Uma senha sera enviada para seu e-mail

Poucas surpresas e muita luta dentro de campo (luta no sentido literal da palavra mesmo, com alguns jogadores chegando às vias de fato no gramado)1, esse basicamente é o resumo do que aconteceu na semana 9.

Além disso, a rodada passada também marcou o fim “oficial” da primeira metade da temporada. A partir de agora, portanto, as equipes possuem sete ou oito jogos, dependendo se elas já tiveram a bye week ou não, para definir seu destino em 2017. E não se engane: cada uma dessas partidas restantes é de fundamental importância, sobretudo porque a disputa pelas vagas nos playoffs via Wild Card está muito acirrada.



Transmissões semana 10

Quinta, 09 de novembro

Seattle Seahawks at Arizona Cardinals| 23:30h, ESPN

Domingo, 12 de novembro

New Orleans Saints at Buffalo Bills | 16h, ESPN

Minnesota Vikings at Washington Redskins| 16h, ESPN Extra

Houston Texans at Los Angeles Rams| 19:05h, ESPN +

Dallas Cowboys at Atlanta Falcons| 19:25h, ESPN

New England Patriots at Denver Broncos| 23h, ESPN

Segunda, 13 de novembro

Miami Dolphins at Carolina Panthers | 23h, ESPN

Equipes em bye week: Baltimore Ravens, Kansas City Chiefs, Oakland Raiders e Philadelphia Eagles

Osweiler reencontrará os Patriots, time que o “consagrou” em 2015

Pouca gente deve se lembrar, mas New England foi um dos grandes “culpados” pela Osweilermania que tomou conta de NFL há cerca de dois anos. Na semana 12 de 2015, Brock ajudou Denver a conseguir uma impressionante virada sobre os Patriots. A equipe do Colorado chegou a estar perdendo por 21 a 7 no último quarto, mas acabou triunfando por 30 a 24 na prorrogação. A partir daí, começou a ser criado o mito de que ele talvez fosse um franchise quarterback.

No próximo domingo, o cenário será o mesmo: Broncos recebendo os Patriots no Sunday Night Football e Osweiler como titular. O que muda são as circunstâncias: em 2015, Denver estava 8-2 e era um dos melhores time da NFL. Hoje, a franquia acumula quatro resultados negativos seguidos, soma cinco derrotas contra apenas três vitórias e está muito pressionada.

Brock terá a chance de comandar o ataque mais uma vez, mesmo após o fiasco da semana passada diante dos Eagles. Denver foi massacrado pelo rival por 51 a 23 e Osweiler jogou muito mal. Além dos passes não completados, o quarterback lançou duas interceptações, aumento para 13 o número de turnovers cometidos pelo time nos últimos quatro jogos. O péssimo rendimento do ataque agora está afetando diretamente o desempenho da outrora sólida da defesa, pois o sobrecarregado setor não vem conseguindo mais carregar o time nas costas.

New England, por sua vez, tentará tirar vantagem do momento turbulento pelo qual passa os Broncos. Embora estatisticamente ainda seja uma das piores da liga, a defesa vem se acertando ao longo das últimas semanas e não é mais uma fábrica de jardas e pontos cedidos. Por exemplo, os Patriots controlaram Matt Ryan e Philip Rivers nas últimas duas partidas, os mantendo abaixo das 250 jardas aéreas – ou seja, o pior aparentemente já passou. Do outro lado da bola, as coisas seguem muito bem com Tom Brady e cia.

Depois de iniciarem a temporada com 2-2, os Patriots acumulam quatro vitórias consecutivas e hoje são a equipe com a segunda melhor campanha da Conferência Americana, atrás somente do Pittsburgh Steelers. Ainda assim, por incrível que pareça não estão tranquilos na liderança da AFC East, pois os Bills estão no encalço com um record 5-3. Denver, por outro lado, está na lanterna da AFC West, jogando o pior futebol da divisão e por ora longe de disputar seriamente uma vaga nos playoffs.

Destaques relâmpagos

New York Giants @ San Francisco 49ers: Acredite se quiser, mas o duelo entre Giants e 49ers é muito relevante. O motivo? Ele terá desdobramentos diretos na definição das escolhas top 3 do próximo Draft. O perdedor sairá do confronto mais perto de garantir a segunda pick geral e ameaçar os Browns pelo direito de selecionar primeiro no recrutamento. Sim, é bastante melancólico, sobretudo para duas franquias com uma rivalidade histórica e que já disputaram tanta coisa importante entre si, porém é que temos para hoje.

