Uma senha sera enviada para seu e-mail

Voltamos! Depois do término da Semana 2, vamos apontar vários jogadores que se destacaram positivamente e negativamente na quinta, no domingo e na segunda-feira de futebol americano! Prêmios são sempre um evento divertido – pelo menos eu adoro as noites de Oscar, Globo de Ouro e Emmys – e vamos tentar te entreter aqui também. Quem sabe cada categoria ganhe um apelido ao longo do tempo…

Antes de começarmos, tem alguma categoria que gostaria de ver na Semana 3? Procure o Twitter do @ProFootballBR (ou o meu, @MiceliFF), que quem sabe colocamos aqui nas edições vindouras. Sem mais delongas, aos prêmios!

 

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

O melhor quarterback – Tom Brady, New England Patriots

Sem palavras. O lendário camisa 12 de Boston desfilou eficiência e dissecou a defesa do New Orleans Saints, passando para 447 jardas e três touchdowns. Não adianta – se você mandar blitz para cima de Brady, ele vai deitar e rolar. Dito e feito.

O pior quarterback – Deshone Kizer, Cleveland Browns

Crédito é dado quando ele é promissor, mas temos que criticar quando vai mal. Segurando a bola em média por mais de três segundos, Kizer ajudou a já abastada defesa do Baltimore Ravens a impedir o jogo aéreo do Cleveland Browns.

Não entenda errado, Kizer está no caminho certo, mas fica o puxão de orelha.

Melhor jogador ofensivo (que não é quarterback) – Mike Evans, wide receiver do Tampa Bay Buccaneers

Fiquei tentado a colocar Michael Crabtree, que foi acionado na red zone com frequência e anotou não um, não dois, mas três touchdowns. Entretanto, precisamos falar do camisa 13 dos Buccaneers.

Mike Evans converteu terceira descida atrás de terceira descida, aparecendo em todas as partes do campos quase que como uma máquina. A classe de 2014 pode ser de fato a melhor de todos os tempos em wide receiver, e Evans segue fortíssimo no páreo na discussão de quem é o melhor.

Pior jogador ofensivo (que não é quarterback) – A linha ofensiva do New York Giants

Não quero repetir o prêmio para Ereck Flowers, então vamos estender a homenagem para John Jerry e companhia. É sofrível ter que ver dois jogos de horário nobre de um time tão medíocre – e essa mediocridade começa nos cinco homens que “protegem” Eli Manning.

Melhor jogador defensivo – Kevin King, cornerback do Green Bay Packers

Honestamente, esse prêmio é todo para a defesa do Denver Broncos. Só que como tentamos aqui dar destaque ao individual, o calouro da secundária dos Packers merece destaque. Kevin King cedeu apenas um passe para 12 jardas quando cobria os recebedores do Atlanta Falcons – e isso inclui Julio Jones.

King parece ser um dos nomes que solucionarão a porosa secundária dos Packers de 2016.

Melhor calouro – Kareem Hunt, Kansas City Chiefs

Segue o baile de Kareem Hunt em Kansas City. Líder da NFL em jardas terrestres, com 229, além de líder entre running backs em jardas aéreas (126), fica o prêmio para o calouro, que já foi o melhor jogador ofensivo não-quarterback na semana passada.

Melhor jogo da rodada – Miami Dolphins @ Los Angeles Chargers

Um dos poucos jogos realmente parelhos e com emoção até os últimos snaps. Destaque para Jay Ajayi, que segue como ponto focal do ataque do time da Flórida, e destaque negativo para Younghee Koo – mas falaremos disso mais tarde.

Menção honrosa para Denver Broncos e Dallas Cowboys, que nos mostrou como os Broncos são assustadores com essa defesa.

Pior jogo da rodada – Carolina Panthers @ Buffalo Bills

Olha os Bills aí de novo! Em uma partida cheia de inépcia ofensiva, foi duro assistir a marcha lenta dos dois ataques. A cereja no bolo foi o drop do calouro Zay Jones que viraria o jogo para o Buffalo Bills.

O ataque dos Panthers está anêmico, e o 2-0 passa uma impressão de que está tudo correndo bem quando não está.

#CollegeKickers – Younghee Koo, Los Angeles Chargers

Repeteco de prêmio para o coreano calouro, que mais uma vez – e dessa vez sem field goal bloqueado – colocou tudo a perder para o Los Angeles Chargers. Enquanto o recém-transferido time vê seus rivais começarem 2-0, amargam um terrível 0-2 na AFC West.

 

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Maior surpresa positiva – Jared Goff vai bem (até a página 15)

Jared Goff teve um bom desempenho durante a segunda partida da temporada, e, se não fosse a interceptação em um drive crucial, estaríamos preocupados com as previsões catastróficas do jovem.

Ainda assim, muitos créditos para Sean McVay. O ataque que era quase estático em 2016 consegue mover as correntes muito bem, tanto no jogo aéreo quanto terrestre.

Maior decepção – O ataque do Seattle Seahawks

Ter problemas contra o Green Bay Packers em Lambeau é uma coisa; penar para vencer o San Francisco 49ers é outra. Russell Wilson e companhia estão com sérios problemas na cadência ofensiva, e isso pode custar caro em match ups mais complicados.

Idem pode ser dito sobre o New York Giants. É bem provável que Eli Manning saia morto do duelo contra o Philadelphia Eagles.

Monstro do Fantasy – Michael Crabtree, wide receiver do Oakland Raiders

A conexão Carr-Crabtree funcionou tal como 2016 e o ex-49ers anotou três touchdowns. Seis targets, seis recepções e 80 jardas. Apenas brilhante.

Muitas menções honrosas; Tom Brady, Todd Gurley e Kareem Hunt, Emmanuel Sanders, Travis Kelce… Semana bem mais recheada.

Melhor jogada da semana (sugestão de @Neyllon_ no Twitter!)

Sugestão do caro leitor no Twitter, a melhor jogada da semana não foi um touchdown gigantesco. Na verdade, foi um audible feito por Derek Carr contra o New York Jets.

Na linha de duas jardas para o goal e Marshawn Lynch, os Raiders se viram em situação análoga àquela que o Seattle Seahawks viveu no Super Bowl XLIV. Derek Carr então grita “Seattle, Seattle”para seus companheiros.

E, assim, decide passar a bola na linha de duas jardas ao invés de dar nas mãos de Lynch. Só que o resultado foi feliz – touchdown para Michael Crabtree, o primeiro da tarde.

Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

“RODAPE"