maior destaque – seja ele negativo ou positivo. Depois da lesão de Aaron Rodgers, a NFC ganhou drasticamente em dinamismo e imprevisibilidade, com uma vaga que era dada como “garantida” para o Green Bay Packers ficando subitamente aberta. Sem mais delongas, vamos aos prêmios da Semana 6!

Melhor jogador ofensivo  que não é quarterback – Le’Veon Bell, running back do Pittsburgh Steelers

Se você der 32 tentativas terrestres para Le’Veon Bell, é bem difícil que ele não consiga punir o adversário. Afinal, se você recorre tantas vezes ao seu running back, é que algo está funcionando. Terei aqui que me utilizar das palavras do meu caro companheiro de site, João Henrique Macedo, que tão bem colocou: o Pittsburgh Steelers utilizou a estratégia Blake Bortles em Ben Roethlisberger. Ou seja, passes curtos e um jogo terrestre potente para tentar minimizar os erros da Semana 5 contra o Jacksonville Jaguars.

Bom, deu certo. Le’Veon Bell teve 179 jardas nas 32 carregadas que teve, foi crucial para controlar o ritmo da partida e colocou o Kansas City Chiefs em uma situação adversa que ainda não tinham enfrentado em 2017. O camisa 26 demonstrou a paciência que lhe é peculiar, sempre esperando  os defensores mostrarem a direção na qual estão indo antes dele decidir seus movimentos e seus cortes precisos. Dê tempo ao Bell que as coisas não serão boas para seu time.

Menção honrosa para dois outros running backs – Jordan Howard, que desonerou Mitchell Trubisky contra o Baltimore Ravens e Adrian Peterson – mas falaremos dele mais tarde.

Maior surpresa da rodada – New York Giants contra o Denver Broncos

Uma equipe 0-5, sem seus três principais recebedores, uma linha ofensiva questionável e com problemas de vestiário recentes, vide a história de Dominique Rodgers-Cromartie com Ben McAdoo. Essa equipe viaja para Denver, pronta para enfrentar uma das melhores defesas da NFL, depois de uma semana de bye. O resultado? Por incrível que pareça, vitória do New York Giants.

Pela primeira vez em 2017, a equipe de Eli Manning mostrou capacidade de mover as correntes do ataque, com uma ajuda para lá de bem vinda de Orleans Darkwa, mostrando que há jogo terrestre em Nova York. Para ilustrar, Darkwa teve mais jardas contra Denver do que Marshawn Lynch, LeSean McCoy, Melvin Gordon e Ezekiel Elliott… somados.

Coincidentemente (ou não), foi nesta partida que o head coach Ben McAdoo deixou de chamar as jogadas ofensivas. Quando falamos da diferença de técnicos da NFL, um dos elementos que mais se sobressai é justamente a capacidade de chamar as jogadas corretas nos momentos oportunos. McAdoo vinha falhando miseravalmente nesse aspecto, e a decisão de passar esta tarefa para o coordenador ofensivo Mike Sullivan se mostrou bastante acertada – o próprio head coach o disse 1.

Fênix da semana – Adrian Peterson, running back do Arizona Cardinals




Tudo bem, eu sei que esse prêmio nunca existiu, mas ele é bastante pertinente neste momento. Nessa imprevisível temporada de 2017, algo que parecia ser unânime era a dificuldade que Adrian Peterson teria em ser “aquele” jogador pelo New Orleans Saints. Seja pela histórica baixa produção de Peterson recebendo passes, que a gulf coast offense de Sean Payton exige dos seus running backs, ou pela disputa por espaço com Mark Ingram e Alvin Kamara. De qualquer forma, Peterson foi trocado na última semana e fez sua estreia pelo Arizona Cardinals.

Foram 134 jardas e dois touchdowns em um só domingo, números que já ultrapassam as quatro partidas somadas que o ex-Vikings teve pelo time da Louisiana. A troca foi um sopro de vida para os dois lados – Mark Ingram teve sua melhor partida da temporada, e o Arizona Cardinals mostra que é uma equipe completamente diferente quando há uma real ameaça do jogo corrido. Basta ver como os defensores todos mordem o play action no touchdown de Larry Fitzgerald.

Pior técnico da semana –  Chuck Pagano, Indianapolis Colts

Um prêmio raro por aqui, mas que merece ser mencionado. A incapacidade do Indianapolis Colts de fazer quaisquer ajustes no intervalo é alarmante. Basta ver a diferença em termos de eficiência do Tennessee Titans do primeiro para o segundo tempo do Monday Night Football. Pior do que isso, a mesmíssima coisa aconteceu contra o Seattle Seahawks na semana anterior. Chuck Pagano está fazendo hora extra em Indianapolis.

Sugestões de categorias? Algum assunto que acha que deve ser contemplado? Me procure no Twitter em @MiceliFF que tentarei inclui-lo para os prêmios da Semana 7!

“RODAPE"

  1. Ben McAdoo says he made right decision to stop calling plays. SCHMIDT, Matthew. FanRag..Acesso em 18/10/2017 – https://www.fanragsports.com/ben-mcadoo-says-he-made-right-decision-to-stop-calling-plays/