Miami Dolphins @ Carolina Panthers: Miami surpreendentemente não sentiu falta de Jay Ajayi diante de Oakland, pois a dupla de running backs formada por Damien Williams e Kenyan Drake deu conta de recado, inclusive adicionando um novo elemento ao jogo aéreo graças à facilidade de ambos recebendo passes – juntos, terminaram a partida com 12 recepções para 85 jardas. Contra Carolina, contudo, o desafio será bem maior, já que o time conta com uma defesa muito mais forte do que a dos Raiders. O próximo Monday Night Football tem tudo para ser o teste de fogo desse “novo” ataque dos Dolphins.

“dallascowboys"

Dallas Cowboys @ Atlanta Falcons: Cowboys e Falcons é a definição perfeita do conceito de “duelo de opostos”. Dallas a cada semana que passa sobe de rendimento, enquanto Atlanta despenca na tabela. A franquia da Geórgia já soma quatro derrotas nas últimas cinco partidas e está cada vez mais distante de Saints e Panthers na briga pelo topo da NFC South.

Os Cowboys, por outro lado, somam três vitórias consecutivas e parecem ter voltado à forma da temporada regular de 2016, principalmente agora que o jogo corrido engrenou. O único ponto de interrogação, como sempre, é a novela Ezekiel Elliott. Por sinal, a suspensão voltou a valer na quinta-feira e o running back está proibido de atuar contra os Falcons.

Pittsburgh Steelers @ Indianapolis Colts: Nos perdoem torcedores dos Colts, mas o destaque aqui é a gigantesca freguesia recente da equipe diante de Pittsburgh. De 2011 para cá, foram quatro partidas e quatro vitórias dos Steelers, incluindo massacres por 45 a 10 e 28 a 7 nos dois últimos jogos. Pittsburgh anotou 147 pontos (média de 36 por confronto), enquanto Indianapolis marcou apenas 71. Por fim, vale lembrar que Antonio Brown, sozinho, soma 417 jardas e sete touchdowns contra os Colts.

Boletim Médico

Jameis Winston, QB – Tampa Bay Buccaneers: Winston voltou a sofrer com problemas no ombro e precisou deixar a partida contra New Orleans. A expectativa é que ele fique pelo menos duas semanas fora de combate para se recuperar

Teddy Bridgewater, QB – Minnesota Vikings: O quarterback saiu da lista dos machucados (PUP list), foi ativado por Minnesota e está pronto para voltar a jogar. Bridgewater, contudo, deve ser reserva de Case Keenum por enquanto, pois ficou muitos meses afastado se recuperando da grave lesão que sofreu no joelho.

Bryan Bulaga, OT – Geeen Bay Packers: Bulaga rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho e está fora do restante da temporada.

Dez Bryant, WR – Dallas Cowboys: Bryant está lidando com lesões no joelho e tornozelo. O wide receiver perdeu dias de treinamento durante a semana e é dúvida para o jogo contra Atlanta.

Julio Jones, WR – Atlanta Falcons: Jones sofreu uma torção no tornozelo no duelo diante de Carolina e ficou de fora de alguns treinos durante a semana. Seu status é questionável.

Ryan Griffin, TE – Houston Texans: Griffin sofreu uma concussão e está no protocolo da liga. A boa notícia para os Texans, porém, é que C.J. Fiedorowicz pode retornar na semana 10.

George Kittle, TE – San Francisco 49ers: Kittle foi outro que machucou o tornozelo na semana passada. Contudo, sua lesão é considerada mais séria e ele já foi vetado da partida contra os Giants.

Zay Jones, WR – Buffalo Bills: Jones não treinou na quarta e quinta-feira por conta de uma lesão no joelho. Seu status é bastante questionável para a semana 10.

Comentários? Feedback? Siga-me no Twitter em @MoralezPFB, ou nosso site em @profootballbr e curta-nos no Facebook.

“RODAPE"

  1. https://www.youtube.com/watch?v=fCZJOeMjGcQ Acesso em: 09/11/2017